sexta, 23 de fevereiro de 2018
22/02/2018 15:50

Anvisa se moderniza e traz incentivos à importação

A mudança dos processos com a chegada da tecnologia acarretará benefícios aos setores público e privado e aos consumidores finais, que poderão pagar mais barato em medicamentos

Responsável por regulamentar e fiscalizar tudo o que está relacionado a produtos farmacêuticos, insumos químicos, equipamentos para saúde, cosméticos, perfumes e produtos para higiene pessoal, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) está com foco em mudar diversos procedimentos com o intuito de modernizá-los e, assim, facilitar processos que impactam desde as companhias até o consumidor final.

O caminho já começou a ser traçado com as mudanças na RDC (Resolução de Diretoria Colegiada) 81/08, publicadas na primeira semana de janeiro, que visam agilizar o processo de aprovação de licenças, bem como simplificar a interpretação da norma, que é longa e pode gerar dúvidas para o importador.

Ocorreram mudanças de mentalidade, na qual demonstra-se maior confiança da ANVISA na Receita Federal, visto que o importador não mais necessitará informar um produto que está sendo trazido para Entreposto Aduaneiro. Em paralelo a tudo isso, o órgão sanitário continua o aperfeiçoamento da implantação do peticionamento eletrônico para importação. O intuito é que o importador insira as informações relacionadas ao processo de forma eletrônica. 

“Vivenciamos, nesse momento, um grande movimento da ANVISA em direção à utilização de mais tecnologia, em busca do nível que a Receita Federal já utiliza no cenário atual. Percebemos que há um grande esforço por parte das autoridades para diminuir o tempo do processo de importação, tornando assim as empresas brasileiras mais competitivas frente ao comércio internacional”, afirma Yuri da Cunha, Especialista em Processos de Comércio Exterior da NSI, companhia especializada em soluções para a cadeia logística de grandes indústrias importadoras e exportadoras e única com as soluções 100% web.

Mudanças relacionadas ao gerenciamento de riscos também devem acontecer em breve, conforme consulta pública disponível até o início de fevereiro. O objetivo do órgão é implantar um sistema de parametrização parecido com o da Receita Federal, que tem canais de riscos de conferência aduaneira. Em pouco tempo, essa parametrização deverá ocorrer de forma automática, conforme mencionado pela liderança da ANVISA em alguns fóruns.

O despertar tecnológico da Anvisa acarreta impactos positivos para as empresas. Um produto farmacêutico, com alto valor agregado, apresenta rápida depreciação, uma vez que a data de validade não é extensa. Se o tempo de importação diminui pela metade, ou seja, de vinte para dez dias, o resultado é direto no lucro e na competitividade das companhias. Isso acontece devido à maior previsibilidade por menores custos de movimentação e por menores perdas devido à inutilização de uma carga.

Além do setor privado e Governo, que compra muitos remédios, a benesse também chega ao consumidor final, uma vez que o preço dos medicamentos, por exemplo, pode cair consideravelmente com toda a redefinição de processos para importação. Assim, um grande ciclo virtuoso se inicia e movimenta a economia graças à modernização da Anvisa.

De acordo com Yuri, esse é o grande momento para as companhias também investirem em tecnologia que apoie os processos internos. “Os gestores precisam ter em mente que a oportunidade está dada e continua a crescer, e é hora de se prepararem também para conseguirem novos negócios e posição de destaque no mercado. A tecnologia especializada em comércio exterior permite que a empresa atue de forma inteligente e demande menos energia no gerenciamento de processos e foque nas oportunidades de negócio”, finaliza o especialista.

Fundada em 1986, a NSI desenvolve aplicativos para otimização da gestão de processos de comércio exterior. Primeira empresa no Brasil a integrar seus aplicativos aos principais sistemas ERPs do mercado e a disponibilizar uma aplicação 100% WEB para gestão do comércio exterior. A companhia é integrante do Grupo Cassis, que conta com mais de 250 colaboradores e 3 mil clientes em todo o Brasil.

 




© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt