terça, 14 de julho de 2020
10/07/2020

Trabalhadores portuários recebem medicamento Ivermectina


A prefeitura de Itajaí iniciou nesta semana a distribuição do medicamento Ivermectina para todos os moradores da cidade como alternativa de prevenção ao Covid-19.

 

Para desafogar as filas no Centro de Eventos do munícipio, facilitando o acesso e também evitando aglomerações, foi realizada a distribuição do medicamento Ivermectina aos trabalhadores portuários no Órgão Gestor de Mão de Obra do Porto de Itajaí (OGMO), localizado em frente ao portão (gate) 01 do Porto de Itajaí.

 

O medicamento Ivermectina foi disponibilizado a todos os trabalhadores do Porto de Itajaí que tivessem interesse no medicamento. A ação aconteceu durante todo o dia, nesta quinta (09) e sexta (10). Os colaboradores recebiam um formulário para que fosse preenchido com seus dados, junto havia também um termo de consentimento para assinar, após isso todos passavam por uma consulta médica para orientação de como consumir o medicamento e só depois desse processo o trabalhador recebia o remédio:

 

“A procura está sendo bem grande, as pessoas estão bem gratas por estarem recebendo essa atenção”, conta Rômulo Fernandes, representante da Secretaria Municipal de Saúde de Itajaí.

 

A distribuição foi consequência da disposição conjunta da Prefeitura de Itajaí, Superintendência do Porto de Itajaí (SPI) e do Sindicato dos Conferentes:

 

“Esta ação facilitou muito a nossa operação, e demonstra sim o respeito que a municipalidade tem por essa importante atividade que representa muito para o nosso município” ressaltou o Superintendente do Porto de Itajaí, Engº Marcelo Werner Salles.

 

Márcio Aurélio Guapiano, presidente do Sindicato dos Conferentes e vice-presidente da Intersindical Portuária, fala sobre a expectativa dos trabalhadores no recebimento do Ivermectina como uma das formas de prevenir o Covid-19:

“Os portuários estavam ansiosos por este medicamento, houve uma grande adesão de todos e muitos agradeceram por esta preocupação com eles”, conclui Guapiano.



Blog

Inauguração simbólica

A Superintendência do Porto de Itajaí inaugurou, com dois anos de atraso, as obras de reforço e realinhamento do Berço 3. A obra já está concluída desde o final de novembro e a cura do concreto está pronta. No entanto, o trecho do cais ficou sem operar durante todo o mês de dezembro – porque a Autoridade Portuária e Município optaram por esperar a presença do ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa no evento, o que não ocorreu.

Para agravar ainda mais a situação, agora o local também não poderá ser usado para as operações portuárias, porque está servindo de depósito das estrutural pré-moldadas de concreto que estão sendo utilizadas nas obras do Berço 4.

O mais intrigante nisso tudo é que o Porto de Itajaí, que necessita dessa área para ampliar suas operações, não pode usá-la, pois pretendia usar a retroárea do Berço 4 para depositar os materiais, mas não tem autorização da Receita Federal para fazer isso. E assim como o Berço 3, o 4 também está inoperante.

Com relação ao Berço 4, o termo e compromisso, já com as revisões das perfurações, está na consultoria jurídica do MTPAC, em analise, com a conclusão prevista para janeiro de 2018, no máximo fevereiros. A tendência é que, a partir daí, a obra seja aditivada e, finalmente, concluída.

O montante a ser aditivado será de R$ 26 milhões e o valor já consta no orçamento da União para 2018. Segundo o superintendente Marcelo Werner Salles, os recursos estão garantidos e agora se aguarda apenas o cumprimento dos prazos burocráticos para que, efetivamente, as coisas aconteçam.  

Contraponto

Por sua vez, a Receita Federal informou que apenas não autorizou a utilização da retroárea do berço 4 para abrigar os pré-moldados porque está aguardando a Autoridade Portuária melhorar a segurança da área, conforme já foi solicitado. 

Inauguração do Berço 3 é transferida para a segunda quinzena de dezembro

A inauguração do berço 3 do porto de Itajaí foi novamente adiada. A expectativa do prefeito Volnei Moratoni, que está aguardando a confirmação de uma data que seja compatível com a agenda do ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Mauricio Quintela Lessa, é que o evento ocorra entre 19 e 22 de dezembro. A informação é da Superintendência do Porto de Itajaí, que informou as obras estão concluídas desde o final do mês passado.

A previsão inicial era de que a inauguração ocorresse dia 27 ou 30 de novembro, foi adiada para 05 de dezembro e agora passou para a segunda quinzena.

Enquanto isso o porto de Itajaí continua com o berço sem operar. Mas o que é mais um mês para uma obra que está com alguns anos de atraso, pois deveria estar concluída até julho de 2015, ou seja, 18 meses após a assinatura da ordem de serviço. 

Indefinição com relação as obras da nova bacia de evolução do Complexo Portuário do Porto de Itajaí

A continuidade das obras da nova bacia de evolução do Complexo Portuário do Itajaí está vinculada a assinatura de um termo aditivo no valor de R$ 25 milhões pelo Governo do Estado, o que não tem ainda data definida para acontecer, mesmo que os recursos já tenham sido autorizados pelo Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A informação partiu do engenheiro Ivan Amaral, do quadro da Secretaria de Estado da Infraestrutura e fiscal da execução da obra.

Segundo Amaral, essa valor é pertinente às condicionantes ambientais exigidas pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma), que engloba os molhes dos pescadores e da Marina de Itajaí. Isso porque o Governo Federal não liberou os recursos para a segunda fase da obra, que seria realizada simultaneamente à primeira e alargaria o canal para 200 metros e prolongaria a extensão do molhe.

Segundo Amaral, a demora na assinatura do aditivo contratual pode paralisar a obra, cuja previsão de entrega é abril de 2018. No entanto, apenas 30% da nova bacia de evolução está dragada. Procurado, o diretor técnico da Superintendência do Porto de Itajaí, não se manifestou sobre o assunto.

 

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt