quarta, 17 de outubro de 2018
17/05/2018 13:59

Em Florianópolis, Michel Temer anuncia recursos para obras viárias

Presidente participou da abertura 90º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic)

O presidente da República, Michel Temer (MDB), esteve em Florianópolis na noite desta quarta-feira (16) e assinou convênios para obras viárias em oito cidades catarinenses, totalizando R$ 44,1 milhões. Temer participou da abertura do 90º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), realizado na Capital de 16 a 18 de maio. Antes de iniciar o evento, Temer teve uma conversa reservada com o governador de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, que também participou da solenidade no Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, em Canasvieiras. Às 22h, embarcou de volta para a Capital federal.

"Volto para Brasília animado, porque o setor da construção civil é o que mais gera empregos no Brasil e o evento não poderia ter escolhido temática melhor, como a inovação e a tecnologia", destacou Temer. Ao lado de Pinho Moreira e do Ministro do Turismo, Vinícius Lummertz, o presidente autorizou o empenho para finalizar as obras do Centro de Convenções de Balneário Camboriú.

Além disso, Temer defendeu as ações da política econômica. Reafirmou a retomada do crescimento e exaltou a saída da recessão. Citou a queda na inflação, na taxa básica de juros e o crescimento das estatais como reflexos diretos do sucesso de seu governo.

O anfitrião do evento - presidente do 90º Enic e da ASICc (Associação dos Sindicatos da Indústria da Construção Civil do Estado de SC) - Marco Aurélio Alberton, comentou que a indústria catarinense é forte, com grande representação no mercado nacional e que está preparada para auxiliar o restante do país nesta retomada de crescimento.

Indústria da Construção em SC

O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, destacou que o setor de construção catarinense representa 32% dos estabelecimentos industriais, empregando cerca de 90 mil trabalhadores formais. “A queda neste indicador, que reflete a contração da atividade do setor no país desde 2014, foi sentida no Estado apenas em 2015 e, a depender dos sinais no mercado de trabalho, que mostra saldo positivo de empregos de 2,6 mil vagas no primeiro trimestre, 2018 será o ano da reversão da construção, trazendo um impulso para a economia catarinense”.

Na avaliação de Côrte, embora o déficit habitacional do Estado seja o mais baixo das regiões Sudeste e Sul, o setor vem seguindo uma tendência crescente. Entretanto, criticou as deficiências de infraestrutura em Santa Catarina. Para cada real faturado pela indústria catarinense, diz ele, R$ 0,13 são gastos com logística, o que limita a competitividade e o potencial de crescimento do setor produtivo. “Pensando nisso, temos trabalhado firmemente na proposição de alternativas e no diálogo com as lideranças governamentais das esferas municipais, estadual e federal” disse ele.

Futuro

Depois de sofrer os impactos da crise econômica dos últimos anos, o setor da construção civil tem projeções animadoras para 2018: crescer 3,3%, segundo estudo realizado pela Fiesc. Conforme o presidente da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), José Carlos Martins, existem três principais problemas que devem ser discutidos para que o mercado volte a prosperar: a insegurança jurídica, a burocracia e o limite de crédito.

A abertura do ENIC também contou com a participação dos ministros do Tribunal de Contas da União, do Trabalho, Planejamento, Cidades, Indústria Comércio Exterior e Serviços, o presidente do BNDES, da Fiesc e o 1o vice-presidente da Federação Interamericana da Indústria da Construção.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt