segunda, 18 de novembro de 2019
06/06/2019 10:56

Equipamentos possibilitarão ao porto operar com condições climáticas adversas

Somente no último final de semana, de 31 de maio a 3 de junho, a forte correnteza do Rio Itajaí-Açu impediu manobras de entrada e saída de 12 navios e gerando um prejuízo superior a R$ 600 mil

O Complexo Portuário deve começar a operar ainda em junho um novo sistema de boias inteligentes. São 16 novos sinais náuticos, incluindo três ADCPs – equipamentos que têm a função de medição de correnteza –, uma estação meteorológica – equipamento que mede a velocidade dos ventos, temperatura, pressão atmosférica – e um marégrafo. Tudo isso com transmissão de dados em tempo real. O investimento total da Superintendência do Porto de Itajaí (SPI) é de R$ 5,9 milhões. “Esse valor incluindo a implantação, operação e manutenção do sistema por 5 anos”, explica o diretor Técnico da SPI, André Pimentel.

“A implantação desse novo sistema deve possibilitar ao Porto de Itajaí e demais terminais que formam o Complexo Portuário do Itajaí operar mesmo em condições climáticas adversas”, relata o prefeito Volnei Morastoni. Hoje, segundo técnicos da SPI, muitas vezes o acesso é considerável impraticável pela falta de informações consistentes, pois a Praticagem e Autoridade Marítima rebem informações de navios que estão ao largo.

Somente no último final de semana, de 31 de maio a 3 de junho, a forte correnteza do Rio Itajaí-Açu impediu manobras de entrada e saída de 12 navios e gerando um prejuízo superior a R$ 600 mil. Cada navio parado representa, para o armador, um prejuízo que varia entre US$ 30 mil e US$ 50 mil por dia. O valor não considera as perdas para a cadeia logística, com eventuais atrasos nas entregas de mercadorias.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt