Notícias de Última Hora

Terça, 21 de Janeiro de 2014

Fecharam-se as cortinas de 2013, um ano que teve de tudo no noticiário nacional. Desde manifestações nunca dantes vistas, feitas por gente de todas as idades, credos, ideologias, lugares, até um pequeno aperitivo da Copa do Mundo de futebol, a ser realizada no Brasil neste 2014 que dá seus primeiros esboços. A Copa das Confederações serviu para vermos o quão atrasado estão alguns estádios e a maioria das prometidas e propagadas obras de infraestrutura.

Mas isso não é novidade. Novidade boa, aliás, foi a certeza da instalação da montadora de carros alemã BMW em solo barriga-verde, mais precisamente em Araquari, no Norte de Santa Catarina. E, um bom sinal, veja só, é o fato de que os setores de veículos automotores e autopeças e produtos de metais foram destaques da economia de Santa Catarina no ano passado. Apesar disso, também houve recuos em alguns setores quando comparado o período analisado de 2013 com 2012.

Em suma, a indústria catarinense teve um ano cheio de desafios, bem como outros estados brasileiros e países dos cinco continentes. E como já havia feito na edição do último mês de dezembro, quando produziu uma retrospectiva dos fatos mais importantes de 2013, a Revista Portuária – Economia & Negócios traz agora uma projeção feita pela entidade que zela pelas indústrias catarinenses, para saber o que podemos esperar de bom neste ano que começa.

Contexto de 2013

Em um ano marcado por aumentos na inflação e nos juros, a indústria catarinense registrou crescimento de 2% em produção e vendas até outubro de 2013. O avanço na produção, no entanto, não foi suficiente para se recuperar do recuo de 2,9% registrado no mesmo período de 2012. Entre os segmentos que tiveram as maiores altas na produção no ano passado estão metalurgia básica, vestuário e celulose e papel.

No faturamento, a elevação ocorreu a despeito da queda nas exportações, sendo impulsionado pelo consumo interno. Merecem destaque neste indicador os setores de veículos automotores e autopeças e produtos de metais, sendo que ambos estiveram entre os maiores recuos de 2012. Estes dados foram apresentados pelo presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Glauco José Côrte, em entrevista coletiva à imprensa no dia 17 de dezembro, ao apagar das luzes de 2013.

O dado positivo do balanço é a criação de emprego. A indústria catarinense de transformação foi a segunda maior geradora de postos de trabalho no Brasil em 2013. Até outubro, foram abertas 38,7 mil vagas, o que representa alta de 6% sobre o registrado no mesmo período de 2012. Todos os 12 setores industriais registraram alta. Mas, em números absolutos, os maiores geradores de emprego foram os setores têxtil e vestuário, com 12 mil novas vagas, e madeira e móveis, com 4,6 mil. "Este investimento mostra a expectativa do industrial catarinense na recuperação da economia no próximo ano", afirmou Côrte.

Com aumento de 2% na produção e de 0,9% no número de horas pagas, a produtividade do trabalho registra elevação de 1,2% no ano. O indicador é impulsionado pelos setores de metalurgia básica e vestuário e acessórios. Já as maiores quedas de produtividade foram verificadas em borracha e plástico e máquinas e equipamentos.

Somando US$ 7,982 bilhões até novembro, as exportações catarinenses têm queda de 3,1% sobre o registrado no mesmo período de 2012. Entre os dez produtos mais exportados pelo Estado, os maiores recuos estão concentrados nos segmentos de motocompressores elétricos e carnes e carcaças de suínos.

Já as importações estão em alta. Com US$ 13,629 bilhões, os desembarques estão 1,73% superiores aos registrados em 2012. Os produtos com maior alta são automóveis e fios de poliéster. Assim, a balança comercial superou, já em novembro, o déficit recorde registrado no ano passado inteiro. Nos 11 primeiros meses de 2013, o saldo está negativo em US$ 5,647 bilhões, contra os US$ 5,629 bilhões de 2012.

2014: Ano de Copa do Mundo e da indústria

O setor industrial catarinense projeta para 2014 um desempenho ligeiramente melhor que o registrado neste ano, mas sem grandes aumentos nos indicadores. Espera-se nas indústrias o impacto do aumento no preço dos insumos importados e uma desaceleração nos reajustes salariais ao longo do ano. Também estão previstos o desaquecimento do mercado de trabalho e a diminuição da oferta de crédito. Por outro lado, o dólar valorizado tende a gerar ganho nas exportações.

Outro fator que pode influenciar positivamente o desempenho da indústria é a implementação dos projetos federais de melhoria da infraestrutura, uma reivindicação antiga dos industriais. "É um plano ambicioso. Se o governo conseguir executar suas etapas previstas, incluindo as ferrovias, teremos condições de crescer em 2014 até um pouco mais do que em 2013", afirmou Côrte.

A indústria de alimentos, principal segmento industrial de Santa Catarina, segundo o valor de transformação, vê sinais de retração do mercado interno para 2014, mas aposta na ampliação das vendas para o mercado japonês, que neste ano se abriu aos produtos do Estado, após anos de negociação. 

Com a diminuição do mercado interno de automóveis de passeio neste ano, a aposta da cadeia automobilística para 2014 é na continuidade da recuperação do setor de ônibus e caminhões. Mesmo assim, não há certeza sobre a sustentação da demanda no segmento.

A indústria têxtil deve seguir com alta nos custos e baixa produção, como vem registrando nos últimos anos. A de vestuário, que se expandiu em 2013 graças ao mercado interno, deve manter o viés positivo em 2014, mas sem grandes elevações.

Nacionalmente, dados do Banco Central apontam para alta de 2,1% no PIB em 2014, sendo que o setor industrial deve acelerar um pouco mais: 2,25%. São esperados ainda inflação de 5,92% (IPCA), mais próxima do teto da meta, dólar na casa de R$ 2,40 e uma forte elevação no saldo da balança comercial, dos estimados US$ 1,25 bilhão em 2013 para US$ 7,45 bilhões no próximo ano.




Terça, 21 de Janeiro de 2014

A Portonave teve desempenho 13,8% superior a 2012 na movimentação de contêineres em 2013 e manteve a liderança na operação de cargas conteinerizadas em Santa Catarina, respondendo por 46% do market share. Foram movimentados, em 2013, 705.790 TEUs (unidade de medida equivalente a um contêiner de 20 pés), contra 620.026 TEUs no ano anterior.

Os resultados da empresa são mais expressivos quando comparados aos números apresentados pelo comércio exterior brasileiro. Enquanto as exportações brasileiras apresentaram desempenho abaixo do registrado em 2012 e tiveram queda de 1% – segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) – na Portonave, as cargas enviadas ao exterior tiveram alta de 11,4%. As exportações de cargas refrigeradas ou congeladas somaram 41% de tudo que foi exportado pela Portonave. Entre as cargas reefers, mais de 90% são de carnes congeladas, o principal produto exportado pelo Terminal.

Já as importações brasileiras cresceram 6,5% em 2013, enquanto que as cargas importadas movimentadas pelo Terminal subiram 18,5% no período. O plástico, seguido pelos produtos diversos (Made in China) e as cerâmicas lideraram as importações na Portonave.

Atracaram em 2013 no Terminal Portuário 528 navios, 66 a menos que 2012. A queda é explicada pelo aumento no tamanho das embarcações, que causou a diminuição no número de escalas, mas o aumento no volume de cargas.

O ano de 2013 trouxe ainda outros resultados positivos para a empresa. O Terminal se consolidou como o mais bem equipado do Estado, com seis portêineres, 18 transtêineres, 2 guindastes MHC, 25 Terminal Tractor e seis empilhadeiras; venceu o prêmio internacional Lloyd’s List Awards na categoria Operador Portuário do Ano e conquistou o Prêmio ADVB/SC na categoria Preservação Ambiental. 




Terça, 21 de Janeiro de 2014

 As reservas provadas da Petrobras no pré-sal em 2013 cresceram 43% quando
comparadas ao ano de 2012. Atualmente, mais de um quarto das reservas
provadas da Petrobras são provenientes do pré-sal. Em 2013, a
perfuração de 42 poços nesta fronteira exploratória, associada ao
excelente desempenho das plataformas em produção permitiu este salto de
reservas.



Terça, 21 de Janeiro de 2014

 O governador Raimundo Colombo e o presidente da indústria ArcelorMittal Brasil, Benjamin Baptista Filho, assinaram na manhã desta sexta-feira (17) o protocolo de intenções para ampliação da produção da empresa em São Francisco do Sul. A instalação de equipamentos que vão permitir ampliar a capacidade de produção deve ser iniciada ainda neste primeiro semestre e cerca de 350 novos empregos diretos e indiretos devem ser gerados.
      “O setor siderúrgico é estratégico, e a ampliação de uma fábrica já consolidada fortalece muito nossa economia. É uma ótima notícia para o desenvolvimento do Estado e representa uma importante base para outras indústrias, como as do setor automotivo. O crescimento de um setor puxa outro”, disse o governador.
Em cinco anos, a empresa deve investir R$ 650 milhões e aumentar o faturamento anual em R$1 bilhão. Para a ampliação da produção, a ArcelorMittal Vega utilizará benefícios dos programas Pró-Emprego e Prodec. “O apoio do governo estadual é essencial para podermos conduzir novos projetos”, afirmou o presidente da companhia no Brasil, Benjamin Baptista Filho, que residiu em Santa Catarina durante 14 anos. Ele destacou que a planta da indústria no Estado é hoje referência mundial, sendo replicada inclusive na China.
      O secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni, colocou em destaque o grande volume de investimentos que deverá movimentar bastante o desenvolvimento da região. “Este ano vamos continuar investindo no aquecimento da economia. Os benefícios que o Estado oferece aos empreendimentos propiciam direta elevação da oferta de empregos”, disse. O presidente da Fiesc, Glauco Côrte, também participou da reunião, junto com demais diretores da ArcelorMittal.





Terça, 21 de Janeiro de 2014

A supersafra de grãos este ano, segundo estimativa divulgada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), deve movimentar 196,7 milhões de toneladas de grãos, com  crescimento de 5,2% em relação à anterior. Diante deste quadro, transportadores acreditam que aumento do volume a ser transportado deve pressionar o frete em pelo menos 10% e a preocupação com o caos logístico coloca em questão a necessidade do investimento maciço em infraestrutura e em soluções intermodais de transporte.
Entre os diferentes modais, por exemplo, a aplicação pública e privada deve somar R$ 163 bilhões até 2017, de acordo com o boletim Perspectivas do Investimento, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No caso das rodovias, o investimento será de R$ 62 bilhões, o que equivale a uma alta de 16% em relação a 2013. Já o  setor portuário receberá R$ 34 bilhões com o programa de concessões do governo federal e de parcerias público-privadas. O valor será 124% superior ao desembolsado no de período de 2009 a 2012 e é uma resposta à pressão do aumento das transações internacionais de mercadorias e commodities em geral.
Esse é o caso dos portos de Paranaguá e Antonina, no Paraná, que receberam mais de R$ 247 milhões em melhorias, especialmente em projetos para aprimorar a infraestrutura operacional. "Iniciamos 2014 com perspectivas de novos investimentos, algo em torno de mais R$ 100 milhões, em melhorias na estrutura. Estamos batendo recordes a cada ano, melhorando os nossos índices de produtividade e, com isso, conseguindo fazer com que os operadores reduzam seus custos operacionais -- o que reflete em toda a cadeia logística. Isso tudo, com muito planejamento e organização", explica o superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Dividino. Em 2013, a movimentação de cargas atingiu novo recorde com 46, 1 milhões de toneladas. O volume projetado para este ano, entretanto, ainda não foi definido.
Termômetro para o mercado, a Intermodal South America 2014, segunda maior feira do mundo dos setores de transporte de carga, logística e comércio exterior, que será realizada entre os dias 1 e 3 de abril, em São Paulo, apresentará os investimentos em tecnologia e serviços em curso nos maiores portos do mundo e a possibilidade estratégica de geração de negócios. "A Intermodal é sempre uma excelente oportunidade para conhecermos novas práticas, tecnologias, trocar experiências e, para os nossos parceiros, é uma porta para novos negócios", finaliza o superintendente.
Além dos portos de Paranaguá e Antonina, até o momento a Intermodal 2014 conta com a presença de mais de 42 portos entre nacionais e internacionais, que traduzem o que há de mais moderno na atividade portuária mundial.
*Sobre a Intermodal South America 2014 - www.intermodal.com.br*
Com 20 anos de história, a Intermodal South America é o 2º maior evento do mundo para os setores de logística, transporte de cargas e comércio exterior. O evento reúne, em três dias, os principais players do mercado nacional e internacional, impulsionando negócios e parcerias, servindo de plataforma para lançamentos, reforço de marca, joint-ventures, vendas e networking. Em sua última edição, reuniu mais de 600 empresas, representando 26 países e atraiu 48.500 visitantes. Em 2014, a Intermodal acontece entre os dias 1 e 3 de abril, das 13 às 21 horas, no Transamerica Expo Center, em São Paulo (SP).
*Sobre a UBM Brazil - www.ubmbrazil.com.br*
No Brasil desde 1994, sendo a primeira multinacional a entrar no mercado brasileiro de feiras, a UBM Brazil é uma das 50 subsidiárias da UBM Internacional. Com escritório na cidade de Barueri, em São Paulo, a UBM Brazil conta com a colaboração de mais de 60 funcionários e realiza atualmente mais de 12 feiras no Brasil.





Terça, 21 de Janeiro de 2014

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) alterou o Convênio ICMS 91/91, que trata da isenção do ICMS sobre os free shops. No novo texto, publicado no Diário Oficial da União, em 15 de janeiro, os governos estaduais estão autorizados a isentar o ICMS das operações realizadas por lojas francas localizadas em aeroportos internacionais e em sedes de municípios caracterizados como cidades gêmeas de cidades estrangeiras.
                              Este tipo de política comercial já existe em países como Argentina, Chile e Uruguai, sendo responsável pela atração de turistas e geração de renda. Para a Fecomércio SC, é importante que o Brasil também adote estas medidas, permitindo, entre outras coisas, aumentar as compras de estrangeiros em viagem de turismo no Brasil.
                              A extensão da difusão de benefícios dessa medida é maior do que o estabelecimento de um patamar mais justo de concorrência com cidades estrangeiras de fronteira, que já adotam os free shops. Com a ação, que tem potencial de atrair turistas para o Brasil, outros setores também podem ser beneficiados, como hotéis, restaurantes e o comércio em geral.
                              Impacto nas vendas
                              A despeito dos inúmeros benefícios, os riscos merecem atenção. O comércio local, não atingido pela renúncia fiscal que representa a medida, pode sofrer o impacto de redução de volume de vendas e da receita nominal, dada a atração que a zona de free shop pode ter sobre os consumidores brasileiros. Portanto, a exemplo do que já acontece nas compras em aeroportos, regulamentadas por uma Instrução Normativa da Receita Federal (863/2008), é necessário que cotas de compra sejam estabelecidas e que haja a formação de um rigoroso controle para evitar fuga de demanda de um tipo de atividade comercial para outra.
                              É também importante ressaltar que a alteração no Convênio de ICMS é apenas autorizativa, devendo o governo do Estado regulamentar a matéria por meio de decreto. Assim sendo, a Fecomércio SC atuará para que o governo altere o regimento de ICMS, permitindo a isenção do imposto nas operações em questão.




Terça, 14 de Janeiro de 2014

Aos fundos do campus da Univali, em Itajaí, numa sala do quarto andar de um dos prédios da Saúde, pessoas com espírito empreendedor encontram um suporte que muitas vezes lhes é sonegado pela voracidade do mercado: ali, entre professores e colegas, os jovens empreendedores podem errar. Errar antes para acertar depois. Esse é o objetivo primordial da Incubadora Tecnológica Empresarial da Univali, que apoia o empreendedorismo de acadêmicos, egressos e, a partir deste ano, da comunidade em geral no desenvolvimento de novas empresas, produtos e serviços, sempre com foco em inovação e geralmente adornados com requintes de tecnologia.

Coordenada pelo professor Ricardo Boeing da Silveira, a Incubadora tem uma definição comum para todas as universidades, centros e núcleos que desenvolvem a prática, visando sempre ajudar as empresas em seu estágio inicial, muitas vezes o mais difícil. “É como se fosse uma incubadora de recém-nascido, o qual a criança precisa de mais cuidados e tal, porque não está preparada. A mesma coisa é a Incubadora de Empresas, a gente oferece um cuidado extra para as empresas que estão começando, que precisam de algum cuidado, alguma consultoria ou assessoria no início de sua vida”, explica Boeing.

O professor ressalta que é notório, tanto em rápida análise no mercado como em estatísticas pelo Brasil afora, o fato de que dados e números comprovam que a maior taxa de mortalidade das empresas ocorre nos dois primeiros anos de vida. A Incubadora também serve para precaver essa realidade, pois basta uma rápida caminhada pelo centro de cidades como Itajaí e Balneário Camboriú para perceber que muitas empresas fundadas em 2011, 2012, simplesmente fecharam as portas. “Prestamos toda a assessoria para que as empresas consigam passar por esse momento mais turbulento de sua vida, os primeiros dois anos”, pontua.

A Minha Casa Mais Bonita é uma das 14 empresas que atualmente estão em processo de incubação, no Núcleo de Inovação Tecnológica da Univali (Uniinova). A empresa dispõe de um espaço, dentro da universidade, com mobília, computador, telefone, acesso a internet, e sala de reuniões. “Além de nos poupar despesas, temos o acompanhamento de um tutor, assessoria jurídica, contábil e empresarial, durante a incubação. Esse suporte faz toda diferença para as empresas atravessarem o primeiro ano”, enfatiza Carlos Eduardo Medeiros, 31 anos, um dos sócios da Minha Casa Mais Bonita.

 

Requisitos para ser um incubado

Até o último edital realizado pela Incubadora, que se encerrou em junho de 2013, o principal requisito para interessados a ingressar no programa era ser aluno ou ex-aluno da instituição. No entanto, a partir de 2014, Boeing avisa, essa regra será derrubada, pois muitos talentos podem ser desperdiçados com esse pequeno entrave.

“A gente sabe que várias pessoas não estudaram na Univali, mas podem ser inovadoras, e a gente quer apoiar essas ideias também”, revela, para dizer que para ser um incubado não é necessário o postulante ter curso superior. “Apesar de ser da Academia, a gente vê que grandes empresários mundiais não terminaram a faculdade, como o próprio exemplo do Bill Gates e do Steve Jobs”, completa.

Sem a obrigatoriedade de ter passado pelos bancos acadêmicos, o principal requisito é ser inovador, mesmo com um produto ou serviço que já exista, a inovação é a alma do negócio. Existem alguns cursos que se destacam por serem mais inovadores, como é o exemplo das engenharias, da computação e da oceanografia. Boeing acredita que isso se dê pela motivação que esses alunos acabam adquirindo no decorrer dos respectivos cursos, notadamente mais complicados que muitos.

“A inovação se verifica quando os jovens incluem uma nova variável no empreendimento, começam a dar ofertas diferentes a determinado produto, propõe a implementação de alguma característica ainda não disponível no mercado, enfim, quando criam alguma coisa nova ou diferenciada”, explica o professor.

A Incubadora Tecnológica Empresarial tem capacidade para atender até oito empresas em tempo integral. Já compartilhando o tempo, a Incubadora pode triplicar a capacidade de atendimento. “Se cada empresa, se cada empreendimento puder vir num período, a gente pode chegar a 24 empreendimentos incubados, bem mais do que os 10 que temos atualmente”, afirma Boeing, antes de lembrar que a partir de 2014 a Incubadora pretende contar com mais de 20 empresas incubadas.

E a reação do mercado a essas iniciativas empreendedoras surgidas na Univali? Boeing avalia que é positiva, uma vez que órgãos de fomento a inovação, como o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), a Fiep (Federação das Indústrias do Paraná) e o Sebrae, estão dando mais oportunidades para as incubadoras que existem, aumentando a capacidade de assessoria, consultoria e níveis de estrutura. “A gente vê que esses órgãos têm recursos para irmos buscar, assim como vemos que empresas e o mercado estão valorizando essas iniciativas inovadoras”, observa Boeing.

Passo a passo

Para ter a chance de ingressar na Incubadora Tecnológica Empresarial da Univali, é necessário seguir alguns passos, segundo Boeing. O edital, geralmente, é lançado em maio. Depois de feito o anúncio, os interessados têm um mês para fazer a descrição das propostas, o que pretendem do projeto e qual o fator inovador da ideia. “Após a entrega das propostas, fazemos uma avaliação delas seguida de triagem, na qual ficam as melhores. Então, chamamos essas propostas para uma oficina, que a gente chama de ‘Curso de Modelagem de Negócios’. Esse curso aconteceu pela primeira vez em 2013, mas queremos dar continuidade. Ele acontece em julho, dura três semanas durante o período vespertino e, nesse período, além do tino para negócios, a gente consegue perceber mais características empreendedoras de alunos, como a pontualidade, a motivação, a responsabilidade... Depois disso, os chamamos para uma banca, de onde saíra a nota de cada um”, relata, acrescentando que a nota é uma média de três etapas: a proposta, a participação no curso e a banca. Depois disso, entre o final de julho e o início de agosto, os de melhor nota na soma dos quesitos viram incubados.

Produtos do site Minha Casa Mais Bonita estão no The Voice Brasil

O site Minha Casa Mais Bonita está em horário nobre na TV Globo. Dois produtos da empresa compõem o cenário da segunda temporada do The Voice Brasil, programa de música que agora é exibido após a novela Amor à Vida, nas quintas-feiras. Escolhidos pela própria emissora, o kit almofadas Boombox e a mesa de centro X Disco já apareceram na sala de espera do programa, local onde os participantes ficam antes de se apresentar.

No ar desde o dia 12 de dezembro de 2012 e com mais de 9 mil curtidas em sua página no Facebook, o site oferece mais de 300 produtos com diferentes temáticas e design criativo. Nas peças escolhidas para o The Voice Brasil, a referência que aparece na estampa e na forma dos produtos é a música.
“Nossos produtos que foram escolhidos pela TV Globo combinam muito com o programa não só pelo fato de terem a música como inspiração, mas também porque têm qualidade e estilo”, diz Carlos Medeiros, sócio da Minha Casa Mais Bonita, junto com Natalia Schossland, 27 anos.

O site – www.minhacasamaisbonita.com.br também oferece armários baixos e horizontais, panos de prato, acessórios para a casa e moringas, além de produtos das conceituadas marcas Coca-Cola e Tramontina.

Localizada em Balneário Camboriú, a Minha Casa Mais Bonita atende a demandas em todo o Brasil. Os sócios Carlos Medeiros e Natalia Schossland resolveram apostar no projeto quando perceberam que o valor para decorar uma casa com produtos diferenciados era muito alto. Eles também trabalharam durante dois anos no site de compras coletivas Peixe Urbano, onde adquiriram experiência no segmento online.

Da necessidade, surgiu a oportunidade de negócio e a missão do site: ajudar as pessoas a deixar a casa mais bonita, com produtos de qualidade, design moderno e preço acessível. E você, leitor, tem uma ideia bacana que possa ser inovadora em algum segmento? Se tiver, não perca tempo e comece logo a amadurecer esse projeto, para quem sabe em breve estar incubado na Univali.

 




Terça, 14 de Janeiro de 2014

O Salão Náutico Internacional de Itajaí, inicialmente programado para acontecer entre 11 e 16 de fevereiro, foi adiado para novembro. A assessoria de imprensa do Itajaí Le Salon e a Secretaria de Turismo da Prefeitura Municipal de Itajaí confirmaram a informação, mas não revelaram os motivos para a mudança de data.


Entretanto, especula-se que os motivos para o adiamento seriam a coincidência de datas do Salão Náutico de Itajaí com o Miami Boat Show, importante evento para o mercado náutico da América do Sul, que acontece entre 13 e 17 de fevereiro, e o fato da marina pública de Itajaí, que sediará o evento, só ficar pronta no outono.


Christophe Veux, diretor do Grand Pavois, que organiza o Itajaí Le Salon, afirmou que a decisão de adiar o salão náutico foi feita juntamente com a Prefeitura Municipal de Itajaí. E Darlan Martins, diretor de planejamento da Secretaria de Turismo de Itajaí diz que a organização pediu a mudança e as duas partes encontram juntas uma nova data para o Salão Náutico Internacional de Itajaí. A data oficial ainda não foi divulgada.



Terça, 14 de Janeiro de 2014

O Grupo BMW vendeu mais veículos em 2013 do que nunca antes na história da empresa. Um total de 1.963.798 veículos BMW, MINI e Rolls-Royce foram comercializados em todo o mundo, um aumento de 6,4% em relação ao recorde anterior de 2012 (1.845.186). As três marcas reportaram resultados recordes no ano que passou, reforçando a posição da empresa como principal fabricante mundial de veículos premium. O Grupo BMW terminou o ano com força, com um total de 186.786 veículos vendidos em dezembro, um aumento de 2,9% em relação ao mesmo mês de 2012 (181.571 unidades).

 

Ian Robertson, membro do Conselho Administrativo da BMW AG, responsável por Vendas e Marketing BMW, afirmou: "O grupo registrou vendas recordes mais uma vez em 2013 e é claramente o líder no segmento premium. Esse sucesso pode ser atribuído aos nossos modelos atraentes e inovadores, à força de nossas marcas premium e nossa estratégia de vendas equilibrada em todos os continentes. Apesar da turbulência que prevalece em muitos mercados, nosso objetivo é aumentar as vendas e fazer de 2014 mais um ano recorde."

 

As vendas da BMW subiram 7,5% em 2013 e alcançaram 1.655.138 veículos, um marco para o negócio (ano anterior: 1.540.085). A BMW também atingiu seu recorde de vendas para o mês de dezembro, com um total de 155.835 veículos comercializados - um aumento de 2,3% em relação ao ano anterior (152.286). Um dos principais fatores de sucesso em 2013 foi a BMW Série 3, com um aumento de 23% nas vendas para 500.314 unidades (ano anterior: 406.752). A BMW Série 3 Sedan permanece líder do segmento, com 348.540 veículos comercializados (ano anterior: 294.039 / +18,5%). O modelo BMW X1 também registrou consistente comercialização em 2013, com um total de 161.353 veículos vendidos (ano anterior: 147.776 / +9,2%). A demanda para o BMW X3 manteve-se elevada, com as vendas subindo 5% para 157.298 unidades (ano anterior: 149.853). A BMW Série 5 também reforçou a sua posição como líder do segmento, com um total de 366.992 automóveis vendidos em 2013 (ano anterior: 359.016 / +2,2%). Também foram registrados resultados significativos na BMW Série 6, com 27.687 veículos entregues a clientes (ano anterior:  23.193 / +19,4%).

 

MINI, Rolls-Royce e BMW Motorrad com recordes de venda em 2013

Peter Schwarzenbauer, membro do Conselho Administrativo da BMW AG, responsável por MINI, Motorrad, Rolls-Royce e pós-venda do grupo, declarou: "A demanda global por nossos modelos MINI, Rolls-Royce e BMW Motorrad permanece forte. Nós conseguimos alcançar mais um ano de recorde de vendas em 2013, graças à tecnologia inovadora e a nossa estratégia de distribuição globalmente equilibrada".

 

As vendas de MINI cresceram, atingindo um recorde de 305.030 veículos em 2013 (ano anterior: 301.526 / +1,2%); as vendas de dezembro foram 5,9% maiores em relação ao ano anterior, com um total de 30.455 unidades entregues a clientes (ano anterior: 28.751). Os EUA continuam sendo o maior mercado para MINI, com um recorde de 66.502 carros vendidos no ano passado, seguido pelo Reino Unido, com 53.507 veículos.

 

A Rolls-Royce entregou 3.630 carros aos clientes em 2013 (ano anterior: 3.575 / +1,5%), atingindo seu quarto ano recorde consecutivo e o maior resultado de vendas da marca em 110 anos de história. A demanda para todas as variantes Phantom e Ghost foi grande, e as vendas customizadas atingiram níveis recordes em 2013. O novo modelo da montadora, o Wraith, revelado em março no Salão do Automóvel de Genebra, já possui uma lista extensa de encomendas. Os primeiros carros foram entregues aos clientes durante o quarto trimestre do ano que passou.

 

Com um total de 115.215 motocicletas (ano anterior: 106.358 / +8,3%), a BMW Motorrad comercializou mais veículos em 2013 do que nunca em sua história de 90 anos. Em dezembro, 6.343 motocicletas foram vendidas globalmente, um aumento de 4,5% em relação ao mesmo mês em 2012 (6.069).

 

O BMW Group manteve sua estratégia de uma distribuição equilibrada de vendas em âmbito mundial em 2013. Apesar das condições econômicas desafiadoras em muitos mercados europeus, o BMW Group foi capaz de manter um alto volume de vendas no continente, no mesmo nível registrado no ano passado, com 858.990 unidades entregues (ano anterior: 864.812 / -0,7%). A empresa alcançou vendas históricas no Reino Unido com um total de 188.837 veículos comercializados (ano anterior: 174.215 / +8,4%). As vendas do grupo no dinâmico mercado russo também subiram 11,8% para um recorde de 44.871 veículos (ano anterior: 40.144).

 

Na Ásia, as vendas do BMW Group aumentaram 17,3% no ano passado para 576.616 veículos (ano anterior: 491.512). A China continental foi responsável por 390.713 entregas de veículos BMW e MINI a clientes, o que representa um aumento de 19,7% em relação ao ano anterior (326.444). O grupo registrou um crescimento de dois dígitos em muitos outros mercados asiáticos, incluindo a Coreia do Sul (+18,1% / 39.558), Japão (+13,4% / 64.216) e Oriente Médio (+15,4% / 24.596).

 

Nas Américas, o BMW Group registrou grande crescimento em 2013, com 462.891 veículos entregues a clientes. Isto representa um aumento de 9,1% em relação ao ano anterior (424.379). Nos EUA, as vendas do grupo subiram 8,1%, para 375.782 unidades (ano anterior: 347.583). A companhia também apresentou crescimento robusto no segmento de automóveis no Brasil em 2013 (+69,5% / 17.011 unidades no total, das quais 14.707 BMW e 2.304 MINI). A BMW Motorrad comercializou 7.600 motocicletas em 2013, um recorde histórico no país.

 

As vendas no continente Africano foram 5,7% inferiores às do ano anterior, com um total de 35.489 veículos entregues aos clientes (ano anterior: 37.649); a região da Oceania registrou um aumento nas vendas de 12,8% para 25.939 unidades (ano anterior: 23.000).

 

Resultado consolidado de vendas do BMW Group em dezembro de 2013

 

 

Em dezembro de 2013

Comparado ao ano anterior

Acumulado até/incluindo dezembro de 2013

Comparado ao ano anterior

Automóveis do BMW Group (BMW + MINI+Rolls-Royce)

186.786

+2,9%

1.963.798

+6,4%

BMW

155.835

+2,3%

1.655.138

+7,5%

MINI

30.455

+5,9%

305.030

+1,2%

Rolls-Royce

496

 

-7,1%

3.630

+1,5%

BMW Motorrad

6.343

+4,5%

115.215

+8,3%

 




Terça, 14 de Janeiro de 2014

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) renovou, por meio das notificações 422/2013 e 423/2013, a autorização para o Porto de Itajaí operar a prestação de serviços de armazenagem de alimentos, medicamentos, matérias-primas e insumos farmacêuticos em recintos alfandegados. As renovações das autorizações de funcionamento, de números 9.04971-4 e 9.04976-2, foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) em dezembro do ano passado.


A Gerente de Meio Ambiente do Porto de Itajaí, Medelin Pitrez dos Santos, informa que o Porto já opera esses produtos, inclusive, conta com área segregada para armazenagem de cargas especiais. “No entanto, as autorizações de funcionamento devem ser renovada anualmente”, acrescenta a especialista.



Quinta, 09 de Janeiro de 2014

Ele ergueu verdadeiras obras de arte concretadas, fez o céu de Balneário Camboriú ser “tangível”. Ou pelo menos, encurtou a distância entre as estrelas e o topo dos modernos edifícios erguidos pela construtora Embraed, da qual era fundador e dono. Ele tinha a vida que muitos considerariam perfeita: com milhões na conta bancária, os melhores apartamentos, as maiores coberturas, os terrenos mais valiosos, carros potentes e estilosos na garagem, lindas mulheres a lhe acompanhar – a hora que desejasse.

Sua trajetória até fundar a Embraed é sintomática do quão trabalhador e persistente fora Rogério nas décadas de 70, 80 e 90, quando começou a erguer seu patrimônio a fórceps. Nos anos 2000, com a consolidação de sua marca, aproveitou para torná-la algo exclusivo, sinônimo de sofisticação e qualidade. Casado por duas vezes, pai de quatro filhos, o passado representado na venda de lanches e o presente como grande empresário da construção civil, Rogério Rosa era o símbolo de homem que venceu na vida.

Mas a pressão para se vencer, muitas vezes, acaba por derrotar o postulante à glória, especialmente as glórias profissionais. O homem que tinha 59 anos era dono de uma vida aparentemente perfeita. As aparências, porém, enganam. Tanto que o mesmo Rogério, apesar do império erguido, foi encontrado morto com um tiro no peito na manhã de domingo, dia 17 de novembro de 2013. Uma das principais linhas de investigação da polícia é a de que o empresário se suicidou. A própria família de Rogério acredita piamente na tese de suicídio.

A resposta conclusiva só deve sair depois da segunda quinzena de dezembro, prazo dado pela Polícia Civil para concluir as investigações. Ao se confirmar o suicídio, que chocou o mundo da construção civil e a própria cidade de Balneário Camboriú, ficam apenas perguntas. Uma delas, o motivo? Poucos, talvez ninguém, saiba. O certo, contudo, é que a vida de megaempresários como Rogério Rosa – e tantos outros – não é o mar de rosas que costuma parecer.

A pressão enfrentada diariamente por quem trabalha na linha de frente de grandes companhias, somada às longas e tediosas reuniões, prazos escrachantes, tempo exíguo em negociações estratosféricas que fazem perder o sono, o apetite, o humor e a alegria, é um dos principais fatores para o estresse na vida de executivos e empresários. E essa rotina conturbada pode ser o fio desencadeador de doenças mais graves que em casos extremos podem levar a morte.

Números são a prova do problema

O estresse é uma espécie de epidemia que tomou o ambiente de negócios e passou a fazer parte das preocupações e mazelas cotidianas. Uma pesquisa feita em 2013 pela Med-Rio, uma das maiores clínicas de check-up do país, mostra a dimensão do problema no Brasil. Nos últimos cinco anos, a Med-Rio examinou 25.000 executivos de todo o país, com idade entre 30 e 75 anos. Os resultados são alarmantes. Cerca de 70% deles sofrem de altos níveis de estresse - um quadro agravado por problemas comportamentais. A pesquisa mostra que 80% dos profissionais avaliados têm alimentação desequilibrada, 65% são sedentários, 60% estão acima do peso ideal, 50% consomem bebidas alcoólicas regularmente e 40% fumam. É gente que vive no limite e pode cruzar a linha que separa a saúde da doença a qualquer momento.

Para efeito de comparação, o estresse está para o executivo assim como a dor está para o atleta profissional. Dentro de certos parâmetros, a convivência com ele é quase obrigatória. O sinal vermelho se acende - de forma normalmente dramática - quando esses limites são ultrapassados. Os resultados se manifestam em níveis de gravidade variados. Podem ir de um patamar mais baixo, como obesidade e lesões de pele, a graus mais altos, como depressão, perda do desejo sexual, derrame e enfarte.

A psicóloga Sueli Terezinha Bobato, especialista em psicologia organizacional e do trabalho, afirma que dentre as causas do estresse, não apenas em executivos e empresários, estão cargas excessivas de trabalho, falta de política de treinamento e desrespeito ao horário de descanso. Esses são alguns dos fatores que podem desencadear a doença, mas existem outros, como, por exemplo, o rodízio de funções dentro da empresa. “Não a atribuição em si, mas como a ação é realizada. Às vezes, o funcionário não está preparado e isso gera ansiedade. Bom é ter preparo”, reforça.

Sueli explica que os conflitos interpessoais são uma das maiores causas do estresse no ambiente de trabalho. Manter uma boa comunicação com os colegas pode ser uma medida preventiva. A professora ainda orienta quanto à necessidade de regular o ritmo de trabalho, desacelerando sempre que possível. “Realizar atividades físicas, relaxamento e ainda buscar outras fontes de prazer são medidas indispensáveis”, avalia.

Mais números

Uma pesquisa feita recentemente pelo hospital Albert Einstein, de São Paulo, com 2.064 executivos revelou que 22% deles tinham risco vascular médio ou alto. Em outras palavras: se nada for feito, é enorme a probabilidade de esses profissionais sofrerem um derrame ou um enfarte nos próximos dez anos. Os casos críticos são mais comuns do que se imagina. Inclusive no Litoral Norte de Santa Catarina, onde a construção civil é uma das personagens principais da economia, e na qual o segmento assiste pela segunda vez no período de seis meses a uma morte de empresário local com indícios de suicídio.

No dia 17 de maio, o empresário Edson Luiz da Silva, 47 anos, sócio da Bravacon e da Máxima Construtora, fora encontrado sem vida dentro de seu carro às margens da BR-101, no bairro Canhanduba, em Itajaí. O laudo do Instituto Geral de Perícia (IGP) atesta que Edson tirou a própria vida. As investigações na Polícia Civil ainda não foram concluídas. Exatamente seis meses depois da morte de Edson, o caso de Rogério Rosa é semelhante, pois ambos eram empresários bem sucedidos da construção civil e morreram em circunstâncias misteriosas, mesmo que nos dois casos o suicídio seja a hipótese mais forte.

A gravidade dos níveis de estresse é diretamente proporcional ao grau de superação exigido pelo mundo dos negócios. Na luta pela sobrevivência nesse universo voraz, na busca por resultados melhores, por mais participação no mercado, as empresas esperam contar com espécies de super-heróis. Não basta ser competente. É preciso ser o melhor. Não basta ser eficiente. É preciso ser criativo, antecipar mudanças, sugerir inovações, garantir que elas deem certo, bater um número maior de metas com recursos cada vez mais escassos. As viagens de negócios se multiplicam. As férias rareiam. A estabilidade - no trabalho, no mercado, no círculo do sucesso - transformou-se numa quimera.

O empresário Carlos Humberto Metzner Silva, presidente do Sindicato da Construção Civil de Balneário Camboriú (Sinduscon), era amigo de Rogério há mais de 20 anos. Ele, como tantos outros, custou a acreditar nas notícias da morte do empresário. As lembranças de Rogério, diz Carlos, passam longe das de um homem com problemas de depressão. “Ele estava sempre alegre, atendendo a todos com muito respeito e educação. Sabemos que o mundo corporativo é competitivo, que a cobrança é forte, mas ele nunca deu nenhum sinal de que isso pudesse acontecer”, conta Carlos, que esteve com Rogério Rosa algumas semanas antes do empresário morrer.

Em Balneário Camboriú, cidade onde Rogério fez fortuna, pessoas próximas ao empresário dizem que ele por vezes se mostrava triste, abatido e calado. Características que podem estar associadas a algum tipo de problema psicológico, como fadiga, depressão, dificuldade na relação profissional, ansiedade e a perda do sentimento de realização profissional. Nessa hora, mais do que nunca, é preciso procurar a ajuda de um profissional da área de saúde mental, que possa auxiliá-lo.

 

 

Pingue-pongue

A Revista Portuária – Economia & Negócios fez algumas perguntas para o psicólogo Eduardo José Legal, professor no curso de Psicologia da Univali, especialista em estresse ocupacional.

Revista Portuária - O quanto a cobrança cotidiana por resultados e metas, normal em grandes companhias, pode afetar a saúde de executivos e profissionais que costumam estar à frente dessas empresas?

Eduardo Legal - A cobrança faz parte das organizações. Algumas mais do que outras, mas sempre existe. Esta questão da cobrança (que entra naquilo que chamamos de demanda) é um dos fatores importantes em um modelo de estresse no trabalho, chamado de modelo Demanda-Controle. Este modelo tem sido confirmado em várias pesquisas e demonstra que quando as pessoas estão sob forte demanda, mas também possuem um bom controle de suas atividades, de suas habilidades e competências e alguma forma de tomar decisões sobre as tarefas, geralmente elas conseguem gerenciar o estresse diário. Contudo, quando a demanda é alta e o controle baixo, o estresse ocupacional sobrevém e a pessoa passa a experimentar os efeitos do estresse crônico. Isso afeta várias áreas do funcionamento da pessoa, incluindo, além da vida ocupacional, sua vida social e particular. Esse processo eleva cronicamente os níveis do hormônio cortisol que atua sobre o organismo mantendo-o em um status de preparação para a luta-ou-fuga (uma resposta adaptativa dos organismos animais, cujo objetivo é assegurar a sobrevivência). A manutenção deste estado a longo prazo (geralmente, mais de um mês) diminui a eficiência do sistema imunológico e pode desencadear doenças. As mais comuns são as do trato respiratório (resfriados, gripes...), do trato gastrointestinal (azia, má digestão, gastrites...), da pele (psoríase e outras) e também musculares (dores). Além disso, sintomas psíquicos são evidentes: ansiedade, humor triste, vontade repentina de começar novos projetos (sem ter terminado os anteriores), perda de controle de impulsos, irritação, entre outros. 

Portuária - Quais os sintomas podem ser observados por familiares e colaboradores, que acelerem o diagnóstico e conseqüente tratamento?

Legal - Geralmente, o que marca a entrada no estresse crônico é a perda da paciência, irritação, descontrole emocional e o aumento da sensibilidade a dor.

Portuária - E pelo próprio executivo, como ele poderia chegar perto do diagnóstico que o acomete?

Legal - Percebendo estes sinais. Além, é claro, de uma tendência a querer fugir da situação de trabalho.

Portuária - Problemas, como a depressão, por exemplo, podem se dar tanto a curto como médio e longo prazos?

Legal - A longo prazo é mais comum pelo fato do estresse crônico minar as expectativas de melhora ou saída da situação.

Portuária - Quais os métodos e tratamentos que podem ser feitos para minimizar os danos decorrentes de problemas psicológicos?

Legal - Os tratamentos disponíveis são diversos, mas somente a mudança no estilo de vida garante que a pessoa não desenvolverá mais os sintomas. Dependendo do desenvolvimento dos problemas (por exemplo, gastrites, problemas dermatológicos) será necessário o tratamento médico para as seqüelas aparentes. Contudo, o tratamento medicamentoso para estes casos funciona como "tampar o sol com a peneira". Ou seja, eles agem sobre os sintomas, mas não sobre o que os provoca e isso pode até ser pior, pois a situação não resolvida tende a aumentar ou manter o estado. Desta forma, aprender a lidar com os problemas de outro modo mais eficaz para a saúde da pessoa é fundamental.

Portuária - E os familiares, ao perceberem mudanças de comportamento na pessoa, como devem proceder? A quem recorrer, mesmo que o empresário (pessoa) não queira ajuda, entenda que não está doente?

Legal - Conscientização é o melhor caminho, mas uma conversa séria com a pessoa, sem descambar para o desentendimento. Afinal, a pessoa deve buscar ajuda. Neste caso, não se pode ajudar muito falando mais, pois seria mais um estressor. Atividades como exercícios físicos regulares, alimentação adequada, relacionamentos sociais positivos, lazer e manutenção de um sentido para sua vida são componentes imbatíveis para o enfrentamento dos estressores do dia a dia.

Saúde abalada

Veja os resultados da análise da Med-Rio em 25.000 exames de executivos realizados no Brasil: 15% sofrem de fadiga; 16% têm gastrite ou úlcera; 19% sofrem de hipertensão arterial; 25% têm altos níveis de colesterol; 26% apresentam algum tipo de doença dermatológica; 40% são fumantes; 50% consomem álcool regularmente; 60% têm excesso de peso; 65% são sedentários; 70% apresentam níveis altos de estresse; 80% têm alimentação desequilibrada.

Quadro - tabela

Assinale sim ou não se você tem tido os sinais de stress:

Na última semana você sentiu:

1. Tensão muscular, como aperto de mandíbula, dor na nuca, por exemplo;
2. Hiperacidez estomacal (azia) sem causa aparente;
3. Esquecimento de coisas corriqueiras, como esquecer o número de um telefone que usa com freqüência, onde colocou a chave, por exemplo;
4. Irritabilidade excessiva;
5. Vontade de sumir de tudo;
6. Sensação de incompetência, de que não vai conseguir lidar com o que está ocorrendo;
7. Pensar em um só assunto ou repetir o mesmo assunto;
8. Ansiedade;
9. Distúrbio do sono, ou dormir demais ou de menos;
10. Cansaço ao levantar;
11. Trabalhar com um nível de competência abaixo do seu normal;
12. Sentir que nada mais vale a pena;

Para saber o resultado, some os itens que você assinalou.

- Se não assinalou nenhum: Parabéns, seu corpo está em pleno funcionamento!
- Se assinalou de 1 a 3: A vida pode estar um pouco estressante para você. Avalie o que está ocorrendo. Veja o que está exigindo demais de sua resistência. Pode ser o mundo lá fora, pode ser você mesmo. Fortaleça o seu organismo.
- Se assinalou de 4 a 8: Seu nível de estresse está alto, algo está exigindo demais do seu organismo. Pode estar chegando no seu limite. Considere uma mudança de estilo de vida e de hábitos. Analise em que seu próprio modo de ser pode estar contribuindo para a tensão que está sentindo.
- Se assinalou mais do que 8: Seu nível de estresse está altíssimo. Cuidado. Procure ajuda de um psicólogo especializado em estresse. Sem dúvida você tem fontes de estresse representadas pelo mundo ao seu redor(pode ser família, ocupação, sociedade etc) e fontes internas (seu modo de pensar, de sentir, de ser) com as quais precisa aprender a lidar.
Fonte: Centro Psicológico de Controle do Stress de Campinas/SP

 

No comando

Tatiana Rosa Cequinel assume presidência do Grupo Embraed

Em coletiva à imprensa concedida no dia 21 de novembro, foi oficializado que Tatiana Rosa Cequinel - filha de Rogério - assume a presidência do grupo ao lado da então diretora executiva Adriana Amorim. Com elas, passam a integrar o Conselho Administrativo da empresa Diego Rosa, filho de Rogério, e o empresário Rodrigo Cequinel, marido de Tatiana.

"Sempre estivemos ao lado de Rogério e continuaremos atuando da mesma forma. Portanto, todas as atividades e projetos da Embraed seguirão normalmente e com o mesmo padrão de qualidade", anunciou Adriana.

Em relação aos projetos e negócios da Embraed, a executiva revelou a solidez e sucesso que o grupo vem atravessando, diferente de comentários surgidos logo após a morte de Rogério.

"Hoje temos 14 empreendimentos em andamento em Balneário Camboriú em uma área de quase 200 mil m2. Desses, os próximos lançamentos serão os residenciais Acqualina, Ilha Marianas e o New York. Contamos com 13 novos empreendimentos o que soma uma área de mais de 300 mil metros quadrados construídos e finalizados. Um dos exemplos é o mais alto residencial do Brasil, o Villa Serena Home Club, entregue oficialmente em julho deste ano. Possuímos um banco de terrenos de quase 1,2 milhão de m2", contou.

Tatiana Rosa Cequinel fez questão de destacar o apoio e o suporte da equipe da Embraed. "Nós já estávamos ao lado de meu pai na tomada de decisões e nos processos operacionais - eu, Tatiana, na direção da Embraed Home – empresado grupo ligada a decorações - e também junto à Embraed Construtora na área técnica. Agora, também com o apoio de meu irmão Diego Rosa e de meu esposo, o empresário Rodrigo Cequinel. Tenho a grata satisfação de contar com um time que traz o DNA da Embraed, do Rogério Rosa, em todas as ações", disse a dirigente.

"Nossa missão agora é, em memória do meu pai e em valorização a toda essa equipe de artistas da Embraed - e aos nossos clientes – continuar surpreendendo ano a ano e tornar a empresa e a nossa região uma referência cada vez mais forte nacional e internacionalmente – como meu pai sonhou. E é o que faremos com o apoio de todos vocês", finalizou.

 




Terça, 29 de Janeiro de 2013

O prefeito de Itajaí, Jandir Bellini, participa nesta semana do Encontro Nacional com os Prefeitos e Prefeitas – Municípios Fortes, Brasil Sustentável. O evento acontece no Centro de Convenções Ulisses Guimarães, em Brasília, onde o prefeito também deve cumprir agenda paralela de reuniões em alguns ministérios para verificar o andamento de projetos de interesse para o município. O encontro com os prefeitos foi aberto às 18 horas de ontem, com pronunciamento da Presidente da República, Dilma Roussef.

 

O Encontro com os Prefeitos tem o objetivo  de apresentar aos novos gestores municipais os programas do governo federal e de que maneira eles têm reflexo direto nas Prefeituras. A programação foi organizada com base em quatro eixos: Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Ambiental e Urbano e Participação Social e Cidadania.

 

O Encontro acontece até amanhã, reunindo os prefeitos em cinco auditórios onde ocorrerão palestras das programações principal e paralela, além de oficinas de capacitação e mesas de boas práticas. Também estarão à disposição dos gestores municipais 26 estandes de ministérios e de órgãos com influência direta no cotidiano dos municípios, como por exemplo o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal.

 

Além de participar do Encontro, o prefeito Jandir Bellini também vai cumprir uma agenda de compromissos em alguns ministérios onde tramitam projetos de interesse do município de Itajaí. Nesta terça-feira, ele tem compromissos agendados no Dnit, no Ministério das Cidades e no Ministério da Integração Nacional.




Terça, 29 de Janeiro de 2013

O Brasil está na rota de investidores do mercado mundial e Santa Catarina vem sendo um dos locais mais procurados pelos empresários estrangeiros. Prova disso é que, no final de fevereiro, o Estado vai receber uma missão da Áustria, com representantes do setores público e privado, que virão estabelecer parcerias para investimentos em Santa Catarina. A Missão Áustria chegará ao Aeroporto Internacional de Florianópolis no dia 17 de fevereiro e seguirá para Balneário Camboriú. A comitiva diplomática passará ainda por Itajaí, Blumenau e, por fim, a capital Florianópolis.


O intuito principal desta missão é buscar parcerias para a instalação de um curso de energia fotovoltaica. Porém, o grupo é formado por profissionais que irão trazer tecnologias na área de infraestrutura portuária, negócios no ramo de importação e exportação, setor de energia e desenvolvimento em energias renováveis. Sendo assim, novos negócios em outras áreas, como náutica (marina) e hotelaria também são de grande interesse por parte dos investidores austríacos.


A empresa que está intermediando a Missão Áustria é a ECER – Empresa Catarinense de Energias Renováveis, sediada em Balneário Camboriú. Interessados devem enviar seus projetos por e-mail para:  comercial.ecer@gmail.com.


“Temos certeza de que esta missão irá trazer grandes benefícios, uma vez que todos os temas que serão abordados são fundamentais para o desenvolvimento econômico, cultural e turístico do nosso Estado”, comentou  Jonny Kurtz, organizador da missão.

 




Terça, 29 de Janeiro de 2013

A Justiça Federal determinou em liminar publicada nesta segunda-feira (28) que a Fundação do Meio Ambiente (Fatma) aumente para toda a região costeira das baías Sul e Norte a área de embargo à maricultura em Santa Catarina. Segundo o documento, a decisão vale até que haja um "diagnóstico preciso, seguro e definitivo sobre a contaminação e os seus impactos".


Para o juiz federal Marcelo Krás Borges, o aumento da área do embargo se justifica "por se tratar de provável contaminação ambiental gravíssima" provocada pelo vazamento de 12 mil litros de óleo na Tapera, no Sul da Ilha. A extensão compreende os municípios de Florianópolis, São José, Palhoça, Biguaçu e Governador Celso Ramos.




Terça, 29 de Janeiro de 2013

Nesta quarta-feira, 30, o governador Raimundo Colombo lançará edital de licitação das obras da SC-477, no trecho que liga Doutor Pedrinho, no Vale do Itajaí, a Itaiópolis, no Planalto Norte. A obra, que faz parte do Pacto por Santa Catarina, terá 80 quilômetros de extensão e investimento de R$ 180 milhões para sua realização. O ato ocorrerá em dois momentos. Um será na Associação dos Servidores Públicos de Doutor Pedrinho, às 9h30min, e o outro no Salão São Sebastião de Moema, às 15h, em Itaiópolis.


"Esta é uma obra muito importante para a nossa região. É uma ligação estratégica com o Vale do Itajaí, facilitando o escoamento da nossa produção e encurtando a viagem", disse o secretário Regional de Mafra, Wellington Bielecki. O município de Doutor Pedrinho destaca-se pela cultura do arroz.


O asfaltamento da SC-477 é esperado há mais de 50 anos pela população da região. A rodovia liga os municípios do Planalto Norte até o Vale do Itajaí, facilitando o acesso aos portos de Itajaí e São Francisco do Sul.


Veja os projetos que já foram anunciados pelo Pacto Por SC somente na área de infraestrutura:

Pacto Por SC garante pavimentação de ruas em Joinville, acabando com áreas de alagamentos

Obra do Pacto Por SC garante mais segurança a moradores de Garuva e facilita acesso ao porto

Trecho que liga a BR-280 ao Ferry Boat de São Francisco do Sul agora é asfaltado

Pacto por Santa Catarina vai pavimentar rodovia aguardada há mais de 30 anos pelos moradores de Romelândia e Anchieta

Lançado o edital de restauração da SCT-480, entre Chapecó e a divisa com o Rio Grande do Sul

Valores em caixa para investimentos já superam os aplicados nos dois anos anteriores

Governador lança edital para licitação da obra de restauração e aumento da capacidade de tráfego do trecho Chapecó a Goio-Ên

Em Taió, governador lança quinta obra do Pacto por Santa Catarina em uma semana

Raimundo Colombo autoriza licitação para obras na SC-390

Governador entrega ordem de serviço para restauração da rodovia que liga Passo de Torres à BR-101

SC-427 receberá investimento de R$ 13,9 milhões

Raimundo Colombo entrega ordem de serviço para restauração da rodovia que liga Passo de Torres à BR-101

Rodovia de acesso ao Sul da Ilha deve ser concluída em junho do ano que vem

Reabilitação da rodovia que liga São Joaquim a Painel vai garantir mais segurança e desenvolvimento para Serra catarinense

Financiamento de R$ 650 milhões assinado pelo governador permitirá dar início imediato a 10 obras em rodovias

Governo destina R$ 500 milhões para obras de infraestrutura do Pacto por SC

Reabilitação da SC-355 em Jaborá vai oferecer mais segurança aos catarinenses

Governo do Estado vai investir R$ 52,8 milhões na pavimentação da SC-467 entre Jaborá e Ouro

Governador autoriza Deinfra a iniciar pavimentações no Meio-Oeste e Alto Vale

Revitalização da SC-110 em Urubici estará concluída em seis meses




Terça, 29 de Janeiro de 2013



No dia 18 de janeiro de 1933, o Sr. Nelson Seara Heusi foi nomeado despachante aduaneiro da Mesa de Rendas Alfandegada de Itajaí - Santa Catarina, pelo então Presidente da República Getúlio Vargas. Este foi o início da história que firmou o Grupo Nelson Heusi como um dos maiores e mais competentes grupos de Comércio Exterior do Brasil.


As transformações e o desejo de evoluir fizeram com que o Grupo Nelson Heusi ampliasse sua atuação geográfica e no mercado, tendo hoje um grande objetivo de crescimento e expansão em nível nacional e internacional. Atualmente com mais de 190 colaboradores em escritórios espalhados pelo Brasil, o Grupo Nelson Heusi atua nos segmentos de liberação aduaneira, outsourcing, transporte de cargas, armazenagem, transporte internacional e seguro de cargas.

 

As empresas que formam o Grupo Nelson Heusi são: Nelson Heusi Armazéns Gerais, Comissária Nelson Heusi, Nelson Heusi Trade Management, Nelson Heusi Cargo e Nelson Heusi Logística Internacional.

 

As cidades onde o Grupo Nelson Heusi possui escritórios são: Curitiba e Paranaguá (PR); Recife e Suape (PE); Itaguaí e Rio de Janeiro (RJ); Uruguaiana (RS); Dionísio Cerqueira, Florianópolis, Imbituba, Itajaí, Itapoá, Joinville, Navegantes e São Francisco do Sul (SC).

 

Conheça mais sobre os 80 anos de história acessando:

 

www.nelsonheusi.com

 




Terça, 29 de Janeiro de 2013

A última semana de janeiro começa com uma situação bastante atípica no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá. Ao mesmo tempo em que a soja começa a chegar aos terminais do complexo, a procura pelo milho continua grande. Do início de janeiro até hoje, já foram exportadas pelo Porto de Paranaguá 500 mil toneladas de milho, volume cinco vezes superior ao registrado no mesmo período de 2012, quando foram exportadas 99 mil toneladas de milho. Até o próximo dia 3, são esperados 18 navios, que chegam para carregar quase um milhão de tonelada do produto. 

Segundo a Divisão de Silo da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), no mesmo período de 2012, era mínima a quantidade de navios que chegavam ao Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá para carregar milho: apenas três. Apesar de atípico, esse encontro da segunda safra de milho com a safra da soja já era esperado. 

“O desafio está sendo conseguir conciliar esse movimento, gerado pelas boas condições tanto do mercado internacional quanto da produção paranaense, com o mínimo impacto para a via e para a cidade. Para isso estamos trabalhando com coordenação, alinhando as estratégias com todas as empresas que fazem parte do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá”, explica o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.



Terça, 29 de Janeiro de 2013

Auckland é considera da capital da vela no mundo e sua tradição não poderia ficar de fora da Volvo Ocean Race 2014-15. A cidade da Nova Zelândia receberá mais uma vez a maior regata do mundo para consolidar sua importância histórica na modalidade. Na última edição, em 2012, a stopover da Oceania foi um sucesso de público no Porto de Waitemata.


O porto neozelandês será o ponto de partida de uma das pernas mais desgastantes da Volta ao Mundo levando os barcos pelos mares do sul, incluindo a passagem pelo Cabo Horn, e terminando em Itajaí, no Brasil. O calendário completo da próxima edição da Volvo Ocean Race será divulgado em fevereiro.  


Um relatório feito pelo Google, maior portal de buscas da Internet, informou que na Nova Zelândia, o termo Volvo Ocean Race foi o mais procurado em 2012, mostrando a importância do evento para o país da Oceania.


"A regata voltou pra casa na edição anterior após 10 anos de hiato", disse o CEO da Volvo Ocean Race, Knut Frostad. "Milhares de fãs apaixonados pela vela lotaram a Vila da Regata todos os dias. O sucesso foi grande também na chegada e partida dos barcos, além da In-port Race. Pode se dizer que foi uma das melhores pernas da história do evento”.


Auckland é a quarta cidade-sede da Volvo Ocean Race 2014-15 confirmada até agora pelos organizadores. A largada será em Alicante, na Espanha, no segundo semestre de 2014. Outros dois portos brasileiros já foram anunciado: Recife, em Pernambuco, e Itajaí, em Santa Catarina.




Terça, 29 de Janeiro de 2013

Nos casos em que haja problemas nas relações de consumo, o turista brasileiro que visita os países do Mercosul poderá realizar acordo imediato entre as partes. A medida também beneficia turistas desses países em estadia no Brasil. Esse é o principal objetivo do projeto piloto a ser implantado nos órgãos de defesa do consumidor nos países do bloco. O projeto, lançado hoje pela Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça, visa prover acesso nas entidades de cada país ao Formulário de Reclamação para o Consumidor Visitante. O formulário estará disponível ao consumidor turista que tiver algum problema de consumo no país visitante.



Terça, 29 de Janeiro de 2013

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) ficou praticamente estável entre dezembro e janeiro: avançou apenas 0,1%, ao passar de 106,4 para 106,5 pontos, de acordo com a pesquisa 'Sondagem Industrial', divulgada nesta terça-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV).


Ainda assim, o indicador se manteve acima da média de 60 meses, de 104,8 pontos pelo quinto mês consecutivo, e obteve a maior leitura desde junho de 2011, quando marcou 107,1 pontos.


Na comparação com janeiro de 2012, o ICI teve alta de 4,4%.


A prévia do índice, divulgada na semana passada, sinalizava alta mensal maior, de 0,2%, no ICI de janeiro. Em dezembro, o indicador tinha tido avanço mais expressivo, de 1,1%.


De acordo com a FGV, a estabilidade do ICI resulta do ligeiro aumento do Índice da Situação Atual (ISA) e do leve recuo do Índice de Expectativas (IE), que mede as perspectivas do empresário da indústria para os próximos seis meses.




Segunda, 28 de Janeiro de 2013

A Portonave recebeu neste mês de janeiro o navio Hanile, na primeira escala do serviço ESA, formado pelas companhias marítimas Evergren e COSCO. A linha atende países da Ásia com escala nos portos de Xangai, Ningbo, Yantian, Hong Kong e Cingapura.

 
Santa Catarina foi incluída na rota do serviço ESA devido à importância da economia do Estado e Navegantes foi escolhida pela qualidade na prestação do serviço da Portonave e da infraestrutura da cadeia logística da região. A Portonave possui, atualmente, três serviços diretos para o continente asiático, e o ESA representa mais uma opção para os clientes do Terminal Portuário. 
 
Na primeira atracação foram movimentadas mercadorias como tecidos, livros (brochuras e impressos), motores, empilhadeiras, ferramentas, artigos domésticos, flores artificiais, camisas e resinas.



Segunda, 28 de Janeiro de 2013

A APM Terminals Itajaí, arrendatária de dois berços no Porto de Itajaí, passou a receber em janeiro um novo serviço: o Gs1/Golfo. O serviço da CSAV/Hapag-Lloyd iniciou operações no terminal no último dia 10, após meses de negociação junto aos armadores deste serviço/joint, que confirmou a parceria comercial. 

 
O serviço escala portos do Brasil, México, Estados Unidos e República Dominicana com uma frota de oito navios com capacidade para 5.500 TEUs e com a principal característica de ser bastante exportador (carga seca) e com alta concentração de contêineres cheios. O primeiro navio a atracar na APM Terminals Itajaí será o Buenos Aires Express. 
 
Nesta primeira escala, a previsão é que a embarcação movimente 650 TEUs no terminal catarinense, entre produtos metalúrgicos, linha branca, polímeros e madeira. “A eficiência logística e a produtividade do terminal contribuem para que consigamos atrair linhas tão importantes quanto a Gs1/Golfo para Itajaí”, destaca Ricardo Arten, superintendente da APM Terminals.



Segunda, 28 de Janeiro de 2013

A Portonave recebeu nesta segunda-feira o projeto “Conheça a Nossa Aduana”, realizado pela Receita Federal do Brasil. Este é um programa de apresentação do trabalho do órgão por meio de visitação às unidades que prestam serviços aduaneiros e faz parte da política de transparência da Receita. Foi a primeira fez que o evento ocorreu no Terminal de Navegantes. O objetivo é esclarecer à população sobre o papel do Ministério da Fazenda, por meio da Receita Federal.


Foram 50 pessoas da comunidade e de empresas que atuam no ramo logístico e aduaneiro que participaram da ação. Houve a apresentação de um vídeo institucional e uma palestra sobre a função da Receita Federal do Brasil dentro da atuação aduaneira. Após a palestra, os participantes fizeram uma visita guiada dentro do Terminal Portuário.


A abertura à visitação das dependências aduaneiras da Receita ocorre duas vezes ao ano: em janeiro e julho.




Segunda, 28 de Janeiro de 2013

O governador Raimundo Colombo e o secretário Valdir Cobalchini entregaram na última sexta-feira, 25, a ordem de serviço para a construção da SC-417, em Garuva, no Norte do Estado. A nova estrada, que integra o Pacto Por Santa Catarina, fará o contorno na cidade de Garuva, facilitando o acesso de cargas ao Porto de Itapoá. Além disso, a rodovia vai reduzir o fluxo de veículos no Centro do município, garantindo mais segurança à população.


“Queremos minimizar os problemas de trânsito. Para isso vamos restaurar, revitalizar e construir novas rodovias em todo Estado. São quase R$ 3 bilhões de investimentos em 347 obras que estão começando. É o maior volume de obras da história de Santa Catarina”, explicou o governador.


A obra terá 9 quilômetros e custou R$ 27,1 milhões. O dinheiro veio por meio do Pacto Por Santa Catarina, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).


Outra boa notícia recebida pela população foi o anúncio de que a conclusão da obra será adiantada em seis meses. Com isso, em um ano e meio, a região já deverá contar com o asfalto.


As obras começam no Km 10 da BR-101 e terminam após a área urbana de Garuva, seguindo o traçado da estrada palmital. Haverá uma interseção na via municipal paralela à rodovia federal que servirá de acesso a uma empresa instalada no local e um elevado que permitirá, no futuro, uma triplicação da BR-101. As pistas terão aproximadamente três metros de largura e cerca de um metro de acostamento. “Estamos fazendo obras que integram as regiões, melhoram a logística, trazem desenvolvimento e a valorização aos locais. Santa Catarina vive um momento especial, é a preparação para um futuro ainda mais promissor”, afirmou Cobalchini.


O superintendente do Porto de Itapoá, Patricio Junior, salientou que a obra representa a possibilidade de mais caminhões circularem pela região, mais movimento no Porto e ao mesmo tempo mais segurança, que segundo ele, é o mais importante.




Segunda, 28 de Janeiro de 2013

Já operam normalmente as descargas de granéis no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá. As obras de manutenção do complexo já estão concluídas, assim como a recuperação dos estragos causados pelo forte vento (que chegou a 114 km/h no final de dezembro) e as chuvas do final do último mês de dezembro. 

Durante os últimos dois meses, aproveitando o período de entressafra, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) realizou a manutenção do Corredor de Exportação, junto com os operadores portuários que atuam no complexo. 

"Os silos horizontais e vertical (Silão) estão limpos, as chaparias e outras peças foram substituídas, e os elevadores também passaram por manutenção. Além das estruturas fixas, as correias transportadoras e os shiploaders também passaram por reparos e estão prontos para operar a todo o vapor”, afirma o diretor técnico da Appa, Paulinho Dalmaz. 

Os seis shiploaders que operam nos três berços do Corredor (212, 213 e 214), foram lavados e lubrificados; os componentes que apresentavam defeitos foram trocados; três correias de coberturas foram substituídas por novas – adquiridas pela Appa, no valor de R$ 1,5 milhão; e as correias transportadoras também foram repostas. A manutenção do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá foi concluída dentro do prazo previsto.



Segunda, 28 de Janeiro de 2013

A Superintendência do Porto do Rio Grande (SUPRG) realizaria, neste último sábado (26), às 9h, o lançamento do Projeto Molhes da Barra do Rio Grande. No dia em que o Balneário Cassino completou 123 anos, a SUPRG daria início a um trabalho de sustentabilidade ambiental, socioeconômica e turística com a entrega de material aos vagoneteiros como velas padronizadas, uniformes e bonés. Após o ato de lançamento, seria realizado um grande mutirão de limpeza ao longo dos molhes.

Entretanto, devido às intempéries climáticas, o lançamento do projeto Molhes da Barra do Rio Grande foi adiado. Em breve, será informada a toda comunidade uma nova data do evento.  




Segunda, 28 de Janeiro de 2013

A Havan, maior rede de lojas de departamentos do Brasil, anunciou a construção de uma filial na cidade de Sinop, no Mato Grosso. A unidade, segunda da catarinense no Centro-Oeste, terá 11 mil metros quadrados de área construída e 370 vagas de estacionamento. Os investimentos chegam a R$ 22 milhões, com previsão de abertura de 200 novos empregos. A inauguração está prevista para maio.

 
A unidade de Sinop representa o pontapé inicial do novo plano de expansão da Havan. Depois de encerrar 2012 com 50 lojas, a rede comandada pelo empresário Luciano Hang quer dobrar este número até 2015. No Mato Grosso, estão previstas unidades também em Cuiabá e Rondonópolis. Além de Santa Catarina, Paraná e São Paulo também já possuem filiais.



Segunda, 28 de Janeiro de 2013

O presidente executivo da União Brasileira de Avicultura (UBABEF), Francisco Turra, participa, junto com o diretor Financeiro e Administrativo da entidade, José Perboyre, entre os dias 29 e 31 de janeiro, da International Poultry Exposition 2013, em Atlanta, Estados Unidos. A agenda inclui ainda a participação, dia 28, na assembleia geral ordinária da Associação Latino-Americana de Avicultura (ALA), da qual Turra é vice-presidente, e a divulgação do Salão Internacional da Avicultura (SIAV), que acontece em agosto, em São Paulo.

 

O encontro, o maior do setor nos EUA e organizado pela U.S. Poultry & Egg Association, é uma oportunidade, segundo o presidente da UBABEF, para reafirmar a parceria com a entidade irmã, assim como para a troca de informações com os maiores players mundiais do setor avícola, visando sempre à qualidade e à expansão da avicultura no mundo.

 

“Como a mostra reúne representantes dos vários segmentos da avicultura mundial, será uma oportunidade para convidá-los, junto com o presidente da USA Poultry & Egg Export Council (USAPEEC), James Sumner, para participar do Salão Internacional de Avicultura (SIAV), o maior evento do setor no Brasil, como também para divulgar e fomentar negócios para o evento”, afirma Turra.

 

A International Poultry Exposition é a maior exposição internacional de tecnologia, equipamentos, fornecedores e serviços usados na produção e no processamento de aves e ovos, além de incluir empresas envolvidas na produção de ração.

 

Para a reunião da Associação Latino-Americana de Avicultura (ALA) estão sendo esperados representantes de todos os países membros. O encontro, segundo seu vice-presidente, Francisco Turra, focará três pontos básicos: os problemas de sanidade no continente latino-americano e os meios de pressionar os governos a investir forte na defesa agropecuária e na saúde animal; a crise de abastecimento de grãos em alguns países, em razão do custo da ração e escassez do produto em algumas regiões do continente latino-americano; e a busca de uma unidade maior do setor na região para enfrentar embargos e barreiras tarifárias.

 

“O continente latino-americano tem que estar unido para fazer frente às principais demandas do setor. Vamos trabalhar para que a carne de frango produzida nos países que compõem a ALA esteja presente em mais países, e assim, cada vez mais, aumentar a competitividade comercial do nosso produto”,  salientou Turra.

 

 




Segunda, 28 de Janeiro de 2013

A Receita Federal apreendeu em operações de fiscalização no ano passado R$ 2 bilhões em mercadorias e veículos irregulares (contrabandeadas ou fraudadas). Os números são considerados um recorde histórico pelos técnicos do órgão.


Os dados foram apresentados hoje (28) pelo subsecretário de Aduana e Relações Internacionais da Receita Federal do Brasil, Ernani Argolo Checcucci Filho. No ano passado, segundo ele, foram realizadas 2.680 operações de vigilância e repressão com destaque para a Operação Fronteira Blindada.


O balanço está sendo divulgado no dia em que a Receita comemora o Dia Internacional da Aduana no país . Hoje também está sendo realizado a segunda etapa do Programa: “A Receita Federal convida: conheça a nossa aduana”.


“No ano passado foi muito significativa a atuação dos fiscais nas aduanas do país. Contamos com o crescimento da parte de inteligência e tem havido uma cooperação com outros órgãos, como a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, as polícias dos estados e as Forças Armadas. Houve ainda evolução na parte da tecnologia”, disse Checcucci Filho.


Os números mostram também que as aduanas desembaraçaram 3,67 milhões de declarações de importação e exportação e realizaram o processamento de procedimentos para 51 mil passageiros por dia nos aeroportos brasileiros, o que totaliza 18,7 milhões de passageiros em 2012.


O subsecretário informou ainda que foram fiscalizadas 14,4 milhões de remessas postais internacionais e processadas 4,7 milhões de remessas expressas.


Foram arrecadados R$ 93 bilhões em tributos e direitos vinculados ao comércio exterior, bem como lançados R$ 4,3 bilhões em créditos tributários a partir de ações de fiscalização de zona secundária.




Segunda, 28 de Janeiro de 2013

A Operação Veraneio 2013, realizada pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) entre os dias 21 e 24 de janeiro, detectou 73 infrações em 195 restaurantes visitados em Florianópolis e outras 11 cidades do litoral do estado. Foram apreendidos 39 equipamentos, entre impressoras não fiscais, computadores, calculadoras e máquinas para pagamento com cartão de crédito e débito. O índice de 37,4% é menor do que nas operações anteriores, quando as irregularidades alcançaram 49% (2011) e 41% (2012) dos estabelecimentos visitados.


“A cada operação nos convencemos de que ainda há muito a coibir em termos de sonegação. A Fazenda está empenhando seu qualificado corpo técnico e as mais modernas tecnologias para garantir que o bom empresário não seja penalizado por aquele que age de má fé. Novas ações já estão sendo desenhadas e deverão acontecer durante o ano inteiro”, diz o secretário Antonio Gavazzoni.


Entre as infrações, foi detectado um programa de computador que permitia a sonegação fiscal sem comprometer a gestão operacional dos contribuintes, como controle de caixa e estoque. Em uma das empresas onde foi verificado o uso deste aplicativo, que funcionava em paralelo ao sistema da Fazenda, o faturamento bruto registrado foi de R$ 12 milhões, contra os R$ 6 milhões informados à SEF. Outro contribuinte foi ainda mais longe, sonegando 78% do faturado na temporada passada (R$ 1,5 milhão).


Um agravante é que o aplicativo foi criado por uma desenvolvedora de software credenciada pela Secretaria da Fazenda (SEF). Uma comissão composta por auditores fiscais será formada para apurar a conduta da empresa desenvolvedora do software, podendo resultar em seu descredenciamento junto a SEF, sem prejuízo das penalidades previstas na Lei nº 8.137/90 (crime contra a ordem tributária). Quanto aos contribuintes, será cobrado o imposto (ICMS) recolhido a menor em cada período, acrescido de juros e multa, que pode variar de 75% a 150% do valor do imposto sonegado, dependendo da gravidade da infração.


Outras infrações verificadas são comuns nesse tipo de operação: uso do equipamento de cartão de crédito e débito em nome de outro estabelecimento ou de terceiros; balança não interligada ao sistema da Fazenda nos restaurantes a quilo; inexistência do equipamento ECF – Emissor de Cupom Fiscal e/ou do uso do Programa de Aplicativo Fiscal (PAF); uso de impressora não fiscal. Os restaurantes visitados foram previamente identificados por meio do cruzamento de dados de comercialização disponíveis no sistema fazendário.


Segundo o gerente de Fiscalização da Secretaria da Fazenda, Francisco Martins, as operações in loco continuam refletindo positivamente após o seu término. “O efeito multiplicador dessas ações costuma ser muito eficiente. Após a fiscalização, é comum outros contribuintes procurarem a Fazenda para regularizar suas atividades”, afirma.


A Operação Veraneio contou com a atuação de 44 auditores fiscais. Em Florianópolis, a ação se concentrou na Lagoa e Barra da Lagoa, Ingleses, Canasvieiras, Ponta das Canas e Jurerê. As outras cidades que integraram a ação foram Araranguá, Laguna, Garopaba, Balneário Camboriú, Itapema, Bombas e Bombinhas, São Francisco do Sul, Barra Velha e Itapoá.


Esta foi a segunda ação desse tipo realizada pela Secretaria da Fazenda em 2013. No início de janeiro, a Operação Presença Fiscal visitou 472 lojas nos cinco principais shopping centers da Grande Florianópolis e identificou 71 infrações (15%). Novas ações serão realizadas ao longo do ano. “Evoluímos muito com os recursos disponibilizados nos últimos anos pela tecnologia da informação, que permite acompanhar online as atividades fiscais dos contribuintes e detectar irregularidades previamente, potencializando nossas ações”, explica Martins.




Quarta, 23 de Janeiro de 2013

O ano de 2013 começou de vento em popa para Itajaí. E muito disso rememora a vela e os veleiros. Primeiro, teve a confirmação da cidade como sede da Volvo Ocean Race 2014/2015. Depois, os elogios dos franceses da Regata Transatlântica Jacques Vabre à infraestrutura do município. Não obstante, os Schürmann, conhecidos por já terem viajado o mundo a bordo de um veleiro, vão, ainda em 2013, transferir o Instituto Kat Schürmann, de propriedade da família, de Bombinhas para Itajaí.

A afirmação foi do próprio patriarca da família, Vilfredo Schürmann, que durante a cerimônia que confirmou Itajaí como sede da próxima edição da Volvo Ocean Race, em 2014/2015, concedeu uma entrevista exclusiva para a Revista Portuária. Vilfredo comemorava o fato de a cidade estar se descortinando para as atividades náuticas e, na esteira disso tudo, ele considera que Itajaí vai colher uma série de investimentos e benefícios.

“Eu sempre apostei no futuro náutico de Itajaí e, agora, a cidade está colhendo os frutos de investir no esporte a vela, nas atividades náuticas de uma forma geral. Por isso, eu adianto para você que, em 2013, antes de novembro, nós vamos transferir o Instituto Kat Schürmann de Bombinhas para Itajaí”, revelou, pra dizer que a cidade de Bombinhas contará com uma filial do instituto, que tem o objetivo de contribuir para a manutenção da qualidade sócio-ambiental dos ambientes marinho e costeiro.

 




Quarta, 23 de Janeiro de 2013

O Sistema FIESC lançará no dia 31 de janeiro, uma quinta-feira, o Comitê de Petróleo e Gás, durante seminário sobre o tema. O objetivo é discutir oportunidades no setor para as indústrias catarinenses, que podem atuar como fornecedoras de bens e serviços para toda a cadeia produtora. O evento será realizado na sede do Sistema FIESC em Florianópolis, a partir das 14 horas.

Entre os principais objetivos do Comitê estão o aumento da participação da indústria catarinense como fornecedora de bens e serviços para o setor de petróleo e gás natural, o fortalecimento da capacidade industrial e maior articulação entre universidades, centros de pesquisas e empresas, visando ao desenvolvimento tecnológico local da indústria petrolífera de Santa Catarina.

Durante o seminário o superintendente da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP), Luís Fernando Mendonça Frutuoso, apresentará estudo sobre a cadeia de óleo e gás natural no Brasil com o apoio à indústria de Santa Catarina. Frederico Antonio Turra, da CNI, abordará a metodologia para a implantação dos núcleos de petróleo e gás nas Federações de Indústrias.

Os investimentos da Petrobrás em toda a cadeia de óleo e gás chegarão a US$ 236,5 bilhões até 2016, criando um cenário promissor para a economia catarinense.



Quarta, 23 de Janeiro de 2013

Portões de entrada e saída de boa parte dos produtos que são importados e exportados no Brasil, Itajaí e Navegantes tiveram os maiores índices de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2009 para 2010 entre as principais cidades catarinenses.

De acordo com números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2009 e 2010, a soma das riquezas de Itajaí cresceu 40%, passando de R$ 10,88 bilhões para R$ 15,23 bilhões. Em Navegantes, a soma das riquezas saltou de R$ 912,03 milhões, em 2009, para R$ 1,39 bilhão no ano seguinte, um incremento de 53,5%. 

O ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de Itajaí, Onézio Gonçalves Filho, que durante 2012 acompanhou de perto a evolução do PIB do município, afirma que em breve Itajaí vai superar Joinville como a maior economia do Estado. “Esperamos que Itajaí tenha o primeiro PIB do Estado em pouco tempo, porque além do Porto, também temos a indústria naval vindo numa crescente em Itajaí", acredita.

O maior PIB de Santa Catarina segue sendo o de Joinville, que também registrou crescimento expressivo: 38,4%, subindo de R$ 13,34 bilhões para R$ 18,47 bilhões. Depois de Itajaí, segunda colocada, aparecem Florianópolis (R$ 9,80 bilhões), Blumenau (R$ 8,95 bilhões), Jaraguá do Sul (R$ 5,25 bilhões) e São José (R$ 4,78 bilhões).

 






Quarta, 23 de Janeiro de 2013

O governador Raimundo Colombo e o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, participaram esta manhã, em Pinhalzinho, da abertura oficial da 15ª Itaipu Rural Show. A feira, que vai até o sábado, 26, no Centro de Treinamento e Difusão de Tecnologias, tem o tema a "Propriedade Rural Sustentável". 

Durante a abertura da feira, Colombo destacou que Santa Catarina tem 1,1 % do território brasileiro, 3% da população e é o maior produtor de suínos, o segundo maior produtor e exportador de aves e agora o quarto maior produtor de leite do Brasil. “Esses dados mostram a qualidade empreendedora dos catarinenses, a vontade do trabalho, o que merece um elogio. É um orgulho para o nosso povo, mostra a organização e o espírito cooperativo, e é o que estamos comemorando hoje aqui.”


A feira teve o apoio do governo do Estado por meio da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), no valor de R$ 80 mil. O tema da feira é a Propriedade Rural Sustentável. O Itaipu Rural Show mostra aos participantes a evolução e as tendências do agronegócio, reduzindo custos e melhorando a produtividade e, dessa forma, melhorando a vida no campo. “Essa feira é uma vitória do Oeste, com um excelente resultado em favor da melhoria da qualidade de vida das pessoas”, avaliou o governador.





Quarta, 23 de Janeiro de 2013

Um programa de financiamento especial para microempreendedores individuais com juro zero é o foco de um trabalho que está sendo divulgado pelo Governo do Estado e Sebrae/SC no Balneário Camboriú Shopping até próximo dia 15 de fevereiro. No local, consultores do Sebrae e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS) de Santa Catarina prestam informações sobre a formalização de negócios através do Microempreendedor Individual e sobre o programa de financiamentos especial para esta categoria de empresa. 


O Programa Juro Zero está disponível para microempreendedores individuais formalizados, com receita bruta anual máxima de até R$ 60 mil. O programa oferece acompanhamento especializado de agentes de desenvolvimento e inovação, treinados pelo Sebrae/SC, que visitam e acompanham  individualmente cada um dos microempreendedores durante todo o período do empréstimo.


O programa visa aumentar a competitividade da economia catarinense com foco nos microempreendedores individuais e micro e pequenas empresas, que representam a grande maioria dos empreendimentos catarinenses.  O atendimento do posto do Programa Juro Zero no Balneário Camboriú Shopping, localizado no estacionamento coberto (com acesso pela escada rolante em frente a Schutz) é ampliado e funciona no mesmo horário de atendimento das lojas: entre 11h è 23h de segunda a sábado, e entre 14h e 20h aos domingos.


Posto de orientação do Programa Juro Zero


Local: Balneário Camboriú Shopping, estacionamento coberto (acesso pela escada rolante em frente a Schutz)


Data: Até o dia 15 de fevereiro


Horário: Segunda a sábado, 11h às 23h; aos domingos, 14h às 20h

 

 




Quarta, 23 de Janeiro de 2013

A TIM, companhia de telefonia móvel, resolveu investir pesado no centro de Balneário Camboriú. Quem passar pelo Camelódromo que fica em frente a Igreja Santa Inês, um dos espaços mais democráticos da cidade, vai perceber que o local está com um novo visual. O centro de compras popular agora conta com placas de identificação, sinalização e pórticos de entrada, tudo na cor predominante da companhia, o azul. 
Além destas novidades, em breve, os pisos e calçadas também passarão por uma revitalização que dará uma nova aparência ao espaço. Tudo bancado pela TIM.

A empresa conta com quatorze pontos de vendas de TIM Chip e Recarga no camelódromo, por isso considera imprescindível a ação. “A TIM está constantemente querendo se comunicar com seus clientes e, para divulgar suas ofertas, nada melhor do que locais com grande fluxo de pessoas como o camelódromo. Em contrapartida à ação de marketing, estamos contribuindo com a revitalização do local, que é um grande ponto de encontro de moradores e turistas”, afirma Carlos Abilhôa, Gerente de Marketing TIM Sul.

Para os que passam pelo camelódromo para compra de chips e recargas, a operadora prepara promoções e ofertas.  

 




Quarta, 23 de Janeiro de 2013

Por solicitação realizada pela Receita Federal do Brasil junto à Superintendência do Porto do Rio Grande (SUPRG), entrou em vigor no dia 7 de janeiro de 2013 o novo procedimento para a operação de Desembarque de Mercadorias Nacionais e de Importação, no qual deverá constar no Sistema Porto as informações das Notas Fiscais referente às mercadorias que forem descarregadas no Porto Novo do Rio Grande. 

Essas novas adequações estão sendo feitas atendendo ao artigo 2º do Ato Declaratório Executivo COANA/COTEC que está disponível no endereço abaixo:
www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/atosexecutivos/2003/conjuntos/adcoanacotec00



Quarta, 23 de Janeiro de 2013

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) divulgou o balanço total da movimentação de cargas nos portos paranaenses em 2012. Considerando apenas as exportações, foram quase 28,5 milhões de toneladas movimentadas. Esse total é 12% maior que os 25,5 milhões registrados em 2011. Em receita cambial, foram gerados quase US$ 18,6 bilhões – US$ 1 bilhão a mais que no ano anterior.

As exportações representam quase 56,5% da movimentação geral registradas pelos portos de Paranaguá e Antonina em 2012. Esse volume - mais de 44,6 milhões de toneladas - é um novo recorde histórico; 9% maior em relação aos 41 milhões movimentados em 2011. 

“Pelo segundo ano consecutivo, conseguimos quebrar o recorde em produtividade. Para alcançar essa movimentação – superando a meta do Governo do Estado e trazendo mais uma marca histórica – foram adotadas medidas no sentido de coordenar os trabalhos de todos os atores do sistema portuário – do setor público e privado – para vencer as dificuldades logísticas. Além disso, foram adotadas medidas práticas como melhorias no Pátio de Triagem; melhorias na moega de descarga de grãos; a dragagem do Porto de Paranaguá, finalizada em meados de dezembro; e, principalmente, medidas de gestão, com a atuação direta nos conceitos de uma nova modelagem logística que nos permitiu atingir essa movimentação com interferência quase zero na via”, explica o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

Ainda segundo Dividino, as medidas adotadas pela Appa cumprem a determinação do governador Beto Richa: “promover as mudanças que forem necessárias para possibilitar não apenas a expansão na movimentação de cargas mas também atender a produção agrícola e industrial do Estado”, completa o superintendente.



Quarta, 23 de Janeiro de 2013

A União Brasileira de Avicultura (UBABEF) recebeu ontem, dia 22, de seu escritório em Bruxelas, um documento da Comissão Europeia intitulado “Perspectivas dos mercados agrícolas e ingressos na UE 2012-2022”.  E as projeções são de aumento das importações de carne de aves por parte dos países do bloco, um dos grandes clientes do produto brasileiro.


Segundo o estudo, as importações de carne de aves dos países da União Europeia – que decresceram 3% entre janeiro e agosto de 2012, segundo as estatísticas da Comissão Europeia – irão aumentar até chegar ao total de 831 mil toneladas em 2022. O consumo per capita, por sua vez, cresceria 4,3%, em média, chegando a 24 quilos também em 2022.


De acordo com as estatísticas da UBABEF, no ano de 2012 o Brasil embarcou 442 mil toneladas de carne de frango para os países da UE, com uma receita de US$ 1,184 bilhão de toneladas – um resultado inferior ao de 2011, devido à retração econômica em várias economias do bloco, mas respondendo pelo segundo maior mercado de destino das vendas brasileiras do produto.


“As projeções da Comissão Europeia são animadoras para o Brasil, um tradicional fornecedor de carne de frango para os países da UE. Uma posição, aliás, que eleva o status de grife de nosso produto, já que o mercado europeu é extremamente exigente. E isto nos credencia muito na hora de abrir novos mercados”, destacou o presidente executivo da UBABEF, Francisco Turra.

 

 




Quarta, 23 de Janeiro de 2013

O balanço de pagamentos registrou déficit de US$ 4,901 bilhões no mês de dezembro, ante superávit de US$ 18,9 bilhões em igual mês de 2011. As transações correntes das contas externas também apresentaram prejuízo, de US$ 8,413 bilhões, no último mês de 2012, de acordo com o Relatório do Setor Externo, divulgado hoje (23) pelo Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC).


A conta financeira registrou ingressos líquidos de US$ 3,693 bilhões, com destaque para os US$ 5,4 bilhões de investimentos estrangeiros diretos (IED) no mês.


No ano, a conta financeira somou US$ 74,639 bilhões, dos quais US$ 65,3 bilhões de investimentos externos no setor produtivo. Em contrapartida, a conta corrente de 2012 foi deficitária em US$ 54,246 bilhões, equivalente a 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país).


De acordo com o relatório do BC, a conta de serviços em dezembro contabilizou déficit de US$ 4,4 bilhões – no mesmo mês do ano anterior, o déficit foi US$ 3,6 bilhões. No acumulado janeiro-dezembro, a conta de serviços teve saídas líquidas de US$ 41,1 bilhões, com aumento de 8,3% em relação aos gastos de 2011.


As despesas com aluguel de equipamentos atingiram US$ 1,8 bilhão no mês (US$ 18,7 bilhões no ano, 12,3% a mais). O déficit com viagens internacionais somou US$ 1,4 bilhão no mês (US$ 15,6 bilhões no ano) e com transportes chegou a US$ 722 milhões no mês (US$ 8,8 bilhões no ano). Os gastos com computação e informações chegaram a US$ 484 milhões em dezembro (US$ 3,9 bilhões no ano), e as remessas líquidas deroyalties e licenças somaram US$ 302 milhões no mês (US$ 3,2 bilhões no ano) ou 16,4% a mais que em 2011.




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

A semana do réveillon, tradicionalmente a de maior ocupação nos hotéis de Balneário Camboriú, passou e deixou um rastro de quase 100% de ocupação na rede hoteleira do município. Depois disso, o setor esperava uma queda no movimento de turistas na cidade. Entretanto, a julgar pela ocupação de 90% nos hotéis de Balneário Camboriú neste último fim de semana, o setor está aquecido e segue gerando lucros para os empresários do ramo hoteleiro.

A presidente do Sindicato dos Empregados em Hotéis, Serviços de Hospedagem, Bares, Restaurantes e de Fast Foods de Balneário Camboriú e Região, Olga Ferreira, estima que entre a última sexta-feira e o domingo, os hotéis de Balneário tiveram 90% de ocupação. O número é considerado excelente por Olga, que afirma ser isso um reflexo do bom trabalho feito pelos empresários do setor durante todo o ano. “Esse número é significativo e deve se manter assim, pelo menos, até o carnaval”, garante Olga.

A presidente do Sechobar lembra que os argentinos estão viajando menos para Balneário por conta da crise que a economia dos Hermanos atravessa. “Eles estão vindo menos em grupos, mas percebemos que mesmo em menor número, os que vêm representam a classe média/alta e, sendo assim, viajam de avião ou carro e costumam gastar mais”, aponta, pra dizer que atrações turísticas da região, como Parque Unipraias, em Balneário Camboriú, e o Parque Beto Carrero, em Penha, são chamariscos para grupos de brasileiros do Sudeste e Centro-Oeste que visitam em peso a cidade neste início de 2013. 




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

De forma oficial, Itajaí será lançada nesta terça-feira, dia 22, como sede da 12° edição da Volvo Ocean Race, a maior competição náutica do mundo. O evento vai começar às 9h, no Castelo Montemar, na Rua Antônio Menezes V. Drumond, no alto do Morro da Cruz, em Itajaí. A solenidade contará com a participação de autoridades, imprensa, organizadores da parada itajaiense e convidados.

Itajaí e Recife

Já era esperado que Itajaí voltasse a sediar a Volvo Ocean Race, especialmente depois de ter sediado uma etapa inesquecível na edição 2011/2012 da Fórmula-1 dos mares. Agora, falta apenas confirmar o trajeto da regata, que terá outra cidade brasileira no mapa náutico da Volvo Ocean Race, já que Recife foi confirmada como a segunda parada da competição que vai largar de Alicante, na Espanha, em novembro de 2014. 




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

O termo de compromisso do acordo sobre o novo piso regional catarinense deve ser entregue hoje ao governador, Raimundo Colombo, durante cerimônia na Casa da Agronômica. O objetivo é que o Executivo encaminhe o projeto de lei à Assembleia Legislativa para ser aprovado.

Trabalhadores pertencentes às quatro faixas salariais do piso regional devem receber, já na folha de pagamento referente a janeiro, o reajuste definido na última terça-feira, 15, após a quarta rodada de negociações entre entidades representativas patronais e dos empregados na FIESC. A correção do novo salário mínimo regional de 2013 varia de 9,28% a 9,37%.

A Fecomércio-SC, que representa as empresas do comércio de bens, serviços e turismo do Estado atuou, desde o início, diretamente nas negociações. A entidade considera o reajuste equilibrado e ratifica a importância da manutenção de um diálogo direto entre as duas partes. Vale lembrar que o acordo é retroativo ao dia 1º de janeiro deste ano.

Confira os valores aprovados


    A primeira faixa do mínimo catarinense, que estava em R$ 700,00 passa a R$ 765,00 pelo acordo (correção de 9,28%).

    A segunda faixa aumentou de R$ 725,00 para R$ 793,00 (reajuste de 9,37%).

    Já a terceira faixa, que abrange diretamente as empresas do setor de comércio e prestação de serviços, subiu de R$ 764,00 para R$ 835,00 (ajuste de 9,29%).

    A quarta faixa, que abrange empresas do setor imobiliário e também do turismo, que tinha como valor de R$ 800,00, agora deve ser fixada em 875,00 (correção de 9,37%).










 

 




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

O Capitão-de-Mar-e-Guerra Hilbert Strauhs assume o comando da Capitania dos Portos de Santa Catarina, nesta quinta-feira, dia 24 de janeiro, às 10 horas, na sede da entidade, em Florianópolis.

Porto de Itajaí

Na semana passada, Strauhs, na companhia do Capitão de Portos de Santa Catarina, Capitão-de-Mar-e-Guerra Cláudio da Costa Lisboa, visitou os diretores do Porto de Itajaí, Heder Cassiano Moritz, Alexandre Antônio dos Santos e André Pimentel, das diretorias Executiva, Financeira e Técnica, respectivamente, e o Delegado da Capitania dos Portos em Itajaí, Capitão de Fragata Fernando Anselmo Sampaio Mattos.

O objetivo da visita foi a apresentação do Capitão Strauhs aos diretores do Terminal itajaiense. 




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

Desde o início do ano até agora, o governador Raimundo Colombo autorizou o investimento de mais de R$ 220 milhões em obras de infraestrutura. O valor corresponde a 112 quilômetros de rodovias em todas as regiões do Estado. Colombo destacou o início das obras de acesso ao Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, o acesso entre Passos de Torres e a BR-101, no Sul, e o trecho entre Grão Pará e Urubici, na Serra do Corvo Branco, pela SC-439. Também foram autorizados os serviços para o aumento da capacidade de tráfego em Capão Alto, na BR-116 e a pavimentação da SC-427, entre Passo Manso e Rio do Campo, no Alto Vale. “São obras fundamentais para o desenvolvimento econômico e turístico do Estado. Santa Catarina tem mais de 4 milhões de veículos emplacados e a infraestrutura rodoviária precisa acompanhar esse crescimento, oferecendo mais conforto e segurança aos motoristas”, afirmou Colombo.


O governador também comentou as ações que serão realizadas na região Oeste, entre elas a inauguração do presídio de Chapecó. O Estado investiu R$ 9 milhões na estrutura que tem capacidade para 350 detentos. Mais do que a obra física, segundo o governador, o que também é importante ressaltar é o que tem sido feito no trabalho de ressocialização dos internos. “Já alcançamos a marca de 5 mil detentos trabalhando, aprendendo uma profissão, para que possam retomar o convívio social com dignidade”, completou Raimundo Colombo.


A adesão de Santa Catarina ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal também foi comemorada pelo governador, durante a entrevista. Para Colombo é uma forma de valorizar a agricultura familiar e fortalecer a comercialização dos produtos em todo o Brasil. O programa contou ainda com a participação, por meio de comentário pela internet, de um morador de São José do Cerrito, que falou da importância do Programa Juro Zero. Com a linha de crédito especial, ele conseguiu investir na propriedade e dobrar a produção. Colombo reiterou que vai continuar investindo no programa como forma de garantir apoio aos pequenos empreendedores.




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

Começa nesta segunda-feira, dia 21, e vai até o dia 24 a Operação Veraneio 2013 da Secretaria de Estado da Fazenda. No período, 44 auditores fiscais irão fiscalizar cerca de 200 restaurantes em Florianópolis e em outras 10 cidades do litoral catarinense, incluindo Balneário Camboriú, Itapema e Bombinhas.


Os estabelecimentos a serem visitados pelos fiscais foram pré-selecionados e já tiveram dados de comercialização cruzados com o sistema fazendário. A Operação Veraneio 2013 teve início em Florianópolis, com reunião do grupo às 11 horas na Lagoa da Conceição. Dos 44 auditores fiscais, 35 são do Grupo Regional de Ação Fiscal e nove são do Grupo Especialista Setorial em Automação Comercial (GESAC).


Além da Capital a Operação Veraneio atingirá Araranguá, Laguna, Garopaba, Balneário Camboriú, Itapema, Bombas e Bombinhas, São Francisco do Sul, Barra Velha e Itapoá.




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

O Índice Geral de Preços ‐ Mercado (IGP‐M) registrou queda na segunda apuração do mês de janeiro. Na comparação com dezembro, o indicador passou de 0,69% para 0,34%. De acordo com dados apurados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), entre os dias 21 de dezembro de 2012 e o dia 10 de janeiro de 2013.


O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) também apresentou queda nesta apuração, em janeiro ficou em 0,23%. No mesmo período de dezembro, a taxa foi de 0,75%. A taxa de variação dos Bens Finais avançou de 0,90% para 0,93%. A maior contribuição para esta aceleração teve origem no subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de 2,74% para 7,56%.


A taxa de variação do grupo Bens Intermediários passou de 0,36%, em dezembro, para 0,40%, em janeiro. O destaque coube ao subgrupo materiais e componentes para a construção, cuja taxa passou de 0,43% para 0,96%.


O índice referente a Matérias‐Primas Brutas registrou variação de ‐0,73%. No mês anterior, a taxa foi de 1,06%. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram: soja (em grão) (‐1,53% para ‐6,03%), milho (em grão) (6,07% para ‐0,83%) e aves (6,60% para 2,80%). Em sentido oposto, destacam‐se: mandioca (aipim) (3,62% para 8,14%), café (em grão) (‐5,16% para ‐3,44%) e minério de ferro (0,91% para 1,26%).


Custo da Construção


O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou variação de 0,19%. No mês anterior a taxa foi de 0,34%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,31%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,27%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou taxa de 0,07%, no segundo decêndio de janeiro. Na apuração referente ao mesmo período do mês anterior, o índice variou 0,42%.




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

A empresa Burson-Marsteller anunciou os resultados do segundo estudo Latin America Social Media Check-up, em que examina como as 25 maiores empresas do Brasil e de outros países da América Latina utilizam as plataformas das redes sociais mais populares: o Twitter, o Facebook, o YouTube, blogs e o Google Plus.

O estudo aponta que 88% das companhias brasileiras utilizam pelo menos uma das mídias sociais analisadas como plataforma de comunicação, o que representa um aumento de 25 pontos percentuais desde 2010. O índice está acima da média da América Latina, de 65%, e global, de 87%. O Twitter se destacou como a plataforma que mais cresceu, sendo utilizado por 53% das empresas analisadas na América Latina, contra 50% do Facebook. Desde 2010, a média de seguidores por perfil corporativo analisado saltou de 19.023 para 66.958.

"O estudo mostra não só o aumento da presença das empresas nas redes sociais, mais um crescente engajamento das organizações com seus stakeholders. Mais da metade das organizações conversa com seus seguidores através das respostas e retweets. O número de “likes” por página no Facebook cresceu exponencialmente. Hoje, as empresas não divulgam conteúdo, mas estabelecem diálogo com suas audiências", afirma Ramiro Prudencio, CEO da Burson-Marsteller para a America Latina.

Além do crescimento no uso das mídias sociais como plataforma de comunicação corporativa, é possível notar que as empresas têm desenvolvido perfis diferentes para suas várias marcas, o que permite que elas dialoguem com públicos específicos em mercados bem definidos.

O Latin América Social Media Check-up 2012 analisou as 25 maiores empresas em faturamento na Argentina, Colombia, Chile, Mexico, Peru, Porto Rico, Uruguai e Venezuela, além do Brasil.

 

 




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

A versão hatch da versão mais moderna do Fiesta, que hoje é fabricada no México, será produzida também pela Ford na fábrica de São Bernardo do Campo, na região do ABC paulista. O anúncio foi feito ontem pela direção da montadora americana durante o Salão do Automóvel de Detroit, onde o carro está exposto no estande da marca.


A modernização e adaptação da unidade para a produção do novo carro demandaram investimentos da ordem de R$ 800 milhões, dentro de um total de R$ 4,5 bilhões que será destinado ao país no período de 2011 a 2015. Outros R$ 500 milhões foram destinados à fábrica de motores e transmissões em Taubaté, no interior paulista, onde a Ford produz o motor sigma, hoje usado no EcoSport na Bahia e que também passará a equipar o novo carro.


O Fiesta produzido na fábrica da Ford na Bahia hoje é uma versão mais compacta do que o novo projeto. O início da produção do New Fiesta está previsto para o primeiro semestre, em data a ser anunciada pela montadora em breve. A versão sedã do New Fiesta continuará sendo importada do México.


A iniciativa está em linha com a estratégia da Ford de renovar o portfólio de produtos dentro da estratégia de trabalhar com plataformas globais, batizada de One Ford. Nessa linha, o New Fiesta se une ao EcoSport, desenvolvido e produzido em Camaçari (BA), mas depois levado para a Ásia e, futuramente, para a Europa.


O Fiesta é o modelo de automóvel mais vendido pela Ford - ou o sexto maior do país quando se compara com as demais marcas. No ano passado, foram 113,5 mil unidades emplacadas, incluindo o carro com motor rocam, que continuará sendo produzido em Camaçari (BA).


Já em São Bernardo, onde está a sede da Ford no Brasil, o New Fiesta vai se juntar à produção do modelo de entrada Ka e à picape Courier. A montadora também tem uma fábrica de caminhões no complexo industrial.




Segunda, 21 de Janeiro de 2013

Depois de passagens pela Prefeitura de Itajaí, pelo Itajaí Shopping e pela RIC Record, a jornalista Elizângela Cardoso é a nova gerente de Marketing do Balneário Camboriú Shopping. Ela assume o cargo em um momento estratégico do empreendimento, que passará por uma fase de ampliação com a construção do segundo piso a partir de março. As obras devem ser concluídas em 2014.

Formada em Jornalismo pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali), com especialização em Marketing e Propaganda, a nova executiva acaba de chegar de uma temporada de estudos na Europa, onde aperfeiçoou conhecimentos em inglês e aproveitou para visitar shoppings do grupo Westfield Almeida Júnior em Londres, na Inglaterra.




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

Qualificação da mão de obra, inovação e investimentos. Este é o tripé que sustenta a expectativa da Portonave para crescer ainda mais em 2013. Depois de um ano de 2012 em que o terminal portuário cresceu 13% em termos de movimentação, enquanto o Produto Interno Bruto (PIB) nacional elevou-se a 1%, a Portonave não quer se acostumar com esse patamar.

“Fizemos 620 mil TEUs em 2012, aumentamos o faturamento e temos novos equipamentos chegando. Então, em 2013, a partir de abril, faremos novas contratações e vamos buscar crescer além dos 13%”, confia o superintendente administrativo do terminal privado, Osmari de Castilho Ribas.

Segundo Castilho, a meta da empresa é sempre buscar um patamar superior. É nesse sentido que Castilho costuma usar uma analogia no trabalho diário com os colaboradores da empresa. “Eu costumo dizer que ‘camarão que dorme a onda leva’. A gente conduz a empresa com melhoria contínua, inovação e produtividade. Só seremos competitivos se buscarmos a excelência de forma incessante”, comenta o superintendente. 




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

Na noite de segunda-feira, dia 14 de janeiro, às 20 horas, o Porto de Itapoá realizou a primeira operação noturna com um navio de 300 metros de comprimento. Com bandeira de Hong Kong, o cargueiro Aliança Itapoá atracou no terminal de forma tranquila e sem problemas.

O Aliança Itapoá é um moderno e típico navio para contêiner, com a maior capacidade de carga dentre todos que atualmente operam na costa da América do Sul. Ele recebeu esse nome em homenagem a cidade de Itapoá, no Litoral Norte catarinense. A rota do Aliança é entre a costa leste da América do Sul e os principais portos da Ásia.

O próximo navio com 300 metros ou mais de comprimento a atracar no terminal à noite é o Maestro La Paz, também com bandeira de Hong Kong. A embarcação vai atracar na madrugada do dia 20 de janeiro.

A Marinha do Brasil, através da Capitania dos Portos de Santa Catarina, em conjunto com a Delegacia da Capitania dos Portos de São Francisco do Sul, autorizou na primeira semana do ano a realização de manobras especiais noturnas para entrada de navios com até 300 metros de comprimento, largura até 43 metros e calado máximo de 10,5 metros.

De acordo com portaria nº 48/CPSC de 17/10/2012, a Marinha já tinha elevado os parâmetros para as manobras diurnas para os dois portos da Baía da Babitonga, possibilitando a entrada e saída de navios até 334 metros de comprimento, no caso do Porto Itapoá, e 310 metros, em São Francisco do Sul.

No documento, no entanto, ainda havia limitação para as manobras noturnas. Contudo, após a emissão deste novo ofício por parte da Delegacia dos Portos em São Francisco do Sul, os dois terminais, juntamente com a Praticagem que atua na Baía da Babitonga, poderão estudar por um período de 60 dias a entrada dessas embarcações maiores também à noite.

 




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

O governador Raimundo Colombo e o secretário da Infraestrutura, Valdir Cobalchini, entregaram nesta quinta-feira, 17, a ordem de serviço para a restauração de 5,5 quilômetros da rodovia que liga o município de Passo de Torres à BR-101, no Sul do Estado. A obra faz parte do Pacto por Santa Catarina. O investimento soma R$ 2,8 milhões, financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID. A obra inicia
em até 30 dias e o prazo para conclusão é de cerca de um ano.

Raimundo Colombo disse que o governo vive uma fase importante, a execução das ações. O governador explicou que durante dois anos foram feitos projetos e definidas as prioridades. Nesse tempo, foram realizados estudos para saber onde ocorrem mais acidentes, onde estão as curvas mais perigosas, quais os locais que precisavam de terceira pista e onde a população estava sofrendo com a falta de uma rodovia de qualidade. “Detectamos 127 locais, que são responsáveis por 70% dos acidentes no Estado. Todos esses locais estão passando por uma verdadeira transformação.”

Favorecer a mobilidade faz toda a diferença para a população de Passo de Torres que tem sua economia baseada na pesca artesanal, que gera ao município emprego e renda. Esta atividade econômica representa cerca de 60% da economia local. Diariamente, no terminal pesqueiro, chegam 60 barcos de pesca do alto-mar com cerca de seis toneladas de peixe. Além do setor primário com destaque para a pesca artesanal, a economia destaca-se também no setor terciário, com o turismo de veraneio. Na alta temporada do verão a população que é de 6,5 mil habitantes quadruplica.




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

“No ritmo que está hoje, segundo um levantamento nosso, dá para tocar a construção civil em Balneário por mais 20 anos. Tem muito espaço vago para se construir, mas eu também não sei se a cidade suporta”. Com essa frase, o presidente do Sindicato da Construção Civil em Balneário Camboriú, Carlos Humberto Metzner Silva, expõe a preocupação do setor com o futuro da atividade na cidade.

Não que a construção civil esteja numa descendente, pelo contrário, afinal, o setor cresce ano após ano e, em 2013 e 2014, a tendência é de valorização ainda maior das construções e de muitos novos lançamentos. Entretanto, pondera Carlos, o exíguo espaço geográfico de Balneário e a alta demanda por novas construções na cidade necessita ser discutida pela sociedade.

“Uma coisa é tu ter o espaço vago e construído, outra coisa é tu absorver, a cidade e sua infraestrutura absorverem novas construções. Então, esse ano vai ser decisivo porque vamos discutir o Plano Diretor de Balneário”, afirma, lembrando que a prefeitura baixou um decreto onde não está mais aceitando novos projetos até que se discuta o Zoneamento do município.

 




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

Em Balneário Camboriú, cidade dos arranha-céus, o Senai oferece cursos gratuitos para técnico em edificação. Ao todo, serão 35 vagas. Em Itajaí, município portuário e referência em logística no Brasil, os cursos do Senai são para técnico em eletromecânica, eletrotécnica, segurança do trabalho, logística, técnico em portos e técnico em suporte e manutenção de informática. As vagas em Itajaí são proporcionais ao número de cursos e 335 jovens serão contemplados com a oportunidade de iniciarem suas carreiras.

Estes jovens, que ainda não terminaram o Ensino Médio, mas que desde já querem aprender e trabalhar, têm até o dia 1° de fevereiro para se candidatarem a uma das 8,4 mil vagas gratuitas em cursos técnicos oferecidos pelo SENAI/SC em todo o Estado. São 233 opções de formação em áreas como construção civil, metalmecânica, vestuário, informática , eletrotécnica, logística e outras. Os cursos serão realizados em
28 cidades, distribuídas por todas as regiões do Estado.

As formações fazem parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do governo federal, e são oferecidas em parceria com a secretaria de Educação de Santa Catarina. Podem se inscrever estudantes que estejam no segundo ou terceiro ano do ensino médio, em escolas da rede pública ou que tenham bolsa integral em escolas particulares.

Os interessados podem se inscrever nas unidades do SENAI (veja a lista completa dos endereços no site www.sc.senai.br), nas escolas públicas ou nas Gerências Regionais de Educação (Reged). A seleção será por sorteio, promovido pela secretaria de Educação nos dias 5 e 6 de fevereiro nas Gered´s. Os selecionados receberão lanche, vale transporte, uniforme e equipamentos de proteção. As aulas têm início previsto para o dia 25 de fevereiro.

O SENAI também possui vagas para cursos gratuitos de qualificação profissional voltados para pessoas com carência financeira e seus dependentes. Para pessoas que não se enquadram nos critérios de cursos gratuitos, há ainda 3,9 mil vagas em outras 129 opções de cursos técnicos presenciais e a distância. Mais informações sobre esses cursos pelo fone 0800 48 1212.




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

A Universidade do Vale do Itajaí (Univali) recebe, no dia 29 de janeiro, no Sheraton Porto Alegre Hotel, em Porto Alegre/RS, premiação do ranking das Campeãs da Inovação 2012 do Sul do Brasil. A instituição aparece entre as entre as 50 empresas mais inovadoras (entre todos os setores da economia), segundo levantamento publicado pela Revista Amanhã. Em Santa Catarina a Univali ocupa a 1ª posição no segmento
educação. O ranking da Revista Amanhã foi feito em parceria com a Edusys e Núcleo de Inovação da Fundação Dom Cabral e foi divulgada na edição de dezembro da publicação.




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

Diretores do Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região (SINDIPI) reuniram-se ontem, 16, com o Secretário de Estado da Agricultura e da Pesca João Rodrigues e outras autoridades, como o Deputado Estadual Edson Andrino e membros do Sindicato das Indústrias de Pesca de Florianópolis (Sindifloripa).

Os representantes do setor pesqueiro foram pedir apoio em uma questão extremamente delicada, a importação de camarão proveniente da Argentina, que está tramitando no Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e que pode causar a desestruturação e consequentemente a extinção das cadeias produtivas nacionais de todos os tipos de camarão explorados e cultivados no Brasil.

Em 27/12/12, a SEMOC (Secretaria de Monitoramento e Controle) do MPA publicou nova ARI (Analise de Risco de Importação) para a importação do camarão “PLEOTICUS MUELLERI” da Argentina,
revogando a anterior de 07/2012 que proibia a transação por motivos sanitários.

O Secretário João Rodrigues se mostrou preocupadíssimo com a situação e prometeu levar a pauta ao Governador Raimundo Colombo e a bancada catarinense. Os Diretores do SINDIPI esperam que com essa mobilização ganhem apoio para resolver a questão preservando assim os pescadores artesanais  e industriais, e os carnicicultores  de todo território nacional.

 




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

O café brasileiro participou com 6,7% da balança do agronegócio brasileiro em 2012, ficando no sexto item da pauta das exportações, atrás do complexo soja, carnes, complexo sucroalcooleiro, produtos florestais e cereais, farinha e preparações. As exportações de café somaram, de janeiro a dezembro passado, US$ 6,46 bilhões. Em termos de quantidade ficou em 1.589.705 toneladas.

O café verde, responsável por 88,5% do valor exportado pelo setor, representou US$ 5,72 bilhões. O volume embarcado no período registrou 1,5 milhão de toneladas. Já o café torrado e moído marcou US$ 18,37 milhões em 2012. As exportações com este produto foram de 2.230 toneladas. Já as exportações de café solúvel totalizaram US$ 698,4 milhões e 79.968 toneladas do produto.

Os números estão consolidados no Informe Estatístico do Café, atualizado mensalmente pela Secretaria de Produção e Agroenergia, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Maior produtor e exportador de café do mundo, o produto nacional participa com 27,24% do mercado internacional. Permanecem como principais compradores Alemanha, Estados Unidos, Itália e Japão. De acordo com o informativo mensal, a estimativa para o consumo no mercado interno é de 20 milhões de sacas de café, em 2012. A produção nacional é de 50,8 milhões de sacas de café beneficiado.

 




Quinta, 17 de Janeiro de 2013

Aumentar os lucros sem esquecer das promoções. Depois do prejuízo de 2012, as companhias aéreas brasileiras esperam aumentar em 9% o número de passageiros em 2013. Haverá mudanças para recuperar o lucro, mas está descartado o fim das promoções. A notícia foi dada pelo presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas, Eduardo Sanovicz.

Ele disse hoje que em 2012, embora a demanda tenha crescido 7,14%, com 75 milhões de passageiros, o setor terminou o ano com prejuízo. Ele não informou o valor da perda financeira.

Neste ano, segundo o executivo, as empresas querem recuperar o lucro, mas as mudanças não incluem aumento do preço das passagens. Nem determinarão o encerramento das promoções de compras antecipadas com preço menor. O presidente da associação das companhias aéreas espera que em 2013 o crescimento do setor mantenha ritmo semelhante ao do Produto Interno Bruto (PIB).

 

 




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

O mundo náutico definitivamente se rendeu a Itajaí. Enquanto os responsáveis técnicos pela Regata Transatlântica Jacques Vabre, que vai aportar em Itajaí no mês de novembro, estão fazendo vistorias pela cidade a fim de conhecer a infraestrutura do município, a prefeitura de Itajaí lançou o convite para o lançamento oficial da cidade como sede da 12° edição da Volvo Ocean Race, maior competição náutica do mundo, que vai passar novamente por aqui entre 2014 e 2015.

A cerimônia está marcada para a próxima terça-feira, dia 22 de janeiro, no Castelo Montemar, na Rua Antônio Menezes V. Drumond, no Alto do Morro da Cruz, em Itajaí. A solenidade terá início às 09 horas.

A parada brasileira da Jacques Vabre, tradicional regata francesa que atravessa a Europa em direção à América do Sul, ocorrerá de 21 de novembro a 2 de dezembro. Até lá, representantes da regata devem voltar a Itajaí pelo menos mais duas vezes.

Já a Volvo Ocean Race é velha conhecida dos moradores de Itajaí. Depois de o município ter sediado uma etapa inesquecível da Fórmula-1 dos Mares, em abril de 2012, onde os competidores, a organização e o público foram brindados com uma das melhores – se não a melhor – parada da edição 2011/2012 da regata, agora é a vez de sedimentar a cidade como polo náutico planetário.

Em relação à próxima edição da Volvo Ocean Race, a única dúvida dos organizadores é se a competição vai passar por aqui em 2014 ou 2015, pois isso ainda depende do trajeto da prova.

 

 




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

Desde 2007, quando a Portonave construiu o porto privado no município de Navegantes, o número de empregos, moradores e empresas instaladas na cidade vem crescendo aceleradamente. O crescimento do terminal é visto a olhos nus, seja no aumento do número de operações ou na credibilidade que a Portonave vem obtendo junto a clientes, fornecedores, colaboradores e população de Navegantes em geral.

A Revista Portuária esteve na Portonave nesta manhã de quarta-feira e, em conversa com o superintendente administrativo do terminal, Osmari Castilho Ribas, ficamos sabendo que 2013 será mais um ano de mudanças no terminal.

Mudanças que devem alçar a empresa a patamares ainda maiores que o atual. “Estamos nos preparando para receber, no final de março e início de abril, mais três portêineres e cinco RTGs. Ou seja, teremos seis portêineres no cais. Seremos o terminal com o maior número de portêineres em Santa Catarina”, afirma, acrescentando que a mesma classificação vai acontecer no número de RTGs. “Serão 18 RTGs, o maior número
nos terminais do Estado”.




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

O governador Raimundo Colombo e o secretário de Estado da Infraestrutura, Valdir Cobalchini, vão autorizar, nesta quinta-feira, 17, mais de R$ 100 milhões em obras de infraestrutura nas regiões Sul e Serrana. As obras fazem parte do Pacto por Santa Catarina e compreendem a pavimentação de uma rodovia e a restauração de outras duas, totalizando 69 quilômetros de obras.

A principal obra é pavimentação de 32 quilômetros na rodovia SC-370, entre Grão Pará e Urubici, no trecho da Serra do Corvo Branco. Em solenidade na localidade de Aurê, em Grão Pará, às 14 horas, o governador fará o lançamento do edital para contratação da empresa que vai pavimentar essa rodovia. A obra está orçada em R$ 70 milhões com recursos financiados por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES.

Na manhã do mesmo dia, às 10 horas, o governador vai entregar a ordem de serviço para restauração da rodovia AE-101M, entre Passo de Torres e a BR-101. O trecho de 5,5 quilômetros receberá investimentos de R$ 2,8 milhões, financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID.

Ainda nesta quinta-feira, às 17 horas, em Capão Alto, o governador fará o lançamento do edital para a restauração do trecho BR-116/Capão Alto/Campo Belo do Sul. Os trechos de 32 quilômetros estão orçados em R$ 27,2 milhões, financiados pelo BNDES.

 




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

A implantação do Instituto Senai de Tecnologia em Logística (ISTL) na cidade de Itajaí vai alavancar ainda mais a qualificação da mão-de-obra na região. Previsto para ser inaugurado no mês de outubro, o ISTL consiste na oferta de programas de educação profissional e de serviços de consultoria em quatro plataformas: produção, armazenagem, distribuição e logística sustentável.

O Instituto Senai de Tecnologia (IST) vai atuar com ações de educação profissional e de serviços de consultoria em quatro plataformas tecnológicas de suprimentos: armazenagem (dimensionamento, planejamento, controle de estoques e movimentação); produção (manufatura enxuta e kanban, planejamento integrado da produção); distribuição (modelagem, estudos de soluções) e logística sustentável (logística reversa, combustíveis alternativos, porto sem papel, lean office e lean manufacturing, horários e roteiros alternativos).

Geferson Luiz dos Santos, diretor do Senai em Itajaí, explica que, com a implantação do ISTL, o Senai busca preparar os alunos para os desafios da logística em um cenário que a atividade é cada vez mais essencial para uma enorme gama de setores, indo desde a atividade portuária, passando pela construção naval e chegando na construção civil, outro setor que cresce exponencialmente na região. “O Instituto vai alavancar os serviços de logística na região, uma vez que os profissionais serão formados com os melhores equipamentos, professores e técnicas de mercado”, lista Geferson.

TEM MAIS

Serão criadas oito unidades do Instituto Senai de Tecnologia. Três deles ficam na região Norte: um em Joinville (setor metalmecânico); Jaraguá do Sul (eletroeletrônica) e São Bento do Sul (moveleiro). As outras cinco vão surgir em Blumenau (têxtil e meio ambiente); Chapecó (alimentos); Criciúma (materiais); Florianópolis (tecnologia da informação); Itajaí (logística).

Os centros de excelência fazem parte do Programa Senai de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira. Em todo o Brasil, o programa terá investimentos da ordem de R$ 1,9 bilhão, dos quais R$ 1,5 bilhão provenientes de financiamento do BNDES.

No caso de Santa Catarina, R$ 130 milhões serão de recursos do Senai Nacional, incluindo o financiamento do BNDES, e outros R$ 100 mil com recursos próprios.

 




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

Uma reportagem do jornal O Estado de São Paulo, publicada na edição de terça-feira, 15, dizia que o preço da gasolina e do óleo diesel poderia subir até 7% já na próxima semana. Horas depois, o ministro interino da Fazenda, Arno Augustin, também secretário do Tesouro Nacional, veio a público afirmar que não existe nenhuma decisão no sentido de aumentar o preço dos combustíveis nas bombas.

Nos últimos meses, tanto o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, como a presidente da Petrobrás, Maria das Graças Foster, revelaram que em 2013 o consumidor iria pagar pelo aumento dos combustíveis, mas não disseram quando e nem qual seria o percentual do aumento.

Na manhã desta quarta-feira, 16, o secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Antonio Henrique da Silveira, disse que a defasagem no valor da gasolina no Brasil em relação ao internacional é de cerca de 7% e que um reajuste no preço do combustível neste patamar é “plausível”. Ele apontou, entretanto, que o governo ainda não decidiu quando será este aumento.

Na região

O Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Litoral Catarinense e Região (Sincombustíveis), Roque André Colpani, revela que entre os empresários do setor existem rumores sobre uma suposta alta no preço dos derivados do petróleo, porém, não existe nenhuma definição sobre datas e valores do suposto aumento, pelo menos até o momento. “Olha, que a gasolina vai aumentar, isso você não tenha dúvida. Agora, não sabemos quando e nem quanto”, observa.

Roque lembra que há um ano, a gasolina estava entre R$ 2,80 e R$ 2,90 nas bombas de combustível de Itajaí. Hoje, reforça, os preços diminuíram e estão entre R$ 2,65 e R$ 2,70.  A queda nos últimos 12 meses é atribuída por ele a livre concorrência de preços, o que força os empresários que trabalham com bandeiras de marcas famosas a diminuir o preço para concorrer com as petrolíferas não tão conhecidas do grande público. “A defasagem é grande e a Petrobrás precisa subir o preço da gasolina. Por isso, acredito que o aumento vai ser devagar, mas deverá chegar na casa dos 15% até o fim do ano”, prevê Roque.

 




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

A DC Logistics Brasil, empresa que que atua no gerenciamento logístico do transporte internacional, com uma unidade em Itajaí, registrou um crescimento médio de 14% em 2012. O aumento em relação a
2011 se fortaleceu em diferentes modais.

“Nosso foco nos aspectos internos, evoluindo com as pessoas e processos, nos trouxe melhor qualidade de trabalho e garantiram nosso crescimento orgânico em 2012”, esclarece Ivo Mafra, managing director da DC Logistics Brasil.

Mafra reforça que a empresa manterá o foco em desenvolvimento das pessoas, na qualidade de trabalho e no fortalecimento das bases comerciais em 2013.

No modal marítimo, a DC Logistics Brasil apresentou crescimento de 18%, com destaque para o acréscimo dos embarques de exportação na casa dos 23% em número de TEUs. A soma de toda a movimentação, em relação ao mesmo período de 2011, atingiu crescimento de 15%. 

Com ascensão no mercado asiático, responsável por 21,5% da fatia de aumento, as operações da DC Logistics Brasil no modal aéreo chegaram à marca de 12% de elevação nos embarques. O crescimento em peso bruto totalizou 17%. 

 

 




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

A Oceano Bikes e Fitness, fabricante de bicicletas e equipamentos de ginástica, está estudando a possibilidade de transferir a sua unidade de produção, instalada em Santo Ângelo (RS), para Barra Velha, no Litoral Norte de Santa Catarina. Os empresários Leandro Deliberalli e Edson Keller, sócios do empreendimento, estiveram reunidos semana passada com o prefeito Claudemir Matias Francisco para discutir o assunto.

A ideia da empresa é erguer na cidade catarinense uma fábrica de 2 mil metros quadrados de área construída que, num primeiro momento, iria fabricar a linha de produtos Fitness. Caso as negociações evoluam, os planos são construir mais 12 mil metros quadrados até o fim do ano – mais 2 mil para a produção dos equipamentos de ginástica e outros 10 mil para a fabricação de bicicletas.

Se confirmada, a nova fábrica deve gerar cerca de 200 novos empregos diretos, fora os indiretos. Valores de investimentos não foram informados.

Além de atrair novos empreendimentos, a equipe de governo de Barra Velha está trabalhando na implantação de um programa de incentivos em busca de espaços para a instalação de um condomínio de pequenas empresas, para incentivar o crescimento do município.

 




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), medido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu de 0,77% para 0,89% na segunda prévia de janeiro. Quatro dos oito grupos pesquisados apresentaram acréscimos, entre eles despesas diversas (que passou de 2,20% para 3,24%) sob o efeito dos cigarros (de 5,09% para 7,22%).

No grupo alimentação, a taxa atingiu 1,78% ante 1,57%, com a elevação das hortaliças e legumes (que subiu de 5,35% para 11,20%). E, como sempre ocorre nesta época do ano, o grupo educação, leitura e recreação teve forte avanço, passando de 1,26% para 2,09% em consequência das correções de preços dos cursos formais (que passaram de 1,81% para 4,07%).

Em habitação, o índice aumentou de 0,26% para 0,32%, puxado pela alta no segmento de móveis (de -0,32% para 0,43%). Nos demais grupos, as elevações ocorreram com taxas menores do que na pesquisa anterior - vestuário (de 0,64% para 0,13%), com destaque para a queda na média de preços das roupas (de 0,59% para -0,32%) e dos transportes (de 0,34% para 0,30%). Entre os motivos, está a tarifa de
táxi (5,11% para 0,41%).

Em saúde e cuidados pessoais houve ligeiro decréscimo (de 0,58% para 0,56%), com influência dos serviços de salão de beleza (de 1,33% para 0,99%), e comunicação (de 0,04% para 0,02%), provocada pela estabilidade na cobrança da mensalidade para a TV por assinatura (de 0,09% para 0,00%).

Os cinco itens que mais contribuíram para o aumento da inflação foram: cigarros (de 5,09% para 7,22%); refeições em bares e restaurantes (de 1,10% para 0,80%); tomate (de 8,77% para 16,31%); curso de ensino fundamental (de 2,19% para 5,21%) e curso de ensino superior (de 1,44% para 2,99%).

 

 




Quarta, 16 de Janeiro de 2013

Apesar da queda na produção e nas exportações de frango, o Brasil manteve a posição de maior exportador mundial e de terceiro maior produtor de carne de frango, atrás dos Estados Unidos e da China. Na terçã-feira, 15, a União Brasileira de Avicultura (UBABEF) anunciou as estatísticas consolidadas do setor em 2012.  A produção de carne de frango, principal produto avícola, foi de 12,645 milhões de toneladas, o que representa uma queda de 3,17% em relação a 2011.

A entidade informa que a redução na produção foi reflexo da disparada, em 2012, dos preços do milho e da soja, que representam os principais custos do setor. Este impacto foi seguido pela ausência de créditos para avicultores e agroindústrias, o que resultou na paralisação de diversas empresas do setor e em milhares de demissões.

“A avicultura brasileira enfrentou em 2012 a maior crise de sua história. E as consequências só não foram mais acentuadas porque estamos falando de um setor muito sólido”, destacou o Presidente Executivo da UBABEF, Francisco Turra, frisando que a produção avícola atravessou esta conjuntura mantendo seus atributos de qualidade, sanidade e sustentabilidade.

De acordo com o presidente da UBABEF, existe a expectativa de maior produção de grãos por parte de países do Hemisfério Sul. E os contratos futuros para negócios com milho e soja indicam patamares de preços abaixo dos que foram praticados em 2012 e impactaram negativamente o setor. Mas alertou: “trata-se de um alívio, mas ninguém deve esperar o retorno aos patamares históricos, anteriores á seca que atingiu a agricultura dos Estados Unidos e que provocou a disparada de preços dos grãos no mundo”.

Segundo a entidade, foi a primeira queda desde o ano 2000, já que em todos os anos posteriores até 2011 houve crescimento da produção acima do Produto Interno Bruto (PIB).

As exportações chegaram a 4.138 milhões de toneladas em 2012, enquanto em 2011 foi de 4.118 milhões de toneladas, o que representa queda de 0,5%. O faturamento foi US$ 8.362 milhões, 6,7% a menos do que em 2011.

A previsão é que em 2013 o setor cresça 3% entre produção e exportação. Resta torcer para que o milho e a soja não encontrem restrições climáticas para se desenvolver.

 

 

 




Segunda, 14 de Janeiro de 2013

O ano mal começou e o Porto de Itapoá já planeja crescer de forma a ficar cada vez mais competitivo perante outros portos da região Sul do Brasil. A meta do Terminal é iniciar o processo de ampliação de seu cais e pátio em 2013. Hoje o Porto de Itapoá tem capacidade para movimentar 500 mil TEUs. Com a ampliação do cais de 630 para 1000 metros, e o pátio de 150 mil m² para 450 mil m², o Porto poderá movimentar até 2 milhões de TEUs, por ano. “Em 2013, esperamos nos consolidar entre os principais terminais portuários do continente. Para isso, já estamos trabalhando nos projetos de ampliação, visualizando um acréscimo significativo da demanda já para o início do ano”, afirma Patrício Junior, diretor superintendente do Porto Itapoá. 

De acordo com Alberto Machado, analista de comunicação do Porto de Itapoá, o início das obras que irão aumentar a capacidade de operação do Terminal dependem da liberação das licenças ambientais, expedidas pelo Ibama, e das licenças operacionais, que são dadas por órgãos como a Agência Nacional dos Transportes Aquaviários (Antaq) e da Marinha do Brasil. “Estamos na fase das licenças ambientais e operacionais. No entanto, em breve, os trabalhos de ampliação do cais e do pátio já estarão a pleno vapor”, confia Alberto.

Para aumentar a capacidade de movimentação de contêineres refrigerados, também serão instaladas 3.620 novas tomadas reefers. Atualmente, o terminal possui 1.380 tomadas, tecnologia que será ampliada para atender a crescente demanda de cargas refrigeradas do Sul do Brasil, região onde estão concentrados os maiores frigoríficos da América Latina. 

Além deste significativo avanço da infraestrutura do terminal, a área retroportuária também tem se tornado um grande centro de investimentos na região, atraindo investidores e empresários do ramo logístico de todo o mundo. São 12 milhões de m² disponíveis numa área de 8 km de rodovias que dão acesso ao terminal. “Tudo isso será movimentado com o nosso alinhamento com exportadores, importadores, transportadoras e armadores. É uma cadeia ampla e complexa que se beneficiará com o potencial que Itapoá tem para oferecer ao cenário logístico brasileiro”, revela o superintendente. 

 O Terminal

Considerado um dos mais modernos e seguros terminais portuários da América Latina para a movimentação de contêineres, o Porto de Itapoá já gerou 500 empregos diretos – número que deve subir para 800 com a expansão – e cerca de 2 mil indiretos, arrecadando R$ 1,4 milhão do Imposto Sobre Serviços (ISS) para o município. 

 




Segunda, 14 de Janeiro de 2013

Otimismo e esperança. Estes foram dois sentimentos latentes no governador Raimundo Colombo ao projetar as ações do governo para o ano de 2013, no programa Com a Palavra, o Governador, no último sábado pela manhã. “Passamos dois anos planejando e conhecendo as prioridades. Terminamos praticamente todas as obras que estavam em andamento quando assumi. Agora vamos acelerar para realizar outras obras. Começamos o ano com o pé direito”, destacou Raimundo Colombo, que já realizou o primeiro ato na Serra catarinense.

Um dia após a liberação de um financiamento para o programa Pacto por Santa Catarina, Colombo assinou a autorização das obras de reabilitação da SC-114, entre os municípios de Painel e São Joaquim, investimento de mais de R$ 55 milhões previsto no pacote de 12 obras de infraestrutura que serão executadas com recursos que somam R$ 650 milhões. Destas 12 iniciativas, 10 já estão licitadas e vão ter suas ordens de serviço assinadas nas próximas semanas.

Além da rodovia na região da Serra, o governador destacou outras obras, como a Via Rápida de acesso à BR-101, em Criciúma, no Sul do Estado, e o contorno de Garuva, ao Norte. A ligação entre Jaborá e Ouro pela SC 467, no Meio-Oeste, e o trecho que liga São Lourenço do Oeste a São Domingos, também estão no pacote. 

As melhorias ainda vão acontecer em outras regiões, como o Vale do Itajaí, já que, ao todo, o Pacto por Santa Catarina prevê a aplicação de R$ 2,8 bilhões na implantação de novas estradas e na recuperação de 30% da malha rodoviária pavimentada do Estado.



Segunda, 14 de Janeiro de 2013

Se em 2012, apenas no mês de dezembro, foram registrados 26.658 emplacamentos de veículos novos em Santa Catarina, enquanto em novembro foram 22.274 unidades, a expectativa do setor no Vale do Itajaí é de crescimento em 2013, porém, numa velocidade menor do que a dos últimos meses. Isso se deve, entre outras coisas, pelo fim da redução no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

O novo regime de taxação já está valendo e voltará ao normal até julho. Antes disso, o IPI será elevado progressivamente em janeiro e abril. No Vale do Itajaí, o setor automotivo planeja um crescimento de 4% na venda de veículos zero quilômetro (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motos). Em 2012, o aumento se deu em 12,28%. O número é considerado normal, uma vez que a elevação acontece sobre um número alto.

Sérgio Werner, que é diretor da Promenac, em Itajaí, explica que o crescimento menor está enraizado no fato de o mesmo ocorrer sobre uma base elevada. Isso foi ajudado decisivamente pela redução do IPI, que diminuiu o preço dos automóveis nos últimos sete meses de 2012. “Com a volta do IPI, o preço dos automóveis vai subir até 10% durante o ano. O crescimento vai acontecer, porém numa escala menor do que a anterior, algo em torno de 4%”, aponta Sérgio, dizendo que os 12% do ano passado fazem a expectativa parecer pequena, o que é rechaçado por ele. “O importante é sempre aumentar as vendas”, pontua. 

De acordo com os dados divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores Regional Santa Catarina (FENABRAVE), da qual Sérgio faz parte da diretoria, as vendas de veículos novos em Santa Catarina tiveram um aumento de 20% registrado em dezembro, se comparado ao mês anterior. O número foi maior do que o resultado nacional, que foi de 14,32%. Para 2013, em Santa Catarina, esse número deve girar na base dos 4% ou 5%, diz Sérgio Werner.

No Brasil, em 2013, a Fenabrave projeta crescimento de 2,82% nas vendas de veículos novos.



Segunda, 14 de Janeiro de 2013

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Itajaí espera ter um crescimento cerca de 2% maior do que o estimado pelo comércio varejista no Brasil em 2013. A afirmação é do mais novo presidente da entidade, Hamilton Luis Sedres, que se baseia no histórico que a CDL tem de alcançar números mais expressivos que a média nacional. “Esperamos crescer cerca de 2% mais que a média nacional. Se no país, o comércio vai crescer 7,5%, aqui cresceremos 9,5%”, aposta Hamilton.

Ele diz que as ações realizadas pela CDL, como divulgação maciça dos produtos do varejo e promoções constantes, sustentam a expectativa. “O incremento vai acontecer também na criação de novos postos de trabalho em Itajaí, na mesma proporção do aumento nas vendas”, destaca Hamilton. 

Nacional

No Brasil, as vendas do comércio varejista devem crescer em torno de 7,5% neste ano, menos do que os 9,1% estimados para o ano passado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A Divisão Econômica da CNC calcula que, apesar de menores em relação a 2012, as vendas terão “ritmo razoavelmente positivo” em 2013; principalmente por causa da esperada evolução favorável do mercado de trabalho e pela provável queda nos níveis de inadimplência dos consumidores, que contribuirá para a melhoria das condições de crédito.

De acordo com a CNC, a geração de postos de trabalho deve apresentar progresso em 2013, comparado ao 1,05 milhão de vagas criadas no ano passado. A entidade estima em 1,7 milhão de novos postos de trabalho, dos quais 465 mil (26%) em atividades comerciais.



Segunda, 14 de Janeiro de 2013

A presidente Dilma Rousseff sancionou a lei 12.783, que renova concessões do setor de energia e permite o barateamento da conta de luz dos brasileiros. A lei foi publicada na edição desta segunda-feira do "Diário Oficial da União". De acordo com cálculos do governo federal, as medidas previstas na lei vão levar a uma redução média de 20,2% na tarifa de energia a partir de fevereiro.

Segundo a lei 12.783, as concessões de geração de energia elétrica poderão ser prorrogadas uma única vez, pelo prazo de até 30 anos, de forma a assegurar a continuidade, a eficiência da prestação e a tarifa mais baixa.

Para terem o contrato de geração renovado, as concessionárias devem atender a requisitos estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em relação a tarifas e qualidade do serviço. A agência também disciplinará o repasse, para a tarifa final paga pelo consumidor, de investimentos necessários para manter a qualidade e continuidade da prestação do serviço pelas usinas hidrelétricas.

 




Segunda, 14 de Janeiro de 2013

A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) espera que ocorra uma intensificação do ritmo de atividade industrial em 2013, mesmo com as condições complexas do ambiente internacional, onde a crise econômica na Europa traz respingos para o mundo todo. O Banco Central (BC) consultou 100 analistas e, segundo eles, a estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) do país é de passar de 1,03% em 2012 para 3,50% em 2013. A Fiesc ressalta que o crescimento será baixo, uma vez que o aumento ocorrerá sobre uma base reduzida. 




Segunda, 14 de Janeiro de 2013

O mercado financeiro voltou a reduzir a estimativa de crescimento da economia em 2013. A nova projeção passou para 3,2% ante os 3,26% previstos anteriormente. Os números estão no boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central.

Embora o governo tenha divulgado que existe uma tendência de queda da inflação, investidores e analistas do mercado financeiro continuam pessimistas. De acordo com o boletim, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) poderá fechar 2013 em 5,53%. No levantamento anterior, o mesmo índice foi estimado em 5,49%. Os preços administrados (que são fixados ou controlados pelo governo) passaram a ser estimados com elevação de 3,34% e não mais de 3,3% como previsto anteriormente.

Para o câmbio, o mercado financeiro projeta queda na taxa, que ficaria em R$ 2, 07 e não mais R$ 2,08 como estimado anteriormente. Não houve alteração para a taxa básica de juros (Selic), que permaneceria em 7,25% ao ano em dezembro de 2013.

 

 




Segunda, 14 de Janeiro de 2013

Maria Izabel Pinheiro Sandri, Presidente da Associação Empresarial de Itajaí (ACII), alerta os associados da entidade sobre o envio de boletos bancários intitulados por Associação Comercial Empresarial BR para pagamentos na Caixa Econômica Federal. Segundo ela, esta entidade não representa os associados da ACII e, em hipótese alguma, os membros da mesma devem efetuar qualquer pagamento que seja.

Maria Izabel lembra que a ACII é ligada a FACISC- (Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina), que tem vinculo com a CACB – (Confederação das Associações Empresariais do Brasil). “Solicito aos nossos Associados tomar os devidos cuidados antes de efetuar o pagamento de boletos, principalmente ligados a Associação em que aparece o prefixo BR. Vale lembrar que os valores são extremamente altos, chegando a quase R$ 300”, comenta.

Ela diz ainda que os boletos podem ludibriar e confundir os associados e membros da ACII, pois os valores ali especificados servem como colaboração espontânea, jamais como algo obrigatório. Mas como leva o nome de uma associação voltada ao empresariado, pode fazer com que as pessoas paguem a cobrança indevida. “E ninguém, especialmente na ACII, tem obrigação de fazê-la”, conclui Maria Izabel. 







Quinta, 10 de Janeiro de 2013

Do dia 27 de dezembro de 2012 até o dia 06 de janeiro de 2013, os hotéis de Balneário Camboriú alcançaram uma ocupação de 99%, revela a presidente do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes (Sechobar) da cidade, Dirce Fistarol. A alta taxa de ocupação se deve, de acordo com Dirce, há três fatores: o feriadão prolongado, o calor intenso e a publicidade que o município investiu para se tornar uma referência nacional quando o assunto é turismo. Tudo isso fez com que hordas de turistas brasileiros, de todos os cantos do país, chegassem à cidade na última semana do ano, permanecendo no município por dias a fio. “A imagem de Balneário Camboriú ganhou o Brasil nos últimos anos. E ganhou de uma forma positiva. Hoje, todos querem veranear na cidade, que é sinônimo de beleza, diversão e entretenimento”, afirma Dirce. Nem a diminuição no número de visitantes argentinos, causada pela crise econômica no país vizinho, assusta os hoteleiros neste mês de janeiro. Cerca de 85% dos leitos da cidade, que conta com aproximadamente 20 mil leitos, já estão reservados para os turistas nas próximas três semanas. Dirce planeja que será assim até o carnaval, que em 2013 acabará no dia 12 de fevereiro. “Depois do carnaval sim poderemos sentir a falta dos turistas argentinos, porque este é um período em que eles tradicionalmente costumam vir a Balneário”, expõe Dirce, lembrando que nada impede os hermanos chilenos, uruguaios e paraguaios de invadirem a cidade depois da folia, bem como os argentinos mais abastados.



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

Será lançada amanhã pela Oceana Offshore, do fundo P2 Brasil de Infraestrutura, a pedra fundamental da Oceana Estaleiro, no bairro Cordeiros, em Itajaí. A empresa ocupará uma área de 310 mil m² e deverá empregar cerca 1,1 mil pessoas para a construção de embarcações de apoio offshore. Com R$ 220 milhões aprovados pelo Fundo da Marinha Mercante (FMM), o estaleiro terá capacidade de produção de 4 a 6 embarcações de apoio à produção de petróleo e gás em alto-mar (tipo PSV) por ano. A previsão é que o processamento de aço para construção de embarcações comece no final de 2013, com a entrega da primeira embarcação em 2015. O projeto da Oceana tem como base a necessidade de ampliação da frota atual de 430 navios de apoio para cerca de 700 até 2020.



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

Depois de ser confirmada como parada da Volvo Ocean Race na edição 2014\2015 da regata, Itajaí aguarda apenas o anúncio oficial de que será pela segunda vez sede da maior competição náutica do mundo. E o anúncio vai ocorrer no próximo dia 22 de janeiro, uma terça-feira, quando os organizadores do evento vão desembarcar em Itajaí para definir, entre outras coisas, o trajeto oficial da próxima edição, que provavelmente terá a presença de outra cidade brasileira: Recife. A informação de que o Nordeste brasileiro pode entrar na rota da regata é extraoficial, pois o trajeto ainda está sendo estudado pelos organizadores. No entanto, se houver mesmo duas cidades brasileiras no percurso, os veleiros devem parar no país na ida e no retorno da volta ao mundo. Recife, que substituiria a Cidade do Cabo, na África do Sul, deve ser a segunda parada da regata, logo após a partida de Alicante, na Espanha. Depois do Nordeste, os barcos seguiriam direto para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. O organizador da Itajaí Stopover 2012, João Luiz Demantova, vê com bons olhos a inclusão de outra cidade brasileira na competição. Ele acredita que a mídia nacional dará maior atenção ao evento, o que só vai trazer dividendos para Itajaí, uma vez que a cidade já tem relativo lastro no que se refere à Volvo Ocean Race, depois de ser uma das sedes do evento em 2012. Sobre a possibilidade de um barco brasileiro disputar a prova, Demantova despista. “Existe a chance, mas não saberemos antes de fevereiro”, avisa.



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou o ano de 2012 em 5,84%. A taxa ficou abaixo da registrada em 2011, quando houve uma alta de preços de 6,5%, e dentro da meta estabelecida pelo governo brasileiro, que varia entre 2,5% e 6,5%. O resultado, no entanto, ficou acima do centro da meta, que é 4,5%. O dado foi divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apenas no mês de dezembro do ano passado, o IPCA registrou variação de 0,79%. A taxa mensal ficou acima do resultado de novembro de 2012 (0,6%) e de dezembro de 2011 (0,5%)



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, garantiu que o desconto de 20% na conta de luz começará a ser aplicado em fevereiro. Ele disse que, embora a produção de energia térmica seja mais cara do que a hidrelétrica, não haverá redução do percentual de desconto. As usinas termelétricas foram ativadas para cobrir a produção menor das hidrelétricas, em função da falta de chuva. O ministro deu entrevista ontem, logo após o encerramento de reunião do Comitê de Monitoramento do Sistema Elétrico, em Brasília. Ele informou que o Brasil tem energia suficiente para cobrir as necessidades do país. “Não há, não houve, e espero que não haja, no futuro, o desabastecimento”, disse. Edson Lobão espera que os níveis de água dos reservatórios das hidrelétricas voltem ao normal a curto prazo, porque voltou a chover em várias partes do país.



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

O contrato assinado entre o Governo de Santa Catarina e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), ontem, pelo governador Raimundo Colombo, em Brasília, é o maior já realizado entre o Estado e a instituição: US$ 250 milhões. Somada a contrapartida do Estado, o montante atinge R$ 650 milhões e começa a ser aplicado imediatamente em melhorias na malha rodoviária estadual. "Nos adiantamos na elaboração dos projetos para podemos dar início a várias dessas obras agora em janeiro", explicou o governador. Hoje, o governador também assinará a ordem de serviço para início das obras na SC-114, entre Painel e São Joaquim. Somados os recursos economizados nessas primeiras licitações e a contrapartida do Estado, cerca de R$ 150 milhões, foi elaborado um segundo pacote de obras. Nele, está a duplicação da rodovia Antônio Heil e a interseção com a BR-101, no trecho entre Brusque e Itajaí, e implantação do novo acesso norte de Blumenau, com 20 quilômetros de extensão. A primeira etapa de obras do novo programa prevê a aplicação de R$ 333,5 milhões em dez obras, ou 222 quilômetros de estradas novas, asfaltadas ou recuperadas (veja no final desta matéria a tabela com a relação das obras). O contrato de financiamento também foi assinado pelo representante do BID encarregado no Brasil, Juan Carlos de Lahoz, pelo secretário da Infraestrutura, Valdir Cobalchini, e a representante da União, procuradora Ana Rachel Silva. A obra na rodovia Antônio Heil terá seu edital de licitação lançado ainda este mês. Já o novo acesso norte de Blumenau está com o projeto em elaboração, que deve estar concluído até o final do primeiro semestre deste ano. "Assinamos o financiamento com 10 das 12 obras já licitadas. Isso é um exemplo de pacto para o desenvolvimento de Santa Catarina", disse Cobalchini. O prazo de pagamento é de 25 anos com carência de 66 meses. São recursos que se somam ao programa Pacto Por Santa Catarina. Como um todo, incluindo outros financiamentos e recursos próprios do Estado, o Pacto prevê aplicação de R$ 2,8 bilhões na implantação e na recuperação de 30% da malha rodoviária pavimentada catarinense. O novo financiamento com o BID também consolida uma parceria de 32 anos com o Governo do Estado. Em dezembro de 1980, foi assinado o Primeiro Programa de Estradas Alimentadoras de Santa Catarina BID I. Na época, o Estado contava com 937 quilômetros de rodovias pavimentadas. Hoje são 4,7 mil quilômetros de estradas asfaltadas e outros 1,7 mil quilômetros sem cobertura asfáltica. Desde a primeira edição, até a quinta, foram U$ 664,5 milhões emprestados pelo BID, que ajudaram o Estado a asfaltar 2314 quilômetros das rodovias catarinenses. Confira os números das edições anteriores: BID I (1980) - US$ 60 milhões, pavimentados 824 km [contrapartida: US$ 54,9 milhões] BID II (1986) - US$ 52 milhões, pavimentados 451 km [contrapartida: US$ 86,7 milhões] BID III (1992) - US$ 102,5 milhões, pavimentados 541 km [contrapartida: US$ 112,3 milhões] BID IV (2002) - US$ 150 milhões, pavimentados 448,3 km e reabilitados 497 km [contrapartida: US$ 165,9 milhões] BID V (2010) - US$ 50 milhões, pavimentados 50 km e reabilitados 50 km [contrapartida: US$ 21,5 milhões]



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

De outubro para novembro, Santa Catarina foi o terceiro estado brasileiro em crescimento da produção industrial, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estado catarinense cresceu um índice de 3% entre os referidos meses, sendo superado apenas pela Região Nordeste, que teve um crescimento de 4,2%, e pela Bahia, que evoluiu 3,5%. A ascensão econômica do estado não surpreendeu o presidente do Sindicato de Material Plástico de Santa Catarina, Albano Schmidt, que observou um crescimento exponencial da economia catarinense no último trimestre de 2012, quando houve uma retomada das indústrias que foi puxada, sobretudo, pela produção de eletrodomésticos e maquinário pesado para a construção civil. “Santa Catarina é um grande subfornecedor destes materiais e foi isso que empurrou o gráfico da produção industrial para cima”, comenta Albano, dizendo que a expectativa dos industriários é de que em 2013 o crescimento se mantenha ao menos em 3% ao mês. “É uma previsão otimista, mas este ano promete para a indústria catarinense”, confia Albano.



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

A Coopercentral Aurora Alimentos desembolsará 60 milhões de reais neste semestre para recolocar em pleno funcionamento a unidade industrial de abate e processamento de aves de Xaxim, no Oeste de Santa Catarina. A indústria - que pertence à Massa Falida do antigo Grupo Chapecó e até meados de dezembro era operada pelo Frigorífico Diplomata – foi arrendada pela Aurora por prazo inicial de três anos. O presidente da Aurora Mário Lanznaster expôs que os investimentos físicos somam 20 milhões de reais e estão representados pela aquisição de duas linhas de evisceração de aves, recuperação de equipamentos e instalações do abatedouro, além de outras melhorias. Outros 40 milhões, em forma de capital de giro, são necessários para financiar a retomada da operação industrial, o alojamento de frangos e a aquisição de matérias-primas e dos demais insumos para produção. Por outro lado, a Aurora iniciou o processo administrativo de recrutamento, seleção e admissão tendo como prioridade os cerca de 2.200 empregados que trabalhavam para a ex-arrendatária da planta industrial, o Frigorífico Diplomata. As primeiras contratações já foram concretizadas e se destinam à Fábrica de Rações. As admissões para a indústria serão paulatinas porque manterão sincronia com a reativação da produção avícola ao campo. “Não adianta termos toda a força de trabalho da indústria a postos se os lotes de frango nem foram alojados”, esclarece o vice-presidente Neivor Canton.



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

As chuvas de granizo, as geadas fora de época e a alternância na produção da variedade Fuji - que ocorre quando o pomar dá muitos frutos em uma safra e, na seguinte, com a planta enfraquecida, produz bem menos. Estes três fatores são determinantes para que os produtores de maçã de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul esperem uma colheita menor que a do ano passado, quando foram colhidas 1.200.000 toneladas da fruta nos dois estados. Os produtores começam a colher a partir do dia 28 de janeiro, com a variedade Gala. Depois, nos meses de abril e maio, chegará a hora de colher a variedade Fuji. Pierre Nicolas Peres, Presidente da Associação Brasileira de Produtores de Maçã, avalia que as condições climáticas foram decisivas para a queda na produção da fruta, que sofreu com ondas de frio em outubro e chuvas de granizo em novembro e dezembro, especialmente nas cidades de São Joaquim e Fraiburgo, polos da produção de maçãs no país. Apesar dos números diminuírem, o consumidor final não deverá ser atingido pela queda na produção, pois o mercado de maçãs se manterá estável, uma vez que as exportações seguem em alta, aposta Pierre. “A menor produção não vai interferir no preço da fruta para o consumidor, mas para o produtor os lucros vão diminuir”, adverte.



Quinta, 10 de Janeiro de 2013

Através do Estudo sobre Trabalho Doméstico no Mundo, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgou hoje que 93% dos trabalhadores domésticos no Cone Sul (Brasil, Argentina, Uruguai, Chile e Paraguai) são mulheres. Segundo a OIT, a região tem alta incidência de trabalho doméstico e, neste cenário, o Brasil é o país que mais emprega. No país, o setor cresceu de 5,1 milhões de trabalhadores, em 1995, para 7,2 milhões, em 2009. A organização usou dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que indicam que 21,7% de todas as mulheres negras empregadas são domésticas. No caso de mulheres não negras, o percentual cai para 13%.



Perfil

Revista Portuária Economia & Negócios.


Arquivos de 2014
Dezembro
| Novembro
| Outubro
| Setembro
| Agosto
| Julho
| Junho
| Maio
| Abril
| Março
| Janeiro



Arquivos de 2013
Novembro
| Outubro
| Setembro
| Agosto
| Julho
| Junho
| Maio
| Abril
| Março
| Fevereiro
| Janeiro