28/08/2015

Secretaria da Agricultura anuncia programas para incentivar a irrigação e desenvolver a piscicultura


A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca anunciou programas para incentivar a irrigação e desenvolver a piscicultura em Santa Catarina. Os programas foram aprovados nesta quinta-feira (27) pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural (Cederural) e devem ser lançados em breve.

Um deles é o programa Irrigar, que deve incentivar investimentos na irrigação de lavouras e pastagens com a subvenção de juros dos financiamentos. O valor financiado pode chegar a R$ 30 mil, com oito anos de prazo para pagar. O secretário Moacir Sopelsa explica que a subvenção dos juros será de, no máximo, 4,5% ao ano. “Se o produtor rural estiver enquadrado no Pronaf, a subvenção será total e o programa será com juro zero. Já para os demais produtores, a secretaria irá pagar parte dos juros”, pontua.

Sopelsa explica que a irrigação das pastagens pode fazer a produção de leite dar um salto de produtividade em SC. Com o uso de irrigação, a produção e a renda da propriedade podem aumentar até 99%. Isso resulta em um crescimento, em cinco anos, de 47% da produção de leite do Estado.

Para fortalecer e modernizar a piscicultura em SC, a Secretaria da Agricultura, por meio do Fundo Estadual de Desenvolvimento Rural (FDR), irá emprestar os recursos necessários para aquisição de kits com equipamentos básicos para o acompanhamento diário das condições do cultivo.

O kit será composto de oxímetro, pHmetro e disco de sechi, no valor de R$ 3.750. Os piscicultores beneficiados terão prazo de dois anos para pagar, sem juros. Caso o produtor pague à vista na data de vencimento da primeira parcela, terá um desconto de 60% sobre o valor da segunda parcela. O secretário da Agricultura ressalta que os piscicultores terão um apoio para investir na atividade e se qualificar ainda mais e os produtores rurais podem encontrar produção de peixes de água doce uma alternativa de renda importante. “Queremos fazer a piscicultura acontecer em Santa Catarina. A atividade tem um grande potencial de crescimento, tanto em produção quanto em produtividade. Os produtores amadores podem se profissionalizar, conquistar mercados e gerar riqueza em sua propriedade”.

O Cederural aprovou, ainda, mudanças nos valores que podem ser financiados nos projetos especiais de Fomento à Ovinocultura e de Apoio à Comercialização de Matrizes de Raças Leiteiras em Exposições e Feiras Agropecuárias. Os dois projetos têm como objetivo estimular o melhoramento do material genético das raças, através do repasse de recursos aos produtores rurais interessados na aquisição de animais expostos em feiras. Para aquisição de matrizes leiteiras, os financiamentos serão de até R$ 6 mil para animais Puro de Origem (PO) ou Puro por Cruza de Origem Conhecida (PCOC) e até R$ 5 mil para animais Puro por Cruza de Origem Desconhecida (PCOD). O limite é de três animais por família com prazo de até 36 meses para pagar, com parcelas semestrais e sem juros.

Para a aquisição de reprodutores ovinos, o limite de recursos é de até R$ 2,1 mil para macho reprodutor com registro de Puro de Pedigree (PP); até R$ 1,8 mil para macho reprodutor Puro por Cruza (PC); até R$ 1.350,00 para macho reprodutor Seleção Ovina (SO); e até R$ 1,5 mil para fêmea de reprodução, que comprove ter sido revisada por técnico credenciado pela Associação Catarinense de Criadores de Ovinos. O limite é de R$ 20 mil por família, que deverá ser utilizado para aquisição de um macho reprodutor e de fêmeas. O pagamento deve ser feito em até 36 meses, com parcelas semestrais e sem juros.

Foto: Nelson Robledo/Secom Itajaí




Publicidade

Últimas Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt