terça, 04 de agosto de 2020
13/02/2020 14:35

USTDA pode financiar projetos de infraestrutura no Brasil

A agência foi criada com o objetivo de criar empregos nos Estados Unidos por meio da exportação de produtos e serviços do país para projetos de desenvolvimento prioritários em países parceiros

“Tudo começa com uma ligação”, inicia Thomas R. Hardy, diretor da Agência de Desenvolvimento e Comércio dos Estados Unidos (USTDA, na sigla em inglês). Ele se refere à primeira fase para empresas ou governos acessarem os recursos da agência, voltados especificamente para projetos de infraestrutura.

A fala de Hardy, que esteve presente em reunião no Brasil em 5 de fevereiro organizada pela Amcham, faz alusão à facilidade de acesso para propostas brasileiras que, segundo ele, é um dos mercados prioritários. “A indústria norte-americana está ansiosa para fazer parte do crescimento que está ocorrendo no Brasil”, pontua, lembrando que a USTDA teve um aumento de 30% a 40% no investimento em infraestrutura em comparação com 2019.

A agência foi criada com o objetivo de criar empregos nos Estados Unidos por meio da exportação de produtos e serviços do país para projetos de desenvolvimento prioritários em países parceiros. Para isso, a USTDA conecta as empresas norte-americanas às oportunidades de exportação, financiando atividades de projetos, projetos-piloto e visitas técnicas.

Antes da fase de financiamento, existem alguns pré-requisitos para empresas e governos serem contemplados. O principal deles é que os projetos naturalmente criem oportunidades para empresas norte-americanas. Além disso, o plano deve ser de prioridade no Brasil e deve haver existência de possíveis fontes de financiamento para sua realização. Vale lembrar ainda que os setores prioritários são transportes, energia e telecomunicações.

Caso o projeto cumpra esses requisitos, é realizada uma análise prévia dele para estudar a viabilidade e, logo após essa fase, o projeto-piloto é colocado em prática, sendo custeado pela USTDA. “Pela primeira vez em seis anos, o governo dos EUA está analisando como pode ajudar as empresas americanas a exportar seus produtos e serviços para o mercado brasileiro”, comenta Hardy.

Ao fim de todo o processo, é celebrado um acordo de cooperação com a empresa e aberta uma concorrência pública nos EUA. “Essa iniciativa tem o propósito de intensificar a relação bilateral e eu acho que nunca tivemos um momento tão propício para isso”, finaliza.

Para melhor aproveitar as oportunidades no setor de infraestrutura como a USTDA e promover conexões, Foi organizada a Missão Internacional de Infraestrutura, fruto de parceria entre Amcham e Abdib.

Executivos e representantes do governo brasileiro participarão de uma imersão durante cinco dias com uma com uma série de atividades com agentes do setor público e privado ligados à infraestrutura norte-americana.

O programa inclui visitas técnicas, rodada de negócios e roadshow para a apresentação de oportunidades de investimento a potenciais investidores americanos, além de capacitação executiva na Columbia Business School.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt