19/09/2014

Família Schurmann parte de Itajaí rumo à Expedição Oriente - Especial Revista Portuária


Os Schurmann estão acertando os últimos detalhes para uma nova aventura. No domingo (21), a primeira família a completar a volta ao mundo a bordo de um veleiro, há 30 anos, parte para sua terceira grande viagem: a Expedição Oriente. A tripulação vai navegar durante dois anos pelas rotas atribuídas aos chineses ao redor do planeta. A viagem marca uma mudança no roteiro dos Schurmann: pela primeira vez, a aventura da família partirá de Itajaí.

A indústria náutica da cidade catarinense também foi escolhida pela família para construir o veleiro Kat que será utilizado na expedição. Com sete cabines a embarcação conta com tecnologia de ponta para a aventura em alto-mar ser acompanhada em tempo real de qualquer lugar do mundo.

Foram cinco anos de preparação, do início do planejamento à busca por patrocinadores, para que a Expedição Oriente se tornasse realidade. Depois de muita pesquisa, a definição do itinerário e cronograma de viagem e a confirmação de que as empresas Estácio, HDI Seguros e Solví seriam parceiras nesta aventura, a Família Schurmann trabalhou na divulgação do projeto enquanto acompanhava a construção do veleiro Kat, projetado especialmente para a expedição com tecnologia de ponta e foco na sustentabilidade.

O histórico de aventuras da família

Antes mesmo de retornar de sua primeira grande expedição, a volta ao mundo realizada entre 1984 e 1994, os Schurmann já sabiam qual seria sua próxima aventura em alto-mar: refazer a rota do navegador português Fernão de Magalhães, que em 1517 comandou aquela que é considerada a primeira circum-navegação do globo.

A Magalhães Global Adventure, segunda expedição da família, exigiu uma preparação de três anos e foi concluída no ano 2000, quando seu último trecho (Lisboa, Portugal - Porto Seguro, Brasil) fez parte das comemorações oficiais pelos 500 anos do Descobrimento do Brasil.

Além do amor pelo mar e por tanto reviver quanto escrever capítulos da História, o que leva a Família Schurmann a velejar pelo mundo também é a vontade de descobrir. Quando a Teoria 1421 capturou a atenção do mundo e iniciou um caloroso debate em 2002 ao propor que foram embarcações chinesas, não europeias (como os livros de História descrevem), as primeiras a chegar à América e a circum-navegar o globo, os Schurmann sabiam que só havia uma forma de ir mais a fundo no assunto. Assim nasceu a Expedição Oriente, uma busca por respostas que talvez só possam ser encontradas sob a perspectiva oriental desse mistério.

A embarcação

Com 80 pés de comprimento e 6,65 metros de largura, quilha retrátil de 18,5 toneladas e peso total de cerca de 67 toneladas, o veleiro Kat, projetado e construído especialmente para a expedição Oriente, tem sete cabines e conta com tecnologia de ponta para oferecer à Família Schurmann todas as condições para que esta aventura em alto-mar e por regiões inóspitas do globo transcorra com segurança e possa ser acompanhada em tempo real de qualquer lugar do mundo.

Seguindo uma das máximas da expedição que é a sustentabilidade, as forrações do motor e o isolamento térmico do forro do veleiro serão feitos de material reciclado. As luzes na embarcação serão de ultra baixo consumo (LED). Modernos sistemas para dessalinização de água, geração, armazenagem e economia de energia e compactação, tratamento e reciclagem de resíduos serão responsáveis por minimizar o impacto da expedição no meio ambiente.

Homenagem

O novo veleiro foi batizado em homenagem a Kat Schurmann. Aos três anos a menina tornou-se a mais jovem marinheira ao ser adotada pela família. Kat praticou diversas modalidades de aventuras, navegou ao redor do mundo e conheceu 19 países.

A marinheira faleceu aos 13 anos, no dia 29 de maio de 2006, por complicações decorrentes do vírus HIV, do qual era portadora desde que nasceu. O veleiro da família leva o nome da menina para que ela esteja presente simbolicamente na expedição.

O roteiro da expedição

A bordo do veleiro Kat, a Família Schurmann percorrerá mais de 30 mil milhas náuticas durante a Expedição Oriente, divididas entre mais de 40 trechos marítimos e passando por cinco continentes.

Partindo de Itajaí, Santa Catarina em setembro de 2014, a expedição passará por países como Argentina, Chile e Uruguai, na América do Sul; Austrália, Nova Zelândia e Papua Nova Guiné, na Oceania; China, Indonésia, Japão, Singapura e Vietnã, na Ásia; e África do Sul, Madagascar e Maurício, na África, além de passar pela Antártica e dezenas de outras localidades, antes de seu retorno ao Brasil, programado para dezembro de 2016.

Uma aventura transmídia

Com forte presença digital, a nova saga será uma aventura transmídia. Para isso, a Expedição Oriente conta com uma plataforma completa para acompanhamento e interação com os brasileiros e usuários de todo o mundo, durante os preparativos, a partida, as histórias em alto mar e de outros povos e culturas visitadas até o retorno ao Brasil. Todas as emoções serão transmitidas diariamente pelo site do projeto, traduzido em cinco idiomas, além de páginas oficiais em redes sociais como Facebook, YouTube e Instagram. Aplicativos para smartphones também estão no roteiro. E, neste “mar digital”, o público poderá embarcar na aventura por meio de barcos virtuais, disponibilizados através de técnicas de gamification que agitarão a rede com desafios, minigames e missões.

A Tripulação

Desta vez, o casal Vilfredo e Heloísa embarca com o filho Wilhelm e, pela primeira vez, leva também a terceira geração dos Schürmann: o neto Emmanuel, que vai acompanhar todo o percurso da expedição. Os filhos Pierre e David farão trechos da aventura. A caçula Kat também estará simbolicamente presente ao ter o novo veleiro batizado com seu nome. Além da família, o cinegrafista Heitor Cavalheiro também fará parte da tripulação. Confira abaixo um pequeno perfil dos tripulantes:

Vilfredo Schurmann

Economista graduado pela Universidade Federal de Santa Catarina, Vilfredo foi consultor financeiro de grandes corporações brasileiras, tais como Ceval (hoje, Bunge), Weg AS e outras. Aos 35 anos de idade, trocou uma carreira bem-sucedida e a vida em terra firme pelo prazer de desfrutar momentos de aventura junto com sua família, navegando pelo mundo em um veleiro. O capitão da família Schurmann liderou e coordenou as duas expedições no mar.

Foi condecorado com a Medalha do Mérito Naval da Marinha do Brasil. Vilfredo foi produtor do documentário “Em Busca do Sonho”, da série “Magalhães Global Adventure” para a Rede Globo de Televisão e do longa-metragem “O Mundo em Duas Voltas”. É presidente da Schurmann Produções Cinematográficas, palestrante e responsável pelos projetos educacionais do Instituto Kat Schurmann.

Heloisa Schurmann

Graduada professora de Inglês pela New York University com especialização na área de Pedagogia, Heloísa educou os quatro filhos, nas duas expedições de volta ao mundo.   Ela é pesquisadora, responsável pelo conteúdo dos projetos globais e autora dos diários de bordo da família. Heloisa é escritora e publicou três best sellers nacionais e, recentemente, lançou o livro “O Pequeno Segredo”.

Ela desenvolveu o Programa Pedagógico da segunda expedição, intitulado “Educação na Aventura”, acompanhado por mais de 2 milhões de alunos no Brasil e nos Estados Unidos. Além de palestrante, é responsável pelo núcleo de dramaturgia da produtora e conteúdo digital da família Schurmann.

Pierre Schurmann

Pierre partiu aos 15 anos com sua família durante sua circum-navegação “10 anos no Mar”. Desembarcou nos Estados Unidos para estudar na universidade. Em terra firme, começou sua carreira como corretor no Smith Barney. Em 1994, retornou ao Brasil para trabalhar na estruturação do projeto “Magalhães Global Adventure”. Em 1997, iniciou uma carreira empreendedora independente, que o levou a criar e vender três empresas: Zeek!, Ideia.com e Experience Club.

Atualmente, é investidor em diversas empresas de tecnologia e internet através da Bossa Nova Investimentos. Embora tenha um foco grande em negócios, sempre buscou equilíbrio de vida e hoje compartilha suas experiências no seu blog “Caminho Zen” publicado no site da revista IstoÉ.

David Schurmann

Diretor e produtor, formado em Cinema e Televisão na Nova Zelândia, David iniciou sua carreira internacional com 19 anos como diretor do programa “In Focus” da TV3, na Nova Zelândia, onde viveu por seis anos. Ele dirigiu filmes em mais de 20 países para publicidade, séries de televisão, além de curtas e longas-metragens, recebendo prêmios no Brasil e no exterior. Destaque para seus longas-metragens “O Mundo em Duas Voltas” e “Desaparecidos”.

Além de palestrante, David é o diretor/administrador da empresa Schurmann Produções Cinematográficas e responsável pelo planejamento e desenvolvimento da nova Expedição Oriente.

Wilhelm Schurmann

Aos 7 anos, Wilhelm embarcou com sua família para navegar ao redor do mundo. Ele viveu 10 anos no veleiro, onde estudou por correspondência, aprendeu três idiomas fluentemente, conheceu mais de 42 países e viveu aventuras inesquecíveis. Aos 10 anos, aprendeu a velejar de windsurfe e – apaixonado pelo esporte – tornou-se atleta profissional, participando de competições em vários países do mundo. Unindo talento e dedicação, ele se destacou no cenário nacional e internacional, sendo reconhecido como um dos maiores nome no esporte de windsurfe no Brasil e no mundo em diferentes classes: Formula Slalom, Wave, Speed e longa distância.

Wilhelm ganhou mais de 180 medalhas e troféus nacionais e internacionais em mais de 200 campeonatos, participando de mais de mil regatas. Na Expedição Oriente, Wilhelm será o imediato a bordo do veleiro.

Emmanuel Schurmann

A Expedição Oriente marca o início da participação da terceira geração da Família Schurmann. Emmanuel Schurmann prepara-se para a sua primeira volta ao mundo ao lado de seus avós Vilfredo e Heloísa. Para participar da aventura, há dois anos, ele se dedica a cursos náuticos, entre eles, de vela, navegação e mergulho. Emmanuel também vem participando de treinamentos de mecânica de motor e culinária. O jovem já participa ativamente como tripulante em navegadas de longa distância a bordo do veleiro da família.

Fluente em inglês, espanhol e português, faz aulas de Mandarim. Na terra e no mar, Emmanuel vem passando por uma intensa preparação para viver a realidade de dois anos no mar.

Heitor Cavalheiro (cinegrafista)

O paulistano Heitor Cavalheiro é produtor de cinema e foi o diretor de efeitos especiais de Desaparecidos, filme de David Schurmann. Durante uma conversa entre os dois o membro da família aventureira falou sobre a ideia de ter algum piloto a bordo do barco para fazer imagens aéreas. Imediatamente, decidiu pesquisar e, uma semana depois, se inscreveu num curso de paramotor. Além de aprender a voar, ele também frequentou cursos de vela, mergulho e mandarim.



Publicidade

Últimas Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt