25/08/2008

TAM inaugura maior terminal de cargas em Manaus


O maior terminal da TAM Cargo, o braço de cargas da TAM Linhas Aéreas, será inaugurado hoje em Manaus e sua ampliação faz parte dos R$ 22 milhões que a empresa está investindo este ano em seis dos seus 42 terminais no Brasil, entre eles o do aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, e o de Guarulhos, em São Paulo. Com uma área de 11 mil metros quadrados, o novo terminal de Manaus é três vezes maior que o anterior, implantado há 12 anos na capital do Amazonas, quando foi criada a TAM Cargo, e terá capacidade para movimentar 80 toneladas de carga por dia. Responsável por 5% da receita bruta da TAM Cargo no primeiro semestre de 2008, que revelou um crescimento de 33% sobre o mesmo período de 2007, atingindo R$ 470 milhões nos mercados doméstico e internacional, Manaus é a segunda maior base de faturamento da TAM Cargo - atrás apenas de São Paulo que detém 30% da tonelagem e da receita. "Com a ampliação, o terminal de Manaus deverá melhorar ainda mais sua performance e poderá crescer entre 20% e 25% sobre a atual movimentação de cargas que chega a 1.500 toneladas por mês", calcula o gerente comercial da TAM Cargas, Ricardo Torres. A expectativa é explicada pelo crescente aumento da produção da Zona Franca de Manaus e pelo aumento de vôos internacionais no aeroporto Eduardo Gomes, o terceiro maior do Brasil em movimentação cargueira, que hoje opera 24 vôos da TAM por dia. Segundo Torres, o fluxo de cargas entre Manaus e São Paulo mantém um equilíbrio que garante a operação de um vôo diário com carga paletizada, num avião de passageiros que transporta entre 18 e 20 toneladas de cargas. Com isso, a empresa é a única a oferecer a regularidade no transporte com paletes e passa a concorrer com os eventuais vôos cargueiros que brigam pelo mercado, atuando em períodos dispersos, apenas quando há cargas. "Nosso diferencial é a pontualidade e a regularidade. Por usarmos vôos de passageiros, não podemos atrasar", explica o gerente comercial, sem descartar a possibilidade da companhia adotar um vôo cargueiro se a demanda exigir. "Fazemos estudos a cada quatro meses e avaliamos custos e demandas. Mas hoje, com o preço do barril de petróleo, o combustível representa 40% dos nossos custos. Num cenário de valorização do real perante o dólar e a agressividade tarifária da concorrência, não é o momento de termos um cargueiro entre Manaus e São Paulo". Para atrair mais indústrias à sua carteira de clientes, a TAM Cargo vai mostrar serviços que já estão consolidados no mercado doméstico como o TAM Cargo Próximo Vôo, que garante o transporte de encomendas urgentes, e o TAM Cargo Próximo Dia, que entrega no dia seguinte ao recebimento da encomenda, além do TAM Cargo Internacional, utilizado para importação de cargas entre aeroportos brasileiros e estrangeiros e o TAM Cargo Convencional, voltado para grandes volumes no mercado doméstico. No novo terminal, que terá uma câmara fria e 12 racks com capacidade para até 6 toneladas cada, a TAM Cargo estima que o tempo gasto na movimentação das cargas, no sistema cross docking, poderá ser reduzido em até um dia. A instalação de um posto da Secretaria da Fazenda do Amazonas, no próprio terminal também irá agilizar o trâmite de mercadorias para os clientes, e deve ocorrer dentro de 60 dias. Fonte: Gazeta Mercantil


Publicidade

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt