terça, 22 de outubro de 2019
28/05/2019 16:14

Superintendente de Itajaí pede exoneração devido à provável liquidação do Portus

De acordo com a Federação Nacional dos Portuários (FNP), a única chance de não liquidação do plano de previdência seria a União honrar a dívida bilionária herdada após a extinção da Portobrás, em 1991, cujo valor é de aproximadamente R$ 1 bilhão, ou seja, um terço da dívida total

O superintendente do Porto de Itajaí (SC), Marcelo Werner Salles, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira, 27 de maio, devido ao déficit bilionário do Portus, o fundo de pensão da categoria dos portuários. O Instituto de seguridade social está em estado de insolvência e liquidação, já que a dívida da União com os trabalhadores é superior a R$ 3 bilhões e nada indica que o Governo Federal irá conseguir reverter a situação.

No pedido de exoneração feito ao prefeito Volnei Morastoni, já que a gestão do Porto de Itajaí é municipalizada, Salles alegou conflito de interesses em caso de permanência no cargo. É provável que os trabalhadores que contribuíram ao longo de décadas com o Portus necessitem ingressar na Justiça contra a União e contra as patrocinadoras (autoridades portuárias).

De acordo com a Federação Nacional dos Portuários (FNP), a única chance de não liquidação do plano de previdência seria a União honrar a dívida bilionária herdada após a extinção da Portobrás, em 1991, cujo valor é de aproximadamente R$ 1 bilhão, ou seja, um terço da dívida total. Parte dos contribuintes já desistiu do plano, mesmo após décadas de pagamentos em dia.

A superintendência do porto catarinense será ocupada interinamente pelo advogado Fábio da Veiga, até então assessor jurídico da casa. Funcionário de carreira, Salles reassumirá suas atribuições originais ao cargo de engenheiro, junto ao setor de Diretoria Técnica da Superintendência do Porto de Itajaí.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt