sexta, 12 de abril de 2024
21/10/2022 18:15

Portaria da Marinha autoriza manobras experimentais com navios de até 51 metros de largura


Teste na Bacia de Evolução deve ocorrer ainda neste mês com embarcação de até 335 metros de comprimento e capacidade para transportar mais de 13 mil TEU’s

Nesta quinta-feira, 19, a Superintendência do Porto de Itajaí, na condição de Autoridade Portuária, recebeu Oficio enviado pela Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí. O documento dá publicidade a Portaria nº 36/2022 da Capitania dos Portos de Santa Catarina, autorizando a realização de 50 manobras experimentais de entradas e saídas com navios de até 51 metros de boca (largura), 335 metros de comprimento e 11,2 metros de calado.

Todas as 50 manobras serão experimentais e serão realizadas na área da nova Bacia de Evolução (Baía Afonso Wippel). De acordo com a Portaria, as manobras acontecerão em período diurno, respeitando a menor profundidade observada no complexo portuário, em 13,6 metros, com as devidas condições náuticas e climáticas favoráveis para navegação no canal de acesso ao complexo portuário.

Em fevereiro de 2021, representantes do Armador CMA CGM (França), estiveram reunidos com membros da diretoria da Superintendência do Porto de Itajaí, Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí e Praticagem, onde na oportunidade, apresentaram um projeto de fabricação de uma nova linha de navios com medidas entre 335 e 337 metros de comprimento por 51 metros de largura (boca).  Por meio de oficio, a Portonave solicitou ainda neste semestre junto à Superintendência do Porto de Itajaí, o pedido para a realização das manobras experimentais. Assim como a CMA CGM, outros navios desse porte, também poderão programar suas manobras.

A primeira manobra experimental deste porte, está programada para ocorrer no dia 28 de outubro, sexta-feira da semana que vem, desde que as condições ambientais (vento, correnteza, ondas) estejam propícias para que a manobra ocorra em condições ideais e seguras.

“Devemos receber o navio porta-contêineres “Rio de Janeiro Express” do armador Hapag-Lloyd. Foi recém construído e a sua capacidade nominal é de 13.200 TEU’s (unidade de medida equivalente a um contêiner de 20 pés). Em capacidade é o maior navio de container a operar na costa leste da América do Sul, e outros navios desse mesmo porte virão em seguida. Embarcações maiores e com mais capacidade são tendências do mercado, pois geram muita economia de escala. Esse tipo de navio é excelente para o mercado brasileiro já que é equipado com mais de 2000 tomadas para contêineres refrigerados”, destaca Renê Duarte, Diretor Superintendente da Portonave.

O Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes já opera regularmente com navios de 350 metros de comprimento por 48,50 metros de largura (boca). Com a vinda de embarcações deste porte (335x51), o próximo passo será a busca por condições para manobrar navios com 366 metros de comprimento por 51 metros de largura (boca).

“Este é mais um momento da classe portuária local a ser comemorado. Nosso Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes é o segundo maior em movimentação de cargas do país, e já tivemos a imensa satisfação de recebermos em junho de 2020, o maior navio full contêiner a navegar na costa brasileira, o APL Paris. Operações deste porte tendem a crescer, e isso nos anima, pois no futuro, teremos concluída a segunda etapa das obras da Bacia de Evolução, e então estaremos aptos a receber navios (megaship) de até 400 metros de comprimento. Agora com a vinda de navios deste porte, creio no sucesso destas manobras experimentais, e, após realizadas e analisadas, inicia-se o processo de homologação por parte da Marinha, assim nos credenciando para mais uma etapa de novas conquistas”, avalia Fábio da Veiga, Superintendente do Porto de Itajaí.

Após a realização de cada manobra experimental, relatórios que abordam os aspectos técnicos referentes à devida operação, horários de início e término, condições ambientais observadas durante a realização da manobra, embarcações de apoio envolvidas, entre outros dados da manobra, serão encaminhados para a Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí afim de avaliar as condições de segurança de navegação, visando subsidiar a homologação nos parâmetros operacionais conforme Portaria.

“A Marinha do Brasil no contexto da atuação da Autoridade Marítima junto à sociedade, exerce suas atribuições tendo como um dos principais pilares, a segurança de navegação. No Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes, continuas interlocuções são mantidas entre o agente local da Autoridade Marítima, Autoridade Portuária, os Terminais de Uso Privado (TUP’s) e a Praticagem. As continuas evoluções dos parâmetros operacionais requisitadas, tanto pela Autoridade Portuária como pelos demais terminais para manobras de navios do complexo portuário, são objeto de criteriosa e paulatina análise pela Delegacia da Capitania de Portos de Itajaí, como simulações, estudos náuticos e pareceres emitidos pelo serviço da Praticagem, e, nesta semana, a Capitania dos Portos de Santa Catarina, ao apreciar e aprovar a alteração de parâmetros operacionais previstos nas normas e procedimentos da Capitania dos Portos, estabeleceu a realização de 50 manobras experimentais de entradas e saídas no complexo, onde foram estabelecidas inúmeras exigências, tanto ao Terminal Portonave quanto ao serviço de Praticagem, bem como a necessidade de emissão de relatórios de ambas as partes que serão continuamente avaliadas pela Autoridade Marítima”, informa o Delegado da Capitania dos Portos de Itajaí, Capitão de Fragata, Eduardo Rodrigues de Lima.

O Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes conta atualmente com 17 Práticos, todos com elevado nível técnico e profissionalmente gabaritados para a execução das manobras, sendo referência no país, e acima de tudo, com ampla participação de estudos e simulações, através do resultado de um planejamento, onde todos os envolvidos, possam atuar em operações deste porte, objetivando a segurança de navegação.

“Recentemente completamos mil giros na área da nova Bacia de Evolução com navegação à ré sem qualquer tipo de incidente. A experiência que os práticos ganharam com essas manobras tornará possível que navios ainda maiores comecem a frequentar nosso complexo. Nessa próxima etapa receberemos navios com 51m de boca (largura), trazendo 1,2 mil containers (TEU’s) a mais que os atuais. Serão inicialmente 50 manobras especiais em condições mais restritas de vento e corrente de forma a garantir a segurança pela qual a praticagem de Itajai e Navegantes é reconhecida”, pontua Leandro Pedreschi Caliento, Presidente da Praticagem.

Para o Prefeito de Itajaí em Exercício, Marcelo Sodré, este é mais um evento histórico para o Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes:

“Em setembro deste ano completamos mil giros na área da nova Bacia de Evolução, e isso já nos torna capacitados para estas manobras onde somos referência. Lembro-me ainda muito bem no dia em que o primeiro teste experimental com navio de 300 metros de comprimento foi realizado com sucesso. Tudo isso que vem acontecendo nos últimos anos, quando o assunto são estas manobras, simplesmente é motivo de orgulho e satisfação para a nossa atividade portuária. Ganha Itajaí, ganha Navegantes, ganha o complexo num todo, e, principalmente ganha Santa Catarina por se destacar no cenário portuário nacional e internacional”, conclui Sodré.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt