sábado, 08 de agosto de 2020
10/07/2020 14:12

Perdas na produção de soja e milho em SC sobem para R$ 375 milhões

Prejuízo causado pela estiagem foi 12,6% maior do que o estimado anteriormente pela Epagri

De acordo com dados divulgados pela Epagri nesta quinta-feira (9), a estiagem causou perdas na produção de R$ 375 milhões nas culturas de soja e milho de Santa Catarina - R$ 237 milhões e R$ 138 milhões, respectivamente. O resultado mostra que o prejuízo causado pela seca foi 12,6% maior que o previsto. Em maio, a Empresa divulgou uma estimativa afirmando que as perdas devido à estiagem nas duas culturas eram de R$ 327 milhões.

As perdas financeiras estão diretamente ligadas à queda na produtividade - colheita por hectare plantado. Apesar do aumento da área plantada, a produção de soja catarinense ficou em 2,29 milhões de toneladas, uma queda de 2,52% em relação às 2,35 milhões de toneladas colhidas na safra anterior. Em termos de produtividade, isso equivale a uma redução de 4,76%.

Na colheita do grão de milho o impacto da estiagem foi ainda maior. Além de apresentar uma redução na área cultivada, a produção do grão caiu de 2,8 milhões de toneladas no último verão para 2,5 milhões de toneladas em 2019/2020, uma diminuição de 10,78%. Já a produtividade ficou na casa de -7,57%.

Das oito culturas apresentadas, apenas no arroz, onde as lavouras estão concentradas próximas ao litoral - menos afetadas pela estiagem - o resultado foi positivo. Nesta safra foram colhidos 1,25 milhão de toneladas do grão, alta de 13,5%. A área plantada e a produtividade também subiram: 4,19% e 8,98%, respectivamente.

Apesar da produção da maioria das culturas ter caído no Estado, a alta no valor dos principais grãos ajudou a amenizar os prejuízos aos produtores. Os destaques são o aumento de 11,4% na saca de arroz irrigado, 9,5% no milho amarelo e de 4,1% na soja industrial.

"Por mais que a estiagem tem atrapalhado a produção, principalmente em comparação com a expectativa inicial da safra, os preços foram compensatórios, principalmente por conta da alta do dólar e pelo volume da importação chinesa", destacou a analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (Epagri/Cepa), Gláucia de Almeida Padrão.



Produção da safra catarinense em toneladas (variação em relação à safra anterior):

- Soja: 2,29 milhões (-2,52%)

- Milho grão: 2,58 milhões (-10,78%)

- Milho silagem: 8,79 milhões (-2,91%)

- Arroz: 1,25 milhão (13,5%)

- Fumo: 205,7 mil (-1,1%)

- Feijão: 94,3 mil (-9,1%)

- Batata: 71,4 mil (-35%)

- Tomate: 142 mil (-3,95%)

 

Estimativa safra de inverno

Durante a conferência, a Epagri também apresentou as estimativas para a safra de inverno 2020/21. De acordo com a Empresa, a expectativa é de aumento na produção na maioria das culturas, principalmente para o alho, a aveia e o trigo.

Apesar do otimismo, a previsão de uma nova estiagem e a pandemia de Coronavírus podem acabar atrapalhando os agricultores.

"Com a previsão de um inverno seco, os produtores podem ficar receosos de não ter água e precisarem utilizar muita irrigação, o que elevaria os custos de produção. Além disso, as lavouras de alho e cebola também usam muita mão de obra, o que pode ser complicado nesses tempo de distanciamento social", explicou o analista da Epagri/Cepa, João Rogério Alves.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt