quarta, 05 de agosto de 2020
21/02/2020 09:22

Praticagem-SP pede mudança de protocolo da Anvisa sobre Coronavírus

A atual medida de inspeção, apenas após o navio atracar, evita que outros profissionais como estivadores e agentes de navegação entrem a bordo em caso de suspeita do vírus

Mesmo após ter sido descartada a presença do Coronavírus (Covid-19) no navio chinês Kota Pemimpin, que atracou na última quarta-feira (19) no Porto de Santos, a praticagem do estado de São Paulo alertou sobre o risco de o prático vir a se tornar vetor de transmissão da doença. Isso porque ele é o primeiro profissional a embarcar no navio para realizar a manobra de entrada no porto. De acordo com o presidente da Praticagem-SP, Carlos Alberto Souza Filho, tem havido uma interpretação distorcida sobre o regulamento sanitário internacional, do qual o Brasil é signatário. Ele explicou que, pelo protocolo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a entrada ao porto não está inclusa na livre prática, autorização para o navio entrar no porto e operar carga e descarga.

Souza Filho alerta que a não inclusão dessa fase operacional do navio nas medidas sanitaristas e de saúde da agência pode colocar em risco a saúde do prático, quem realiza a manobra de entrada do navio. Souza afirmou que o pleito da praticagem é de que esse protocolo seja revisto pela Anvisa, e que esta passe a ser a primeira a entrar no navio, no fundeadouro de quarentena. "Eles (a Anvisa) têm profissionais teoricamente especializados para lidar com essas situações e avaliar as verdadeiras condições dos tripulantes a bordo, mitigando o risco de que o primeiro profissional que vai a bordo, que é prático, seja um vetor da doença para o resto da comunidade”, alertou Souza Filho.

Ele afirmou que a atual medida de inspeção, apenas após o navio atracar, evita que outros profissionais como estivadores e agentes de navegação entrem a bordo em caso de suspeita do vírus, porém deixa de fora o prático. Souza Filho ressaltou ainda que, caso a medida da Anvisa seja a quarentena para o prático que apresentar sintomas da doença, o problema pode ser a redução no número de práticos em exercício, visto que são poucos os profissionais com essa capacitação em Santos.

De acordo com a Anvisa, dois tripulante do porta-contêiner Kota Pemimpin, de bandeira chinesa, apresentaram sintomas de febre e amigdalite ao longo do trajeto. Após a realização da inspeção no Porto de Santos, porém, a suspeita de Coronavírus foi descartada pela agência.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt