quinta, 01 de outubro de 2020
06/08/2020

Captação da poupança bate recorde para meses de julho


Aplicação financeira mais tradicional dos brasileiros, a caderneta de poupança voltou a atrair o interesse dos brasileiros em meio à pandemia provocada pelo novo coronavírus (covid-19). No mês passado, os investidores depositaram R$ 27,14 bilhões a mais do que retiraram da aplicação, informou nesta quinta-feira (6) o Banco Central. Em julho do ano passado, os brasileiros tinham sacado R$ 1,61 bilhão a mais do que tinham depositado.

O resultado de julho é o maior já registrado para o mês desde o início da série histórica, em 1995. Com o resultado do mês passado, a poupança acumula entrada líquida de R$ 111,58 bilhões nos sete primeiros meses do ano.

A aplicação tinha começado o ano no vermelho. Em janeiro e fevereiro, os brasileiros retiraram R$ 15,93 bilhões a mais do que depositaram. A situação começou a mudar em março, com o início da pandemia da covid-19, quando os depósitos passaram a superar os saques.

O interesse dos brasileiros na poupança se mantém apesar da recuperação da bolsa de valores nos últimos meses e da melhora das condições de outros investimentos, como títulos do Tesouro. Nos dois primeiros meses da pandemia, as turbulências no mercado financeiro fizeram investidores migrar para a caderneta.

Rendimento

Com rendimento de 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), a poupança atraiu mais recursos mesmo com os juros básicos em queda. Com as recentes reduções na taxa Selic, o investimento está rendendo menos que a inflação.

Nos 12 meses terminados em julho, a aplicação rendeu 3,12%, segundo o Banco Central. No mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), que serve como prévia da inflação oficial, atingiu 2,13%. O IPCA cheio de junho será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) amanhã (7).

Para este ano, o boletim Focus, pesquisa com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central, prevê inflação oficial de 1,63% pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Com a atual fórmula, a poupança renderia 1,4% este ano, caso a Selic de 2% ao ano, definida ontem (5) pelo Banco Central, estivesse em vigor desde o início do ano. No entanto, como a taxa foi sendo reduzida ao longo dos últimos meses, o rendimento acumulado será um pouco maior.

Histórico

Até 2014, os brasileiros depositaram mais do que retiraram da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrir dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego.

Em 2015, R$ 53,57 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões. A tendência inverteu-se em 2017, quando as captações excederam as retiradas em R$ 17,12 bilhões, e em 2018, com captação líquida de R$ 38,26 bilhões. Em 2019, a poupança registrou captação líquida de R$ 13,23 bilhões.



Blog

Sine disponibiliza mais de 4 mil vagas de emprego em Santa Catarina

A última semana de setembro iniciou com oportunidades em Santa Catarina. São 4150 vagas de empregos, sendo 196 destinadas às pessoas com deficiência, disponibilizadas em mais de 50 cidades catarinenses. Os números foram divulgados pelo Sistema Nacional do Emprego (Sine), vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE).

As ofertas da semana englobam as mais variadas funções, com pré-requisito desde nível fundamental a superior. O Oeste do estado lidera as vagas, com mais de mil oportunidades. Em destaque estão São Miguel do Oeste (872), Concórdia (343) e Chapecó (276). 

Na avaliação do coordenador estadual do Sine, Ramon Fernandes, a oferta de vagas no estado é um reflexo do otimismo do empreendedor catarinense.

“Um exemplo é o índice de confiança industrial, que subiu para 64,8%, segundo o último relatório divulgado pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), assim como a intenção de investir do setor, que em setembro apontou 68,9%. Os números também seguem positivos no comércio e serviços. Esses indicadores confirmam o crescimento da produção e do emprego. Seguimos com o trabalho em conjunto, governo e setor produtivo, com foco nas melhores perspectivas e continuidade da retomada da economia”, frisa Fernandes.

No entanto, o coordenador estadual enfatiza que ainda é baixa a procura dos catarinenses pelas vagas.

Buscando as vagas

Passo 1: baixar o aplicativo

Basta acessar a loja de aplicativos do seu celular, pesquisar por “Sine Fácil” e seguir com o processo de instalação gratuita. Para iniciar o aplicativo, basta clicar no ícone presente na lista de apps do seu celular.

Passo 2: acessar

Uma forma de acessar o aplicativo é pela conta no site gov.br. Outra possibilidade é pelo QR Code (código), que pode ser gerado na Agência do Sine/SC mais próxima, por meio de agendamento.

Passo 3: consultar as vagas de emprego

As vagas de emprego são consultadas de acordo com o perfil profissional cadastrado. O site Emprega Brasil descreve que se o trabalhador se interessar pela vaga, basta clicar em “Quero Esta Vaga” e agendar a entrevista.

Na opção “Agendar Entrevista”, o trabalhador terá informações sobre local, data e horário escolhidos. Em “Entrevistas Agendadas” estão disponíveis informações sobre as datas agendadas pelo aplicativo.

Uma outra forma de se candidatar as vagas é pelo site empregabrasil.mte.gov.br.

Sem acesso à internet

Trabalhadores que não possuem acesso à internet podem agendar um horário para atendimento em uma agência do Sine/SC mais próxima, para o preenchimento do currículo.

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt