13/02/2008

Sasol irá investir na expansão de exportações de Gás Natural para África do Sul


O grupo sul-africano Sasol, em conjunto com os governos sul-africano e moçambicano, quer aumentar em 20% o envio de gás natural para a África do Sul. Para isso, a petroquímica anunciou que vai investir, em parceria com os dois governos, 1,1 bilhão de randes (R$ 258 milhões) na expansão das exportações de Gás Natural de Moçambique para a África do Sul. O gasoduto faz parte de um projeto de gás natural inaugurado em 01 de junho de 2004 pelos presidentes dos dois países, e visa transportar 240 milhões de gigajoules de gás natural por ano. O investimento anunciado consiste na instalação de uma nova unidade de compressão de gás em Komatipport, na África do Sul, junto à fronteira com Moçambique, para aumentar a capacidade de envio de gás dos atuais 120 milhões de gigajoules anuais para 147 milhões. O gás adicional será usado na expansão da unidade da Sasol em Secunda, a maior do mundo na produção de combustíveis sintéticos. A construção da estação terá início a meio do ano e, assim como o fornecimento de equipamentos, será feita pela empresa sul-africana Foster Wheeler South Africa (Pty) Ltd. A estação de Komatipoort permitirá o aumento do envio de gás natural através dos 865 quilómetros do gasoduto que liga os campos de gás natural de Pande e Temane em Moçambique às centrais da Sasol em Sasolburg e Secunda na África do Sul. Em 2007, o diretor da Sasol em Moçambique, Mateus Zimba, previu um investimento de R$1600 milhões de rands, visando duplicar a produção de gás neste país. A Sasol, em associação com a moçambicana Companhia Nacional de Hidrocarbonetos, explora gás natural desde 2004 em Temane e Panda, na província de Inhambane, gás que é enviado por gasoduto para a África do Sul.


Publicidade

Últimas Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt