quinta, 21 de outubro de 2021
05/11/2020 16:58

Innov-al 2: Santa Catarina e Flandres compartilham experiências


Com o objetivo de acelerar, ainda mais, a inovação e a competitividade da economia catarinense, representantes do Governo Catarinense, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), juntamente com a Secretaria de estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Regional, além de atores da academia ao setor privado, como Fiesc, SindCarne, Epagri, Centros de Inovação de Caçador e Chapecó, Acate e Udesc, realizaram o primeiro virtual matching entre Santa Catarina e Flandres, na Bélgica. A ação faz parte do Projeto Innov-al 2.

No encontro, os presentes debateram sobre as principais práticas adotadas pelo Estado catarinense e a região flamenga da Bélgica, principalmente, quando se trata da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) aplicado ao agronegócio.

“A aproximação de Santa Catarina com a Bélgica, mais especificamente a região de Flandres, é uma oportunidade de nos proporcionar grandes avanços tecnológicos e inovadores por meio da troca de experiência com o país que está na 17ª posição no ranking dos melhores IDHs do planeta e que se destaca ainda entre os principais centros de P&D da Europa. O Governo de Santa Catarina aposta na inovação e no trabalho cada vez mais integrado e participativo entre academia, empresas, outros estados e também países. Fortalecendo assim, uma economia colaborativa, criativa e atraindo competitividade e atratividade ao estado”, avalia o Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Siqueira.

Quando se trata de Santa Catarina, o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovações da SDE, Rafael Meyer, destacou os potenciais econômicos do Estado, assim como mostrou que na Rede Catarinense de Inovação, nada é no singular.

“Tudo é pluralizado. Tantos os desafios quanto os benefícios são multiplicados. Quando a gente pensa em um programa, tem que pensar para os 15 centros. E assim são as demais ações. Mas também temos o outro lado da moeda. Logo que surge algum negócio, estando dentro de um habitat, ele tem a mesma quantidade de centros de inovação à disposição. Vai estar conectado a milhares de startups, com centenas de mentores e tem acesso aos diversos programas”, comenta Meyer, destacando que a intenção da SDE é levar os projetos de inovação para todas as demais regiões que possuem associações de municípios.

Representando o Instituto de Pesquisa de Flandres para a Agricultura, Pesca e Alimentos, Bart Minne, explicou que a ILVO realiza pesquisas multidisciplinares, inovadoras e independentes destinadas a uma agricultura e pescas econômica, ecológica e socialmente sustentáveis. 

“A ILVO acumula conhecimento fundamental e aplicado que é vital para a melhoria dos produtos e métodos de produção para o controle de qualidade e segurança dos produtos finais, e para a melhoria dos instrumentos de política como base para o desenvolvimento do setor e política agrícola para as áreas rurais. E pode contribuir muito com Santa Catarina”, reforça Bart.

Um novo encontro deve acontecer em breve. Além de outras trocas de experiências e estabelecer vínculos importantes de cooperação internacional, dois projetos serão desenvolvidos em parceria.

O Projeto Innov-Al

O Projeto Innov-Al é uma iniciativa da União Europeia, com financiamento da Direção-Geral da Política Regional e Urbana (DGREGIO), que apoia a disseminação e a troca de experiência e boas práticas das políticas descentralizadas de inovação e de especialização inteligente em nível regional da Europa com o Brasil. Está sendo executado por um consórcio de consultorias europeias, sob a liderança da Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI). Santa Catarina e Ceará e duas regiões parceiras da Europa compartilham a implementação de políticas descentralizadas de inovação e de especialização inteligente em nível regional.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt