quarta, 17 de abril de 2024
30/08/2023 15:13

Terminais privados impulsionaram movimentação portuária no primeiro semestre

TUPs registraram aumento em todos os perfis de carga

A Associação de Terminais Portuários Privados (ATP) divulgou, nesta quarta-feira (30/8), análise sobre a importância desse segmento no resultado dos 616 milhões de toneladas movimentadas pelo setor portuário no primeiro semestre. No total, houve crescimento de 6,4% em relação ao mesmo período de 2022.
 
“Destacam-se os terminais de uso privado (TUP), que obtiveram um crescimento de 7,7% nesse total, movimentando mais de 402,7 milhões de toneladas. Os portos públicos cresceram 4%”, informa a ATP. 
De acordo com a entidade, o aumento significativo da movimentação foi registrado em todos os perfis de carga nos terminais de uso privado. 
 
Os terminais que movimentam granel sólido obtiveram, juntos, um crescimento de 8,1%, guiado pelo aumento da movimentação de minérios de ferro (+6,6%) e a soja (24,6%). 
 
Além do aumento dos resultados positivos, a ATP também verificou que, nos terminais de uso privado, vem crescendo a movimentação da soja, mercadoria que, em geral, passa mais pelos portos públicos. 
 
O mesmo crescimento é registrado com as cargas conteinerizadas. Para se ter uma ideia, no primeiro semestre de 2022, os TUPs foram responsáveis pela movimentação de 34,6% da carga conteinerizada no país. Neste ano, a porcentagem subiu para 40,5%. 
 
Todos os principais terminais de uso privado que movimentam contêiner registraram crescimento no primeiro semestre de 2023. Destacam-se: Portonave (+23,5%), Itapoá (+19,8%), Chibatão (9,6%) e Pecém (+5%). 
 
O granel líquido é outro perfil com crescimento significativo nos TUPs (+6,8%), reflexo do aumento da exportação de óleo bruto de petróleo para a China. Segundo o IPEA, o Brasil é um dos países que pode aumentar sua parcela no mercado internacional devido aos cortes realizados pelos países-membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).
 
O que é ATP
A Associação de Terminais Portuários Privados (ATP) foi criada em 24 de outubro de 2013 para representar os interesses e atuar em defesa do segmento portuário privado e na modernização dos portos brasileiros. 
 
As associadas da ATP, juntas, movimentam 56,7% da carga portuária brasileira e respondem pela geração de 47 mil empregos diretos e indiretos. São empresas que se destacam por suas performances positivas e por recordes sucessivos de movimentação. 
 
As associadas atuam em áreas fundamentais da economia brasileira, como os setores de mineração, siderurgia, petróleo e gás, agronegócio, contêineres e complexos logísticos, contribuindo para o saldo positivo da balança comercial nacional e para tornar o comércio exterior brasileiro mais robusto.

 




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt