Notícias de Última Hora

Quinta, 27 de Março de 2014

A maquete do Centro de Inovação de Itajaí, projeto da Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), será entregue nesta quinta-feira, 27. O evento será às 13h, na prefeitura de Itajaí e contará com a presença do governador Raimundo Colombo.

No mesmo evento, será assinado o convênio entre o Governo do Estado e Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri) para a execução do projeto da Hidrovia do Rio Itajaí-Açu.

A implantação dos Centros de Inovação é um dos três eixos do Programa Catarinense de Inovação (PCI), lançado em março. Doze cidades catarinenses receberão o projeto: Itajaí, Blumenau, Brusque, Jaraguá do Sul, Joinville, São Bento do Sul, Lages, Joaçaba, Chapecó, Criciúma, Tubarão e Florianópolis. Itajaí receberá o modelo com 3.800 m2, que custará em torno de R$ 7,5 milhões.

Hidrovia do Rio Itajaí-Açu

O projeto receberá o investimento de R$ 1 milhão, descentralizados pelo Governo do Estado via SDS e visa a geração de oportunidades para o Médio Vale e Foz do Rio Itajaí-Açú, valorizando as atividades relacionadas ao rio de forma planejada e sustentável.

Os objetivos do projeto incluem também a construção de parques fluviais com espaços verdes, estruturas e equipamentos de turismo; recuperação da sua qualidade ambiental e paisagística; e desenvolvimento territorial e atividades de economia verde.

Custeio da saúde pública

Logo após, às 14h30, o governador seguirá para o Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen para assinatura de convênio com o Instituto das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, mantenedor dos serviços. O convênio garante o repasse de R$ 5,3 milhões, sendo R$ 4,04 milhões no exercício financeiro de 2014 e o restante previsto para o exercício financeiro de 2015.




Quinta, 27 de Março de 2014


Por ser apontada pelo IBGE como uma das cidades catarinenses que mais se desenvolveu nos últimos anos, Itajaí foi selecionada dentre os 5.564 municípios brasileiros para receber a visita técnica do consultor do Sebrae Nacional e da Confederação Nacional de Municípios.

Gustavo Grisa veio a Itajaí nesta semana, em busca de conhecimento e troca de experiências. Das outras 40 cidades que constam em seu itinerário, apenas duas são de Santa Catarina: Itajaí e Chapecó.

Segundo Grisa na visão do Sebrae, Itajaí é um município em pleno desenvolvimento econômico tendo como base o setor portuário, logístico, pesqueiro e a indústria naval. Na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, ele se informou sobre os principais números que levaram Itajaí a conquistar o segundo melhor Produto Interno Bruto (PIB) do estado, ficando atrás apenas de Joinville.

Números de Itajaí

Atualmente são 18.950 empresas abertas, sendo que em 2012, 2.680 novas empresas se instalaram na cidade, um aumento de mais de 73% em relação a 2009. Além disso, Itajaí está entre as 100 cidades brasileiras
que oferecem maiores oportunidades de emprego e renda. No Sul do Brasil, é a primeira colocada entre os municípios de porte médio, ficando atrás apenas das três capitais: Porto Alegre, Curitiba e Florianópolis.

A escolha dos locais por onde Grisa passará foi feita após levantamento de dados que também apontam a cidade como destaque em eventos náuticos, como é o caso das regatas Volvo Ocean Race e Transat Jacques Vabre, em que a imagem de Itajaí é projetada nacional e internacionalmente.




Quinta, 27 de Março de 2014

O 5º Encontro Nacional dos Observatórios Sociais (ENOS) será aberto nesta quinta-feira (27), às 14h em Balneário Camboriú. Essa será a primeira edição do Encontro em Santa Catarina. O evento prossegue até sábado (29) e é promovido pelo Observatório Social do Brasil (OSB), iniciativa que coordena uma rede de 80 observatórios espalhados pelo país, cuja missão central é monitorar os gastos públicos. 

Estima-se que, no último ano, tenha havido uma economia, somando as localidades que têm Observatórios Sociais, de cerca de R$ 300 milhões aos cofres municipais. Somente na cidade de Itajaí (SC), o OSI local contribuiu para economia estimada em R$ 25 milhões.

O Encontro Nacional tem como objetivos: apresentar as boas práticas dos Observatórios Sociais, qualificar a metodologia de trabalho e ampliar as estratégias do controle social e da educação para a cidadania em toda Rede OSB.




Terça, 25 de Março de 2014

O piloto pentacampeão da Stock Car e empresário, Cacá Bueno esteve na segunda-feira (24), participando de uma reunião de negócios, em Itajaí. 

O filho do narrador Galvão Bueno é sócio da empresa Zebra Spirit, uma marca de roupa masculina, feminina e infantil que está chegando com tudo no mercado.

Cacá veio a Itajaí conhecer e definir mais um processo de importação e distribuição através da Poly Terminais Portuários que possui sede na cidade. 




Terça, 25 de Março de 2014

Explorar oportunidades de negócios, principalmente na área de logística, e estreitar relações com empresários da região foram os principais assuntos da pauta do encontro da delegação de empresários paquistaneses com liderança empresarias na segunda-feira (24) na sede da Associação Empresarial de Itajaí (ACII)

O presidente da ACII, Eclésio da Silva, ressaltou que a entidade está sempre aberta para ajudar na concretização de parcerias que venham fortalecer os laços econômicos de Itajaí e da região. O cônsul Comercial do Paquistão, Syed Tajammal Hussain, fez uma ampla apresentação sobre seu país fazendo referência de ser o terceiro maior produtor da indústria têxtil mundial.

Os empresários que visitaram a ACII, das áreas têxtil, de alimentação e de logística, são da região de Faisalabad, localizada na Província de Pujad, no Paquistão. A cidade de Faisalabad é considerada a “Manchester do Paquistão”.

O chefe da delegação, empresário Jamil Ahmad, voltou sua apresentação para Faisalabad pontuando as vantagens de negócios, apresentando dados da terceira maior cidade do Paquistão e também segundo gerador de receita daquele país.




Terça, 25 de Março de 2014

O presidente da ArcelorMittal no Brasil, Benjamin Batista Filho, afirmou que a empresa está investindo na unidade de São Francisco do Sul (SC), a ArcelorMittal Vega, para produzir o aço Usibor, que vai permitir que a indústria automobilística ganhe mais produtividade. A tecnologia, patenteada pela empresa, já é utilizada na Europa e nos Estados Unidos. No Brasil ainda é importada.

O investimento integra um pacote de R$ 650 milhões destinados ao incremento de produção da ArcelorMittal Vega previsto para os próximos cinco anos. A produção local do Usibor vem ao encontro de tendências de mercado e ao novo regime automotivo brasileiro, Inovar Auto, que estipula metas para as montadoras desenvolverem veículos mais leves, seguros e ambientalmente sustentáveis.

A ArcelorMittal, maior siderurgia do mundo, é também a maior fornecedora de aço para montadoras. Em Santa Catarina, a empresa atende empresas como Whirlpool, Tuper e Marcegaglia. No Estado, a empresa investiu nos
últimos 10 anos mais de R$ 2,8 bilhões. "A companhia tem investido maciçamente aqui. Temos muita confiança. Vamos crescer junto com o Estado. É essa nossa determinação", afirmou.

A empresa está presente em 60 países, emprega mais de 230 mil pessoas. A fábrica catarinense tem 1.250 trabalhadores.






Terça, 26 de Março de 2013

Foi numa pizzaria que margeia a Avenida Beira-Rio, que na manhã desta terça-feira, 26, foi lançada oficialmente a Regata Transatlântica Jacques Vabre, que sairá do litoral francês e aportará em Itajaí, em novembro de 2013. A solenidade contou com a participação de políticos, empresários e membros da organização da regata, tanto pelo lado da França como do Brasil. Diferente da Volvo Ocean Race, a Regata Transat Jacques Vabre terá veleiros de tamanhos variando entre 40 e 60 pés, deverá ter mais de 50 barcos, e fará a travessia entre Europa e América do Sul em linha reta.

A 11ͣ edição da prova, em 2013, terá um percurso de 5.395 milhas náuticas (10 mil quilômetros) e sairá da cidade francesa de Le Havre em 3 de novembro e chegará a Itajaí cerca de 20 dias depois. Mais de 50 embarcações devem participar da disputa, que tem 20 anos de tradição na vela oceânica. Quatro classes participam da travessia: Mod70, Imoca60, Class40 e Classe Multi 50.

O presidente do Comitê Central Organizador da regata em Itajaí, Amílcar Gazaniga, destacou que o município não poupará esforços para oferecer o melhor aos competidores da Jacques Vabre e que a comunidade de Itajaí e região receberão os velejadores de braços abertos.

Na edição itajaiense da regata transatlântica, o local de realização será a Vila da Regata, onde ocorreu a etapa brasileira da Volvo Ocean Race em 2012, o Centreventos Itajaí e também parte da área do Saco da Fazenda, local que abrigará o Complexo Náutico e Ambiental de Itajaí, a tão aguardada Marina do Saco da Fazenda.

“Nós contamos com a Marina, porque os flutuantes de atracação desses barcos já serão os flutuantes da Marina”, afirmou Amílcar, deixando claro que em novembro, durante a regata, uma parte do futuro complexo náutico de Itajaí já estará pronta. 




Terça, 26 de Março de 2013

Mais dois navios de grande porte atracaram simultaneamente na Portonave, no dia 22 de março. As embarcações Agios Dimitrios (de 299 metros de comprimento por 40 metros de largura) e o MSC Michaela (303 metros de comprimento por 40 metros de largura) ocuparam os berços um e dois do Terminal Portuário de Navegantes. A Portonave possui 900 metros de cais e três berços de atracação.


Esta não foi a primeira vez que a empresa recebeu ao mesmo tempo duas embarcações de grande porte. A primeira operação com dois navios com cerca de 300 metros ocorreu no início deste ano. O MSC Methoni (303 m) e o MSC Florentina (299 m) atracaram dia 18 de janeiro.


O Complexo Portuário do Rio Itajaí-Açu recebe navios com mais de 300 metros deste outubro de 2012. As manobras são resultado do trabalho em conjunto das autoridades Portuária e Marítima, Praticagem de Itajaí e Navegantes e dos terminais portuários.

 



Terça, 26 de Março de 2013

O Instituto Kat Schürmann, de propriedade da tradicional família de velejadores, será erguido na Avenida Beira-Rio, alguns metros antes do futuro Complexo Náutico e Ambiental do Saco da Fazenda e do Centreventos. Dessa forma, toda a região do entorno do Saco da Fazenda estará voltada às atividades náuticas, transformando aquele lugar definitivamente num símbolo de uma cidade que cada vez mais se consolida como polo náutico planetário.

O patriarca dos Shürmann, Vilfredo, comentou estar feliz e motivado com a implantação de um braço do instituto Kat Schürmann - Katherine Schürmann, menina que foi adotada pela família de navegadores e veio a falecer em 2006 – em Itajaí. Ele afirma que o espaço na Avenida Beira-Rio será mais voltado para observação de espécies marinhas. “Em Bombinhas, trabalharemos mais a pesquisa dos animais marinhos, da vida marinha. Aqui, em Itajaí, vamos focar na observação do que foi pesquisado”, expor Vilfredo Schürmann.

As obras do Instituto Kat Schürmann devem começar já neste mês de março. A entrega do instituto está prevista para ocorrer até novembro de 2013, quando a família partirá para uma nova expedição por rotas atribuídas aos chineses ao redor do planeta.

O Instituto Kat Schürmann tem o objetivo de contribuir para a manutenção da qualidade sócio-ambiental dos ambientes marinho e costeiro. Consolida suas ações através do desenvolvimento de pesquisas e da implementação de programas de educação ambiental. 




Terça, 26 de Março de 2013

A Revista Portuária – Economia e Negócios, estará mais uma vez expondo na Intermodal 2013, a segunda maior feira de comércio exterior, transporte de carga e logística do mundo. São mais de 550 expositores e quase 50 mil visitantes.


Sua empresa, mesmo não sendo uma das expositoras, poderá estar presente nesta Feira Internacional e mostrar seus produtos e serviços para este grande público empresarial, sendo parceira comercial da nossa Revista, que estará sendo distribuída a partir de nosso estande. Serão 20 mil exemplares entregues nas mãos de todos os expositores e da maioria do público visitante, profissionais e executivos com poder de decisão.


Esta edição que será distribuída na Intermodal será especial, não só pelo conteúdo editorial, mas também pelo trabalho gráfico, que será de primeiro mundo, valorizando seu anúncio.


Sua empresa poderá ter um anúncio institucional, bem como também em forma jornalística, mostrando a empresa, seus produtos e serviços em matérias com textos e fotos. Ou seja, poderá atingir o seu público foco – que certamente estará na Intermodal – de várias formas, abrindo assim oportunidades de negócios em vários níveis.


Nosso setor comercial já começou a fazer os contatos para esta Edição Especial da Intermodal. Não deixe passar a oportunidade de anunciar sua empresa. Podemos lhe dar certeza de que o público presente num evento como a Intermodal é impossível de ser reunido num só lugar ou em qualquer outra feira no Brasil.


Os interessados em saber mais detalhes podem entrar em contato através do e-mail: carlos@bteditora.com.br ou pelo fone: 47 – 8405-8777. Nosso valor por página é o menor custo/benefício que você poderá encontrar para estar presente neste grande evento, atingir o público que precisa, sem necessariamente ser um dos expositores.


O próprio site da feira (www.intermodal.com.br) indica alguns motivos para você visitar a Intermodal. Nós poderíamos transformar esses motivos para você anunciar na Revista Portuária que será distribuída na Intermodal:


Motivos para visitar a Intermodal South America 2013


1- Reduza custos e melhore sua eficiência logística


2- Conheça mais de 550 empresas de produtos e serviços em um mesmo local


3- Estreite relacionamento com fornecedores


4- Conheça novas empresas expositoras e expositores internacionais apresentando novos serviços e tecnologias inovadoras


5- Troque experiências com os maiores players do mercado




Terça, 26 de Março de 2013

Os navios MSC Maureen, de 301 metros de comprimento, e Maersk Lota, de 299 metros, “dividiram” o cais do Porto Itapoá nesta semana. A operação foi considerada inédita em portos de Santa Catarina, pois apenas o Porto Itapoá pode receber simultaneamente dois navios de 300 metros, devido à profundidade natural da Baía da Babitonga - 14,5 metros no canal de acesso e 16 metros no cais. Na ocasião, ambos os navios entraram com calados de 12 metros. Além disso, a bacia de evolução do local também apresenta condições favoráveis para manobrar navios deste porte, proporcionando segurança marítima, produtividade e alta performance. O terminal operou 449 contêineres no navio MSC Maureen e 271 unidades no Maersk Lota.



Terça, 26 de Março de 2013

O ritmo intenso de chuvas tem prejudicado as operações, principalmente as exportações de granéis, pelo Porto de Paranaguá. De janeiro até o dia 19 de março, foram registrados 27 dias, 6 horas e 24 minutos de paralisações em função da chuva. 

De acordo com o superintendente dos portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Dividino, caso o tempo tivesse contribuído, o Corredor de Exportação poderia ter escoado, no mês de março, o dobro do volume que foi embarcado até agora. “Além da chuva que tem nos prejudicado, ainda temos a complicação de estar trabalhando simultaneamente com dois produtos. O milho ainda está sendo escoado, o que concorre com o escoamento da soja. Mas pela programação de navios vemos que estão nomeadas poucas embarcações para receber o milho e dentro de poucos dias poderemos dar vazão à soja”, explica o superintendente. 

De acordo com o Simepar, as chuvas que têm atingido o litoral do Paraná nos últimos dias estão sendo causadas pela circulação marítima. No entanto, os volumes pluviométricos registrados estão dentro da média histórica. Os meteorologistas do Instituto explicam que a característica do outono é o tempo instável e as chuvas serão frequentes, ora ocasionadas por movimentações marítimas, ora por eventuais frentes frias. 

Nos meses de janeiro e fevereiro, foram exportadas pelo Corredor de Exportação 2 milhões de toneladas de grãos, sendo 942 mil toneladas de milho, 512 mil toneladas de soja, 543 mil toneladas de farelo de soja e 31 mil toneladas de trigo. O volume é praticamente igual ao exportado no mesmo período do ano passado com destaque para as exportações de milho, que tiveram alta de 288%. 

NAVIOS – No porto, não só a chuva é responsável por paralisar as operações. A elevada umidade do ar ou a ameaça de chuva já bastam para que os porões sejam fechados e os embarques interrompidos. Ao menor sinal de umidade, grãos como a soja são completamente danificados e a carga é perdida. 

Apesar de não haver solução para este tipo de entrave em nenhum porto do mundo, a Appa tem trabalhado com alguns pesquisadores soluções de cobertura de porão de navios, que possibilitem a exportação de granéis com chuva. No entanto, o projeto ainda está em fase de estudos. 

Com as constantes paralisações, o Corredor de Exportação que consegue embarcar uma média de 80 mil toneladas por dia – quando o tempo está seco – está embarcando menos da metade deste volume, o que atrasa bastante a liberação dos navios.

Na manhã do dia 19 de março, 73 navios aguardavam ao largo para carregar grãos em Paranaguá. No entanto, apenas quatro deles possuem carga completa e estariam aptos a embarcar. Outros 18 apresentam carga parcial e 53 não possuem carga. Entre os navios que não tem carga nominada, ocorrem duas situações: ou a carga ainda não chegou do interior, ou não foram sequer negociadas. 

 “Em Paranaguá, os navios que não tem carga negociada, seja em função da não finalização dos lotes a embarcar, seja por falta de negociação de destino, em algum momento os embarcadores sabem que terão esta condição resolvida e conseguirão a carga”, explica Dividino.



Terça, 26 de Março de 2013

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina - Fecomércio-SC divulga amanhã, 27 de março, os dados da pesquisa inédita que revela o comportamento do turista de cruzeiros que visita o Estado durante a temporada. O resultado da pesquisa será apresentado durante do Painel Fecomércio-SC Debate – Turismo de Cruzeiros 2013, que será realizado às 10h, no Terminal de Passageiros do Píer Guilherme Asseburg, no Porto de Itajaí (Avenida Paulo Bauer, s/n – em frente à praça Vidal Ramos).


A pesquisa teve por objetivo conhecer o perfil dos turistas em trânsito na cidade de Itajaí que embarcaram ou desembacaram, no Píer Guilherme Asseburg, em Itajaí, entre os dias 19 de dezembro de 2012 e 18 de fevereiro de 2013, e, também, identificar ações capazes de alavancar medidas de incremento ao turismo local. Foram entrevistadas 546 pessoas com idade superior a 18 anos.


O estudo foi dividido em três fases. A primeira, descritiva, observou os aspectos pessoais e analisou o perfil do turista entrevistado. Depois, vieram os aspectos relacionados à avaliação da expectativa com a visita à região. Por último, avaliou-se a qualidade do turismo realizado na cidade de Itajaí e nos outros destinos do Estado oferecidos pelos operadores locais. De dezembro de 2012 a março de 2013, mais de 30 navios aportaram no Terminal de Passageiros de Itajaí, em cruzeiros que duraram, em média, 8,6 dias.


O Painel Fecomércio-SC Debate – Turismo de Cruzeiros 2013 terá os seguintes debatedores: Antônio Ayres (superintendente do Porto de Itajaí), Emílio Schramm (vice-presidente de Turismo da Fecomércio-SC), Valdir Walendowsky (presidente da Santur), João Eduardo Moritz (presidente da Câmara Empresarial de Turismo) e Marcello Petrelli (presidente do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de Santa Catarina e VP da Associação Intersindical Patronal de Itajaí).




Terça, 26 de Março de 2013

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, aponta que em fevereiro de 2013 foram criados 15.072 empregos com carteira assinada em Santa Catarina. A informação consta do estudo realizado pelo setor de Informação e Análise do Mercado de Trabalho que é vinculado à Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST).

O aumento de 0,79% no número de empregos formais foi o maior tanto na região Sul (0,67%) quanto no Brasil. De acordo com o estudo, Santa Catarina ocupou o quarto lugar do ranking nacional de geração de postos formais de trabalho e o terceiro lugar em termos de expansão relativa do emprego, atrás apenas de Goiás e Mato Grosso. “Apesar do cenário nacional desfavorável, Santa Catarina continua com bom desempenho devido à diversidade de setores econômicos que existem num espaço geográfico relativamente pequeno”, destaca o diretor de Trabalho, Emprego e Renda da SST, Edilson Godinho.

O resultado positivo na geração de empregos no Estado pode ser explicado pelo bom desempenho dos setores da indústria (+9.842) e da administração pública (+3.589 postos) com cerca de 90% das vagas do Estado. No caso da Indústria, a geração de vagas foi verificada em todos os segmentos, com as maiores expansões nos ramos têxtil e vestuarista (+2.714), indústria mecânica (+1.364) e indústria de borracha e fumo (+1.193). Esta última obteve o maior crescimento relativo (+6,4%) dentre os segmentos da Indústria, seguida pela indústria de material de transporte (+2,4%) e pela indústria mecânica e de calçados (ambas com 2,3% de crescimento).




Terça, 26 de Março de 2013

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) avalia que a economia brasileira está em momento de "recuperação cíclica". De acordo com a Carta de Conjuntura divulgada hoje (26), o ciclo atual é "bem distinto" do observado em outros anos e isso pode atrapalhar a previsibilidade política-econômica.


"Isso tem implicação em política [macroeconômica] importante porque torna essa tarefa mais complicada do que seria em ciclo típico", disse o coordenador do Grupo de Estudos em Conjuntura, Fernando Ribeiro. Como exemplo, citou o impacto na taxa básica de juros, a Selic, que está em 7,25% ao ano.


"Em um ciclo típico, neste momento, o país estaria reduzindo o juro, como aconteceu em outros momentos. Na recuperação, você joga o juro para baixo para impulsionar a economia. Hoje, a gente tem a taxa de juro baixa e, por conta da pressão inflacionária, o Banco Central reconheceu que não há espaço para novas quedas, talvez, tenha necessidade em um aumento [da taxa]", explicou.


O economista destaca que, apesar das pequenas taxas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), nos últimos meses, não há aumento do desemprego, da inflação e queda da atividade nos setores da economia. "Há alguma desaceleração do consumo, mas mais discreta que em outros ciclos", diz a carta.


"Difícil prever o que vai acontecer daqui para frente. Quando o ciclo é típico existe uma história, mais ou menos, padrão, que explica o que acontece na queda e na recuperação. Não é esse o caso", reforçou Ribeiro.




Terça, 26 de Março de 2013

Líderes empresariais, executivos e gestores de todo o país já têm compromisso em maio. De 14/5 a 17/5 acontece em Joinville mais uma edição da Expogestão – Congresso Nacional de Atualização em Gestão e Feira de Produtos, Serviços e Soluções Empresariais. Há 11 anos, o evento reúne palestrantes internacionais e nacionais para discutir o que há de mais moderno em gestão empresarial no mundo, como a gestão de times e talentos, a inovação e o futuro, a competitividade, a cultura empreendedora e a tomada de decisão.

 

Entre os palestrantes já confirmados estão Khoi Tu, fundador e diretor da Inverstar, consultoria internacional em performance e liderança; Charles Leadbeaterautoridade mundial em inovação e criatividade; Rami Goldratt, CEO do Grupo Goldratt e líder na implementação da Teoria das Restrições; Armin Wedel, do Instituto Fraunhofer, a maior instituição de pesquisa aplicada da Europa, e Enric Glasco Gómez, fundador e presidente do Grupo IDP, responsável pelo projeto "Sabadell Cidade Inteligente. Smart City”.

 

As inscrições para a Expogestão 2013 podem ser feitas pelo site www.expogestao.com.br, pelo e-mail inscricao@expogestao.com.br ou pela Central de Atendimento: 0800-735-5500, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.




Terça, 19 de Março de 2013

Ao longo de mais de duas décadas de atuação, a  Fibrafort se transformou, de uma pequena empresa de acessórios a base de fibra nautical (vidro), no maior estaleiro de lanchas da América do Sul em unidades produzidas, com mais de 11 mil lanchas da marca navegando atualmente nas águas do Brasil e do mundo.

Com sede em Itajaí (SC), um dos pólos nacionais do segmento, o sucesso da Fibrfort acompanhou a prosperidade da indústria náutica brasileira, alcançada a partir de 2004 com a estabilidade econômica e o aumento do poder aquisitivo da população. 

As duas unidades de produção da marca vem mantendo um crescimento anual constante, de cerca de 20%. Com 850 unidades vendidas em 2012 e faturamento de R$ 60 milhões, a empresa trabalha para manter o crescimento de 20% em 2013.





Terça, 19 de Março de 2013

Um relatório feito pela Univali e pelo Instituto Sinergia foi apresentado essa semana no Litoral Norte catarinense. O estudo chama-se Costa Verde e Mar em Números e foi apresentado nesta quarta-feira pelo Consórcio Intermunicipal de Turismo Costa Verde e Mar (Citmar). A apresentação mostrou o produto interno bruto (PIB) turístico da região, índice até então calculado somente em âmbito nacional pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

A pesquisa realizada pelo professor Antônio Guarda, consultor em estudos, pesquisas e geoprocessamento, expôs que a participação do setor turístico na produção bruta do Brasil é de 8,9%. Já em Santa Catarina, o número gira em torno de 7,7%. O destaque fica por conta da Costa Verde e Mar, que com percentual de 11,5% supera a média nacional e catarinense. Ainda segundo o material, hoje são cerca de 32 mil profissionais ligados à atividade turística atuando nos municípios que fazem parte da região. 

Não é por acaso que algumas cidades litorâneas são destaques do Turismo não apenas catarinense, mas também brasileiro. Exemplos mais conhecidos são Bombinhas e Balneário. Em Bombinhas, o PIB turístico chega a 19,7% do PIB total; em Balneário Camboriú, que mesmo não fazendo parte do Citmar foi incluída na pesquisa, o número é de 15,4%. No Litoral Norte, o menor índice aparece em Porto Belo: 9,7%. 

PIB turístico 

Brasil - 8,92% 
Santa Catarina - 7,71% 
Região Costa Verde e Mar - 11,56% 
Bombinhas - 19,74% 
Penha - 19,11% 
Balneário Camboriú* - 15,22% 
Navegantes - 14,67% 
Balneário Piçarras - 11,65% 
Itapema - 11,41% 
Camboriú - 10,64% 
Itajaí - 10,73% 
Porto Belo - 9,71% 

Fonte: Estudo Costa Verde Mar em Números, da Univali e Instituto Sinergia



Terça, 19 de Março de 2013

Está confirmada para o dia 8 de abril a assinatura do memorando de entendimento entre a BMW e o governo de Santa Catarina para a instalação da primeira fábrica da marca no Brasil, com sede em Araquari, no Norte do Estado.


O novo presidente da montadora alemã no Brasil, o executivo Arturo Piñeiro, que deverá assumir o cargo no dia 1º de abril, participará do ato, juntamente com o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel.


A assinatura deve ocorrer durante a manhã, em Florianópolis. O investimento da montadora em Santa Catarna está estimado em R$ 1 bilhão. Cerca de mil vagas de trabalho devem ser abertas no Norte do Estado até o ano que vem.




Terça, 19 de Março de 2013

A APM Terminals, empresa arrendatária de dois berços no Porto de Itajaí, está com 40% das estacas e quase 50% da estrutura pré-moldada concluídas na obra de reconstrução do berço 1. A estrutura do terminal - avariada por conta da enchente que atingiu o Vale do Itajaí no segundo semestre de 2011 - será entregue em setembro deste ano, e a proteção de fundo, dois meses depois.


Segundo o superintendente da APM Terminals Itajaí, Ricardo Arten, os trabalhos de reconstrução estão a todo o vapor e dentro da margem de cronograma estipulado. O berço 1 foi parcialmente destruído pela força da correnteza do Rio Itajaí-Açu, que provocou forte erosão e expôs as estruturas do cais. “Com a estrutura recuperada, teremos mais uma opção de atracação de navios, seguindo os mesmos padrões de qualidade com que já operamos a movimentação de contêineres no porto”, comenta Ricardo Arten.


Junto com a reconstrução do berço 1, a APM Terminals Itajaí faz um investimento extra de proteção do cais no fundo do rio para que o mesmo resista à eventos excepcionais como as correntezas da enchente de 2011. Esta obra de reforço, semelhante a um colchão de proteção, será concluída em novembro, com o objetivo de evitar a erosão e a exposição das estruturas do cais em situações semelhantes no futuro.

 





Terça, 19 de Março de 2013

A Revista Portuária – Economia e Negócios, estará mais uma vez expondo na Intermodal 2013, a segunda maior feira de comércio exterior, transporte de carga e logística do mundo. São mais de 550 expositores e quase 50 mil visitantes.


Sua empresa, mesmo não sendo uma das expositoras, poderá estar presente nesta Feira Internacional e mostrar seus produtos e serviços para este grande público empresarial, sendo parceira comercial da nossa Revista, que estará sendo distribuída a partir de nosso estande. Serão 20 mil exemplares entregues nas mãos de todos os expositores e da maioria do público visitante, profissionais e executivos com poder de decisão.


Esta edição que será distribuída na Intermodal será especial, não só pelo conteúdo editorial, mas também pelo trabalho gráfico, que será de primeiro mundo, valorizando seu anúncio.


Sua empresa poderá ter um anúncio institucional, bem como também em forma jornalística, mostrando a empresa, seus produtos e serviços em matérias com textos e fotos. Ou seja, poderá atingir o seu público foco – que certamente estará na Intermodal – de várias formas, abrindo assim oportunidades de negócios em vários níveis.


Nosso setor comercial já começou a fazer os contatos para esta Edição Especial da Intermodal. Não deixe passar a oportunidade de anunciar sua empresa. Podemos lhe dar certeza de que o público presente num evento como a Intermodal é impossível de ser reunido num só lugar ou em qualquer outra feira no Brasil.


Os interessados em saber mais detalhes podem entrar em contato através do e-mail: carlos@bteditora.com.br ou pelo fone: 47 – 8405-8777. Nosso valor por página é o menor custo/benefício que você poderá encontrar para estar presente neste grande evento, atingir o público que precisa, sem necessariamente ser um dos expositores.


O próprio site da feira (www.intermodal.com.br) indica alguns motivos para você visitar a Intermodal. Nós poderíamos transformar esses motivos para você anunciar na Revista Portuária que será distribuída na Intermodal:


Motivos para visitar a Intermodal South America 2013


1- Reduza custos e melhore sua eficiência logística


2- Conheça mais de 550 empresas de produtos e serviços em um mesmo local


3- Estreite relacionamento com fornecedores


4- Conheça novas empresas expositoras e expositores internacionais apresentando novos serviços e tecnologias inovadoras


5- Troque experiências com os maiores players do mercado




Terça, 19 de Março de 2013

A produção de petróleo no pré-sal deve superar a marca de 1 milhão de barris por dia nos poços operados pela Petrobras em 2017, de acordo com estimativa da estatal divulgada nesta terça-feira (19) durante apresentação do Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 para investidores e analistas.

No dia 20 de fevereiro deste ano, a produção atingiu 300 mil barris de petróleo por dia, sendo a parcela da Petrobras equivalente a 249 mil barris de petróleo por dia. Esta marca foi atingida com 17 poços produtores, sendo 6 deles na Bacia de Santos e 11 na Bacia de Campos.

Durante a apresentação, a presidente da Petrobras, Graça Maria Foster, informou que as metas de produção do atual plano de negócios foram mantidas de acordo com o plano anterior, de 2012-2016.

De acordo com a apresentação, 25 novas unidades de produção de petróleo entrarão em operação no período de 2013 a 2017.

Com relação à produção em termos de barris de óleo equivalente (boe), em 2013 a Petrobras deve chegar a 2,4 milhões de boe. Para 2017, a meta é atingir 3,4 milhões de boe e 5,2 milhões em 2020.





Terça, 19 de Março de 2013

O Colégio Elias Moreira, referência na oferta de cursos técnicos em Joinville, iniciará em abril  o Curso Técnico em Logística, em Itapoá. O curso será ministrado no Centro de Treinamento do Porto Itapoá, que fica em frente ao terminal.

O desenvolvimento do curso tem sido uma solicitação frequente do Porto Itapoá, juntamente com o apoio da vereadora Márcia Soares. A ideia, tanto do Porto, como do próprio Colégio, é que esse curso se desenvolva e, conforme a demanda de alunos, seja transformado em Tecnólogo em Logística, com reconhecimento do MEC como Ensino Superior.

Para a Cidade de Itapoá, que além de um paraíso turístico, está se transformando em um polo logístico internacional, é imprescindível garantir a formação da mão-de-obra especializada de modo facilitado e ao alcance de todos.

As matrículas estarão abertas nos dias 26 e 27 de março, e as aulas iniciarão no dia 1º de abril.

Para mais informações, entre em contato com o próprio Colégio Elias Moreira, pelo telefone (47) 3431-0900 ou Porto Itapoá, telefone (47) 3443-8536.



Terça, 19 de Março de 2013

Analistas de instituições financeiras consultados pelo Banco Central (BC) reduziram a projeção para o crescimento da economia este ano. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 3,10% para 3,03%. Para 2014, a estimativa foi mantida em 3,5%.


A estimativa para a expansão da produção industrial continua em 3%, este ano, e subiu de 3,75% para 4%, em 2014.


A projeção das instituições financeiras para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB passou de 34,30% para 34,10%, este ano, e permanece em 33,20%, no próximo ano.


A expectativa para a cotação do dólar foi mantida em R$ 2 para o final deste ano e passou de R$ 2,06 para R$ 2,05, ao fim de 2014.


A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) passou de US$ 14,9 bilhões para US$ 14 bilhões, neste ano, e de US$ 13,65 bilhões para US$ 14,5 bilhões, em 2014.


Para o déficit em transações correntes (registro das transações de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior), a estimativa foi mantida em US$ 65 bilhões, em 2013, e passou de US$ 70,2 bilhões para US$ 70,4 bilhões, em 2014.


A expectativa para o investimento estrangeiro direto (recursos que vão para o setor produtivo do país) foi mantida em US$ 60 bilhões tanto para 2013 quanto para o próximo ano.




Terça, 19 de Março de 2013

A ABDIB – Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base  está  apoiando a  candidatura da América Latina para sediar pela primeira vez a Exposição Universal, o terceiro maior evento mundial após a Olimpíada e a Copa do Mundo: a São Paulo EXPO 2020 com o tema “Força da Diversidade, Harmonia para o Crescimento”.

O  apoio de cada um de nossos associados e seus colaboradores ajudará a  tornar este projeto, assessorado  pela ABDIB, um dos muitos exemplos que simbolizam a integração latino americana. A candidatura da São Paulo EXPO 2020 é pioneira ao propor um pavilhão temático que agregará, pela primeira vez em uma Exposição Universal, uma região inteira - a América Latina. Estamos competindo com Ay utthaya (Tailândia), Dubai (Emirados Arabes), Ekaterimburgo (Rússia) e Izmir (Turquia).

O processo de escolha já está ocorrendo desde o ano passado, quando houve a entrega do dossiê de candidatura paulistana em Paris. Neste mês, entre 11 e 14 de marco, delegados do Bureau Internacional de Exposições (BIE), instituição responsável pela organização das Exposições Mundiais, visitou o Brasil para realizar a primeira visita de avaliação técnica da candidatura da cidade de São Paulo. A competição é muito forte entre as cidades e todas trabalham intensamente para serem bem-sucedidas.

Vamos todos apoiar a candidatura da América Latina e de São Paulo, pedimos a todos que curtam a página da São Paulo EXPO 2020 no Facebook e que compartilhem este link para todos seus conhecidos.

Par a saber mais sobre a EXPO 2020 - São Paulo acesse aqui:
http://www.abdib.org.br/eventos_abdib/eventos_modelo.cfm?id_evento=30



Terça, 19 de Março de 2013

Depois de um ano de negociação, a Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) e seis grandes marcas de cosméticos assinaram um acordo que põe fim às divergências em relação à base de cálculo do ICMS na modalidade de substituição tributária e uniformiza os procedimentos. São elas: Natura, Avon, Mary Kay, SS Cosméticos, Belcorp e AmWay, todas do segmento de vendas direta, mais conhecido como sistema porta-a-porta. Juntas, elas recolheram aos cofres do Estado R$ 78 milhões no ano passado.


“O acordo é muito importante já que o sistema porta-a-porta representa mais de 60% da arrecadação do ICMS incidente nas operações com cosméticos. A expectativa é de que o acordo traga um aumento de arrecadação da ordem de R$ 3 milhões em 2013”, afirma Carlos Roberto Molim, diretor de Administração Tributária da SEF. As negociações foram conduzidas pelo Grupo Especialista em Produtos Farmacêuticos e Medicamentos (Gesmed/SEF).


Molim explica que o segmento de vendas diretas vinha adotando diferentes critérios para a determinação da base de cálculo do ICMS, existindo, inclusive, demandas judiciais em virtude da não aceitação da base determinada pela legislação catarinense. O acordo firmado pela Fazenda inclui a retirada dessas ações judiciais contra o Estado de Santa Catarina por parte das empresas, liberando ao Tesouro Estadual um total de R$ 6 milhões depositados em juízo.


Também ficou acordado que todas as empresas passarão a adotar Margem de Valor Agregado (MVA) no percentual de 40%. Até o momento, elas vinham utilizando MVA no percentual de 35%. A diferença em relação aos percentuais será cobrada de forma retroativa, totalizando R$ 300 mil. A MVA é um índice utilizado no regime de substituição tributária que indica o preço final que se presume que o consumidor pagará por um determinado produto. Ela serve para indicar quanto de ICMS o fabricante ou importador deve recolher antecipadamente e cobrar de seus compradores.




Quinta, 14 de Março de 2013

Um relatório feito pela Univali e pelo Sinergia foi apresentado essa semana no Litoral Norte catarinense. O estudo chama-se Costa Verde e Mar em Números e foi apresentado nesta quarta-feira pelo Consórcio Intermunicipal de Turismo Costa Verde e Mar (Citmar). A apresentação mostrou o produto interno bruto (PIB) turístico da região, índice até então calculado somente em âmbito nacional pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

A pesquisa realizada pelo professor Antônio Guarda, consultor em estudos, pesquisas e geoprocessamento, expôs que a participação do setor turístico na produção bruta do Brasil é de 8,9%. Já em Santa Catarina, o número gira em torno de 7,7%. O destaque fica por conta da Costa Verde e Mar, que com percentual de 11,5% supera a média nacional e catarinense. Ainda segundo o material, hoje são cerca de 32 mil profissionais ligados à atividade turística atuando nos municípios que fazem parte da região. 

Não é por acaso que algumas cidades litorâneas são destaques do Turismo não apenas catarinense, mas também brasileiro. Exemplos mais conhecidos são Bombinhas e Balneário. Em Bombinhas, o PIB turístico chega a 19,7% do PIB total; em Balneário Camboriú, que mesmo não fazendo parte do Citmar foi incluída na pesquisa, o número é de 15,4%. No Litoral Norte, o menor índice aparece em Porto Belo: 9,7%. 

PIB turístico 

Brasil - 8,92% 
Santa Catarina - 7,71% 
Região Costa Verde e Mar - 11,56% 
Bombinhas - 19,74% 
Penha - 19,11% 
Balneário Camboriú* - 15,22% 
Navegantes - 14,67% 
Balneário Piçarras - 11,65% 
Itapema - 11,41% 
Camboriú - 10,64% 
Itajaí - 10,73% 
Porto Belo - 9,71% 

Fonte: Estudo Costa Verde Mar em Números, da Univali e Instituto Sinergia



Quinta, 14 de Março de 2013

Divulgar os atrativos turísticos e atrair um número cada vez maior de escalas de cruzeiros marítimos. Esta é a meta da comitiva catarinense que participa do Seatrade Cruise Shipping Miami, a maior feira do mundo do setor. O evento começou na última terça-feira, dia 12, e Itajaí garantiu presença, junto com representantes de São Francisco do Sul e do Governo do Estado.


Ontem, no segundo dia de participação da comitiva que representa Santa Catarina foi bastante produtivo. Eles estiveram presentes em reuniões e encontros com importantes companhias marítimas, empresas de projetos, agencias de viagens, dirigentes dos países do Mercosul, entre outros. Essa aproximação entre as companhias e os destinos potenciais, possibilitam um maior e melhor entendimento sobre o que os executivos estão buscando e quais as oportunidades para os diversos mercados.


De acordo com a Secretária de Turismo de Itajaí, que integra a delegação catarinense no evento, além de garantir um maior número de escalas para a próxima temporada, também é necessário consolidar o Brasil e Santa Catarina como um destino vital para as companhias de cruzeiro. “Por isso, nossa participação nesta feira é tão importante porque aqui conseguimos perceber o que as grandes companhias estão esperando, o que nossos concorrentes estão fazendo, e assim planejar ainda melhor nossos investimentos no setor, garantindo maior competitividade”, afirma.


Os representantes de Santa Catarina também participaram de conferências onde estavam presentes os CEOs (presidentes e diretores) das maiores companhias de navegação de cruzeiros do mundo. Um dos temas discutidos foi a Expansão de Mercados, que contou com a participação do Diretor-Presidente da Autoridade Portuária do Rio de Janeiro, Jorge Luiz de Mello. Na conferência, os participantes discorreram sobre a globalização que a indústria de cruzeiros promove e as opções que são lançadas para os potenciais clientes deste setor. Foram ouvidos também os especialistas de mercados emergentes, Austrália, Ásia, China, além do Brasil. Uma das questões que fica bastante evidente na fala dos executivos é a necessidade de os destinos proverem experiências significativas aos passageiros, reduzirem os custos oriundos da operação dos navios e investirem em infraestrutura.


Outro acontecimento importante para Santa Catarina, que está sendo prospectado e alinhado durante o evento, é a realização do Seatrade Latin América 2014 em Florianópolis. Segundo a Diretora de Políticas Integradas do Lazer, Elisa Wippes, em razão da presença de Santa Catarina, da Santur e dos Municípios no evento ao longo dos anos, existe uma grande possibilidade de as negociações com a comissão organizadora do evento surtirem efeitos positivos, pois o Estado e os Municípios vêm mostrando todo o seu potencial turístico e os investimentos que estão sendo feitos para aprimorar ainda mais o atendimento ao setor de cruzeiros.




Quinta, 14 de Março de 2013

A Revista Portuária – Economia e Negócios, estará mais uma vez expondo na Intermodal 2013, a segunda maior feira de comércio exterior, transporte de carga e logística do mundo. São mais de 550 expositores e quase 50 mil visitantes.


Sua empresa, mesmo não sendo uma das expositoras, poderá estar presente nesta Feira Internacional e mostrar seus produtos e serviços para este grande público empresarial, sendo parceira comercial da nossa Revista, que estará sendo distribuída a partir de nosso estande. Serão 20 mil exemplares entregues nas mãos de todos os expositores e da maioria do público visitante, profissionais e executivos com poder de decisão.


Esta edição que será distribuída na Intermodal será especial, não só pelo conteúdo editorial, mas também pelo trabalho gráfico, que será de primeiro mundo, valorizando seu anúncio.


Sua empresa poderá ter um anúncio institucional, bem como também em forma jornalística, mostrando a empresa, seus produtos e serviços em matérias com textos e fotos. Ou seja, poderá atingir o seu público foco – que certamente estará na Intermodal – de várias formas, abrindo assim oportunidades de negócios em vários níveis.


Nosso setor comercial já começou a fazer os contatos para esta Edição Especial da Intermodal. Não deixe passar a oportunidade de anunciar sua empresa. Podemos lhe dar certeza de que o público presente num evento como a Intermodal é impossível de ser reunido num só lugar ou em qualquer outra feira no Brasil.


Os interessados em saber mais detalhes podem entrar em contato através do e-mail: carlos@bteditora.com.br ou pelo fone: 47 – 8405-8777. Nosso valor por página é o menor custo/benefício que você poderá encontrar para estar presente neste grande evento, atingir o público que precisa, sem necessariamente ser um dos expositores.


O próprio site da feira (www.intermodal.com.br) indica alguns motivos para você visitar a Intermodal. Nós poderíamos transformar esses motivos para você anunciar na Revista Portuária que será distribuída na Intermodal:


Motivos para visitar a Intermodal South America 2013


1- Reduza custos e melhore sua eficiência logística


2- Conheça mais de 550 empresas de produtos e serviços em um mesmo local


3- Estreite relacionamento com fornecedores


4- Conheça novas empresas expositoras e expositores internacionais apresentando novos serviços e tecnologias inovadoras


5- Troque experiências com os maiores players do mercado




Quinta, 14 de Março de 2013

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, se posicionou de forma dura contra a aprovação da unificação do ICMS proposta pela União. Colombo também defendeu, em Brasília, ontem, que outros Estados prejudicados pela mudança iniciem o debate. Para Colombo e para o secretário da Fazenda, Antônio Gavazzoni, a medida não atende o que propõe - acabar com a guerra fiscal - pois já de início cria condições desiguais. As regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste devem negociar para manter uma alíquota diferenciada e a mudança gradual vai permanecer em indicadores de 7% para estas regiões e 4% para o resto do País.
 
"É mais uma medida que vem para paralizar o Estado. As decisões nacionais tem reduzido nossa arrecadação e aumentado nossos custos sem oferecer nenhuma outra fonte de recursos", apontou o governador. A posição do Palácio do Planalto é pela mudança e de forma rápida. “Assim que a medida for aprovada, Santa Catarina passa a perder R$ 2 bilhões por ano em arrecadação”, afirmou Gavazzoni.

A proposta do Governo Federal para compensar Santa Catarina e os outros Estados que sofrerem perdas é a criação de um Fundo de Compensação de Receitas (FCR). O mecanismo cobriria as perdas durante um período até a acomodação das contas dos Estados. Gavazzoni lembra, porém, que a Lei Kandir, criada em 1996, prometia cobrir as perdas dos Estados exportadores ao dar isenção de ICMS a produtos e serviços exportados. Mas em 2012 Santa Catarina só recebeu 7% do que era devido. “Nos últimos cinco anos, Santa Catarina acumula R$ 780 milhões que não foram repassados desse fundo”, explicou o secretário.

O instrumento usado pela União para aprovar a medida será o Projeto de Resolução do Senado 01/2013, já encaminhado. Para entrar em vigor, basta a aprovação na Comissão de Assuntos Econômicos e depois apenas o plenário do Senado.
 
 O que muda na economia de SC 

Com a unificação do ICMS, importar por Santa Catarina não é mais atrativo, mesmo com cinco portos eficientes no Estado. Enquanto a arrecadação com o ICMS de importados caiu 44% em Santa Catarina no mês de fevereiro, a de São Paulo já cresceu 18% no mesmo mês. A perda, que foi de R$ 90 milhões apenas no mês passado, sinaliza que a redução na arrecadação deve ultrapassar a estimativa da secretaria da Fazenda de R$ 600 milhões para o ano todo, chegando a R$ 1 bilhão em 2013.

O governador destaca que, pela segunda vez, Santa Catarina pode ser penalizada por cumprir bem seu papel. Com a Lei Kandir foi prejudicada por ser um grande exportador de produtos industrializados. Agora com essa medida, mais uma vez perderia, dessa vez por produzir muito mais do que seu mercado consumidor estadual e vender esses produtos em outros Estados. “Perdem todos em Santa Catarina. A indústria perde competitividade. O varejo perde todos os benefícios do programa Simples. E Santa Catarina terá uma perda que, em 10 anos, superará R$ 20 bilhões de reais”, explicou o secretário da Fazenda.



Quinta, 14 de Março de 2013

Em audiência pública no Congresso Nacional, empresários apontaram que a infraestrutura deficitária dos portos tem afetado a competitividade nacional. Para o consultor de Logística da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Luiz Antônio Fayet, se a economia internacional não estivesse passando por uma crise, os portos brasileiros representariam um gargalo ainda maior para o escoamento da produção.

Fayet falou durante audiência pública da comissão mista do Legislativo que discute a Medida Provisória (MP) 595, que estabelece novo marco regulatório para o setor portuário. A reunião de ontem  teve a participação de usuários dos serviços portuários.

Na audiência pública de ontem (12), foram ouvidos representantes das empresas prestadoras de serviços portuários. Elas disseram que os gargalos do setor exportador não estão relacionados aos portos, mas à burocracia e à falta de investimento em acesso aos portos, como ferrovias e rodovias. 

Para o relator da MP 595, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), há gargalos em toda a cadeia de logística do país. “Quer saber a verdade? Os gargalos estão tanto no acesso quanto na infraestrutura dos portos, na gestão, na burocracia. O desafio da MP é justamente o de termos coragem de estruturar tudo e sair com um marco regulatório positivo para o país”, disse Braga após participar da audiência.






Quinta, 14 de Março de 2013

As lideranças do setor de abastecimento do Vale do Itajaí se reúnem no próximo dia 19 de março, para o 1º Encontro Regional de Empresários Supermercadistas, que ocorre na Colônia de Férias do SESC, no Bairro Salto do Norte, em Blumenau. O evento é uma promoção da ACATS (Associação Catarinense de Supermercados), coordenado pelo vice-presidente da Região Vale do Itajaí, Osnildo Maçaneiro, que é diretor vice-presidente da Cooper (Cooperativa de Produção e Abastecimento do Vale do Itajaí).

 

O encontro reserva o período da manhã (das 8h30 às 12 horas) para a integração entre os participantes e a apresentação das ações da ACATS neste ano de 2013. Uma palestra com o consultor Christian Nogarotto, com o tema “Excelência em Controle Operacional”, também faz parte da programação, assim como a discussão de temas emergentes e comuns aos empresários. A exemplo da desoneração de produtos da cesta básica, medida adotada pelo Governo Federal para incentivar o consumo, que era uma reivindicação antiga e está sendo bem recebida pelo setor.

 

À tarde, as lideranças supermercadistas e suas equipes poderão participar do curso de “Excelência em Atendimento para o setor de FLV (Frutas, Verduras e Legumes)”. Ministrado pelo professor Ivam Carlos Michaltchuk (administrador de empresas e técnico em segurança alimentar), o curso tem quatro horas e é reconhecido pela Escola Nacional de Supermercados.

 

Osnildo Maçaneiro explica que o objetivo da ACATS com a promoção de eventos regionais é estimular o associativismo no setor, permitindo que empresários e executivos de pequenos, médios ou grandes estabelecimentos da região possam estreitar o relacionamento e se unir na busca de soluções para problemas comuns. “Somos concorrentes no ponto de venda, mas temos questões cotidianas comuns, que podemos resolver mais facilmente através do associativismo”, declara o diretor.





Quinta, 14 de Março de 2013

Estação do sol, praia e das férias para milhares de brasileiros, o verão representa o principal período para o turismo catarinense, época em que o comércio de rua e shoppings centers e o segmento hoteleiro precisam expandir ainda mais seu atendimento para atender à demanda de visitantes.


Com o objetivo de mapear as características do turista e o impacto econômico para o empresário do setor, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC) divulga nesta quarta-feira, 13, o resultado da Pesquisa Fecomércio-SC Turismo de Verão em Santa Catarina – Temporada 2013.


Para realizar o estudo, foram entrevistados turistas da Região Sul, Norte e Capital, entre os dias 3 de janeiro e 1º de março. Já nos dias 28 de fevereiro e 1º de março, foram ouvidos os empresários. A pesquisa revela que, nesta temporada, no litoral de Santa Catarina, predominaram turistas de 31 a 50 anos, assalariados e autônomos, sendo 45% de homens e 55% de mulheres. O tempo de estada, em média, durou 10,5 dias, sendo que a permanência mais prolongada foi no Litoral Sul, com 12,6 dias. Em Florianópolis, a média de estada aumentou em 2013, com 10,1 dias, contra 6,65 dias em 2012 (Veja a pesquisa de Verão do ano passado aqui).


O turista gastou cerca de em R$ 2.085,26 para passar a temporada em Santa Catarina. No mercado de trabalho, a contratação de novos funcionários atingiu a média estadual de 6,8 pessoas por empresa. O aumento na Capital, em relação ao mesmo período do ano passado, foi considerável, com um salto de 3,72 novos colaboradores para 7,5 neste verão.


Movimento bom no comércio


O movimento no comércio foi considerado bom pelos empresários catarinenses (57%), com destaque para o Litoral Norte, onde a avaliação foi mais positiva, com 62%. 
O cliente que mais gastou no comércio foi o da Capital (R$ 248,48), seguido do Litoral Sul (R$ 238,08) e Litoral Norte (R$ 156,04), sendo a forma de pagamento mais utilizada em todas as regiões o cartão de crédito ou à vista. No ano passado, em Florianópolis, o cliente gastou R$ 113,56 a menos no comércio, fechando o valor médio de R$ 134,92. 
O faturamento teve alta em relação ao mesmo período no Verão de 2012 em todo o Estado, com 6,7%. A região que obteve maior ascensão foi o Litoral Sul, com 13,3%. Florianópolis alcançou 6,5% e o Litoral Norte, 5,6%.


Idade, ocupação profissional e renda


Na Capital, a visita das mulheres ocupou o topo do ranking (56%), com idades entre 31 e 50 anos. Os jovens, entre 18 e 25 anos, também foram destaque. No quesito ocupação profissional, os assalariados lideraram, seguidos de autônomos e funcionários públicos. A renda dos turistas em Florianópolis variou entre R$ 1.418 e R$ 6.109.

No Litoral Norte, onde a pesquisa abrangeu as cidades de São Francisco do Sul, Itajaí (Praia Brava), Balneário Camboriú e Costa Esmeralda (Itapema, Porto Belo e Bombas), entre os visitantes, os homens foram a maioria (52%), com idades entre 31 e 50 anos, também com destaque para os assalariados. A renda média mensal foi mais elevada que a Capital, de R$ 3.764 a R$ 6.109, atingindo o percentual de 31%. Os que ganham acima desse valor (33%) declararam renda média superior a R$ 7.965.

No Litoral Sul, onde o estudo focou as cidades de Imbituba (Praias de Imbituba, Ibiraquera e Lagoa de Ibiraquera) e Laguna - como em Florianópolis - a maior parte de turistas foram mulheres (65%), assalariados, com renda média de R$ 1.418 a R$ 3.763.

A motivação pela escolha de veranear em Santa Catarina foi especificada pelo turismo de sol e praia, com afirmação de 94,8% no Litoral Norte, 84,2% no Litoral Sul, e 87,4% em Florianópolis. Pelo menos 52% dos turistas disseram que pretendem visitar outra cidade do Estado. Os locais visitados mais citados na pesquisa foram Balneário Penha, Balneário Camboriú, Bombas e Bombinhas, Porto Belo, Itajaí, Blumenau, Joinville e Brusque.


Impacto econômicos para o empresário



A pesquisa da Fecomércio também entrevistou 526 empresários do comércio, espalhados em Florianópolis, Litoral Norte e Litoral Sul. Os ramos variaram entre bares e restaurantes, vestuário, supermercados, hotéis e pousadas, padarias, farmácia, entre outros. 
A média de contratação de novos funcionários na temporada de verão atingiu o percentual de 45% das empresas, sendo que Florianópolis liderou com 7,5 pessoas, seguida do Litoral Sul, com 6,7, e Litoral Norte, com 6,4.


Faturamento do comércio


Quanto à variação do faturamento, cada região apresentou um comportamento diferente. Florianópolis teve aumento do faturamento em relação ao verão de 2012 de 6,5%, e de 3,9% em relação ao mês anterior. O Litoral Norte teve crescimento do faturamento em relação aos meses comuns do mesmo ano, 5,6%, e em relação ao Verão de 2012 o aumento percebido foi de 28,1%, resultado muito expressivo. Situação semelhante ocorreu no Litoral Sul, onde o crescimento em relação aos meses anteriores foi de 13,3% e o aumento em relação ao mesmo período do ano anterior, foi de 19,9%.




Quinta, 14 de Março de 2013

O volume de vendas do comércio varejista do país em janeiro, na comparação com o mês anterior, aumentou 0,6% na série com ajuste sazonal, segundo divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), hoje. O resultado positivo ocorre após a interrupção no crescimento vista em dezembro, quando o volume recuou 0,5%. Em relação a janeiro de 2012, o crescimento foi de 5,9%, na série original, ou seja, sem ajuste sazonal.

No primeiro mês de 2013, a receita nominal apresentou crescimento de 1,3%, na comparação com dezembro do ano passado – marcando o oitavo mês consecutivo de crescimento.

No comércio varejista ampliado, que inclui o varejo e as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, o volume de vendas variou 0,3% e a receita nominal, 1,6%, na comparação com dezembro. Em relação a igual mês do ano anterior, o volume de vendas cresceu de 7,1% e a receita nominal, 10,2%.

Atividades
Neste primeiro mês do ano, das dez atividades pesquisadas pelo IBGE, sete obtiveram resultados positivos para o volume de vendas com ajuste sazonal, com destaque para equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (18,5%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (4,7%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (3,1%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,4%); e material de construção (1,3%);

As quedas verificadas ocorreram nos setores de tecidos, vestuário e calçados (-0,4%); veículos e motos, partes e peças (-1,2%); e móveis e eletrodomésticos (-2,6%).

O segmento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo inicia o ano com variação de 3,4% no volume de vendas em janeiro sobre igual mês do ano anterior, proporcionando o maior impacto (30%) sobre a taxa do comércio varejista.

De acordo com o IBGE, isso se deve ao aumento do poder de compra da população, decorrente do crescimento da massa de rendimentos, bem como da estabilidade do emprego.





Quinta, 14 de Março de 2013

O governador Raimundo Colombo e o secretário de Estado da Fazenda, Antonio Gavazzoni, anunciaram ontem, em Brasília que o Governo vai suspender a cobrança do Diferencial de Alíquota (Difa) por 90 dias. O decreto que anula os efeitos da cobrança será retroativo a 1º de fevereiro, quando a cobrança passou a ser adotada no Estado.


A decisão foi tomada após uma série de reuniões em Brasília com outros governadores e secretários de Fazenda, que estão participando de uma extensa agenda voltada a mudanças no imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual, intermunicipal e de comunicação (ICMS). “A Resolução nº1, que a princípio unifica as alíquotas internas a 4%, vai causar profundas transformações nos Estados e terá efeitos dramáticos em Santa Catarina, que deverão atingir, além da indústria, também as empresas do Simples Nacional. Por conta disso, estamos reconsiderando a cobrança do diferencial das compras interestaduais, até que se tenha novos estudos sobre os impactos de tantas mudanças”, diz Gavazzoni. Segundo ele, Santa Catarina já está sendo penalizada por outra resolução federal, a de número 13, que trouxe para 4% as alíquotas de importação. “Nossa expectativa de perda de arrecadação com importações era de R$ 600 milhões em 2013. Porém, em um único mês, já deixamos de arrecadar R$ 90 milhões. Nesse ritmo, apenas com o ICMS de importações perderemos mais de R$ 1 bilhão até o fim do ano”, explica. Somados os efeitos das duas resoluções, a equipe da Secretaria da Fazenda já projeta perdas anuais de R$ 3 bilhões.


O novo decreto, que suspende os efeitos da cobrança do Difa, deverá ser publicado na próxima sexta-feira, dia 15. Novas rodadas de discussões com representantes do comércio varejista e da indústria deverão ocorrer nas próximas semanas para reavaliação do cenário.





Quinta, 14 de Março de 2013

O Superintendente do Porto do Rio Grande, Dirceu Silva Lopes, palestrou na manhã de ontem, na Sala Oceanus do CIDEC- SUL, pela programação do Congresso Navegar. O evento integra a 2ª Feira do Polo Naval, que será realizada até amanhã, na Universidade Federal do Rio Grande - FURG.

Com a temática “O Porto do Rio Grande e o Sistema Multimodal do RS”, o Superintendente do Porto destacou que o porto gaúcho é único no Brasil que disponibiliza, simultaneamente, instalações nos modais ferroviário, hidroviário e rodoviário, sendo que todos os modais entram diretamente no Porto do Rio Grande.

Lopes detalhou os acessos ao porto através de cada modal e ressaltou a importância da Ferrovia Norte-Sul, abordada pelo Ministro dos Transportes, Paulo Passos, durante a cerimônia de abertura da Feira do Polo Naval, que proporcionará a qualificação deste modal.

O Superintendente ainda salientou o potencial que o modal hidroviário possui e o interesse do Porto do Rio Grande na utilização da hidrovia, como um ganho de produtividade no transporte das cargas, como por exemplo, no escoamento dos graneis. Entretanto, Lopes defendeu a questão da multimodalidade. “Para que ocorra a multimodalidade é preciso pensar que os modais não são concorrentes, mas complementares entre si”, explicou. 

Na palestra, Lopes ainda abordou os projetos de expansão portuária, como a Ilha do Terrapleno, o terminal de veículos e o cais sul do Porto Novo. “A eficiência e eficácia do Porto do Rio Grande contam com a ação dos trabalhadores, dos operadores portuários, dos terminais, enfim de toda a comunidade portuária e com os importantes investimentos que o governo estadual e governo federal vêm realizando”, concluiu.  

Feira do Polo Naval
A Superintendência do Porto do Rio Grande está presente na 2ª Feira do Polo Naval, com um estande no hall de entrada do CIDEC SUL, onde estão os apoiadores do evento. Nesta edição, a Feira do Polo Naval tem com tema: “Um Superporto, Um Superpolo: Nos caminhos do desenvolvimento”. A expectativa é de que 20 mil pessoas passem pelos pavilhões da feira, que conta com 222 expositores. 

A Feira tem como foco os negócios da cadeia produtiva naval, visando promover o desenvolvimento econômico, social, ambiental da região, cada vez mais procurada para investimentos nessa área. Além da área de exposição, a programação da Feira compõe os eventos Seminário de Direito, Rodada de Negócios, Congresso Navegar e Navtec com a realização de palestras, workshops e conferências.



Terça, 12 de Março de 2013

Que Balneário Camboriú é referência no turismo nacional isso todo mundo já sabe. Que a cidade está localizada entre duas sedes da Copa do Mundo de 2014, Porto Alegre e Curitiba, você também já sabe. E que o município deseja se tornar ainda mais referencial no cenário turístico brasileiro, sendo escolhida como centro de treinamento de alguma das seleções que irão disputar o Mundial em solo tupiniquin, talvez você não saiba. Mas Balneário quer e vai atrás dessa aspiração, aproveitando-se assim de estar a meio caminho das capitais gaúchas e paranaenses.  


Porém, para continuar sendo essa referência, é necessário manter e melhorar os esforços, para que quesitos como infraestrutura geral, marketing e promoção do destino, aspectos sociais, ambientais e culturais, cooperação regional, atrativos turísticos, entre outros, se mantenham em evolução, impulsionando não só Balneário Camboriú, mas toda a região para um turismo mais eficiente e melhor .


Por isso, a Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Balneário Camboriú, que é o orgão oficial dessas atenções, participa constantemente de reuniões, workshops, encontros e qualificações diversas, para poder repassar essas informações ao trade local e regional. No final da última semana, o secretário de Turismo de Balneário Camboriú, Ademar Schneider, esteve em Brasília para participar de novos encontros com esse objetivo, o de qualificar ainda mais o destino.


Schneider participou da Assembleia Ordinária da Associação Nacional de Secretários e Dirigentes de Turismo das Capitais e Destino Indutores (Anseditur), órgão que será utilizado pelo Ministério do Turismo para o repasse de verbas aos destinos e a ponte para o cadastro de novos projetos, na qual foi eleita nova diretoria da entidade. Durante o encontro, o presidente da Embratur, Flávio Dino, palestrou sobre a linha de trabalho da entidade, sua competência em grandes eventos e na competitividade do turismo brasileiro nesses acontecimentos. Chamou à atenção para a vitrine na qual o Brasil irá se transformar - e já vem sentindo isso - como sede da Copa do Mundo em 2014. "Dino nos explicou a importância de se trabalhar a boa imagem dos destinos brasileiros, aliando-se a preocupação em atender bem os consumidores do turismo", especificou Schneider.


A FIFA reforçou a mensagem, explicando que cidades que não serão sede, mas servirão de corredor entre duas sedes de jogos, o que é o caso de Balneário Camboriú, também terão enfoque especial. Com o objetivo de esclarecer eventuais dúvidas por parte dos municípios sede e dos candidatos a Campo de Treinamento de Seleção (CTS), o representante da FIFA, Paul Whelan, realizou uma pequena apresentação mostrando que as cidades brasileiras, mesmo não estando nos roteiros da Copa, aindatem "uma janela aberta para buscar seleções para treinamento". A FIFA deverá realizar visita nos municípios indutores que poderiam sediar esses treinos, para incentivar a busca em ser um CTS. Schneider afirmou que o prefeito Edson Renato Dias (Piriquito) não irá medir esforços para tentar transformar Balneário Camboriú em um desses centros.




Terça, 12 de Março de 2013

A mobilização em prol da Ferrovia da Integração ganhou importante aliado no dia 8 de março, última sexta-ferira. “O Governo do Estado dá apoio total e restrito a este movimento em busca da Ferrovia Chapecó / Itajaí.”, frisou o secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulinho Bornhausen, que participou da reunião da comissão Pró-Ferrovia na sede da Associação Empresarial de Itajaí.


No encontro várias lideranças empresariais e políticas estiveram reunida e, agora partem para elaboração de um documento a ser entregue durante o Fórum Parlamentar Catarinense, que discutirá na próxima sexta-feira, dia 15 de março, na FIESC, em Florianópolis, as questões acerca dos traçados férreos no Estado de Santa Catarina. “Precisamos ter um documento único, assinado por todos os envolvidos inclusive, o Governo do Estado, expondo que queremos a ferrovia Chapecó / Itajaí, independente de onde seu traçado irá passar”, ressaltou Bornhausen, deixando clara a posição do Governo quando ao ponto de partida e chegada ligarem o Complexo de Produção (Oeste do Estado) ao Complexo Portuário de Itajaí.


A presidente da ACII, Maria Izabel Pinheiro Sandri, salientou a necessidade de se buscar números de base que indiquem a viabilidade da ferrovia, inclusive expondo projeções de produção e exportação para os próximos anos. “Esta posição do Estado evita debates infundáveis dentro de Santa Catarina e nos garante uma força especial”, comentou.


Todas as partes envolvidas ficaram responsáveis por levantamento de dados que serão reunidos amanhã, quando uma nova reunião irá acontecer na ACII para elaboração final do documento.




Terça, 12 de Março de 2013

O Porto Itapoá retoma neste mês de março, em Blumenau, os Encontros de Negócios que vem promovendo com empresários, importadores, exportadores, despachantes, transportadoras, armadores, investidores e agentes do meio logístico do estado. O evento será realizado no dia 14 de março (quinta-feira), às 19h, na Acib (Associação Empresarial de Blumenau), em parceria com o Núcleo de Comércio Exterior da entidade.


O Encontro de Negócios conta com apresentação institucional e comercial do Porto Itapoá, seguida da abertura de espaço para questionamentos, momento em que os convidados são ouvidos por diferentes equipes do terminal, que pretendem conhecer de perto as necessidades específicas de logística e de operação de cada cliente. Desta forma, o Porto Itapoá acredita que o evento também é uma boa oportunidade para despachantes, tradings, transportadoras e agentes marítimos conhecerem o ambiente operacional do empreendimento, estabelecendo contato direto com as pessoas que comandam as áreas de Operações, Documentação e Transporte do terminal.




Terça, 12 de Março de 2013

A Revista Portuária – Economia e Negócios, estará mais uma vez expondo na Intermodal 2013, a segunda maior feira de comércio exterior, transporte de carga e logística do mundo. São mais de 550 expositores e quase 50 mil visitantes.


Sua empresa, mesmo não sendo uma das expositoras, poderá estar presente nesta Feira Internacional e mostrar seus produtos e serviços para este grande público empresarial, sendo parceira comercial da nossa Revista, que estará sendo distribuída a partir de nosso estande. Serão 20 mil exemplares entregues nas mãos de todos os expositores e da maioria do público visitante, profissionais e executivos com poder de decisão.


Esta edição que será distribuída na Intermodal será especial, não só pelo conteúdo editorial, mas também pelo trabalho gráfico, que será de primeiro mundo, valorizando seu anúncio.


Sua empresa poderá ter um anúncio institucional, bem como também em forma jornalística, mostrando a empresa, seus produtos e serviços em matérias com textos e fotos. Ou seja, poderá atingir o seu público foco – que certamente estará na Intermodal – de várias formas, abrindo assim oportunidades de negócios em vários níveis.


Nosso setor comercial já começou a fazer os contatos para esta Edição Especial da Intermodal. Não deixe passar a oportunidade de anunciar sua empresa. Podemos lhe dar certeza de que o público presente num evento como a Intermodal é impossível de ser reunido num só lugar ou em qualquer outra feira no Brasil.


Os interessados em saber mais detalhes podem entrar em contato através do e-mail: carlos@bteditora.com.br ou pelo fone: 47 – 8405-8777. Nosso valor por página é o menor custo/benefício que você poderá encontrar para estar presente neste grande evento, atingir o público que precisa, sem necessariamente ser um dos expositores.


O próprio site da feira (www.intermodal.com.br) indica alguns motivos para você visitar a Intermodal. Nós poderíamos transformar esses motivos para você anunciar na Revista Portuária que será distribuída na Intermodal:


Motivos para visitar a Intermodal South America 2013


1- Reduza custos e melhore sua eficiência logística


2- Conheça mais de 550 empresas de produtos e serviços em um mesmo local


3- Estreite relacionamento com fornecedores


4- Conheça novas empresas expositoras e expositores internacionais apresentando novos serviços e tecnologias inovadoras


5- Troque experiências com os maiores players do mercado




Terça, 12 de Março de 2013

Esta semana, no Porto de Antonina, a multinacional Techint S/A deu início a um de uma série de cursos que visa capacitar mão-de-obra em Antonina. O primeiro curso – com duração de dois meses – está sendo o de lixador. Em duas turmas de quinze, trinta pessoas passam pelo treinamento e, dessas, 25 serão contratadas. Na sequência, outros cursos serão ofertados, nas funções consideradas essenciais para as atividades da empresa: engenharia, suprimento, construção e montagem de unidades offshore.

De acordo com o superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), desde a assinatura do Termo de Permissão de Uso Temporário da área de cem mil metros quadrados, do terminal público do Porto Barão do Teffé, em Antonina – em setembro de 2012 – a preocupação sempre foi com a geração de emprego e renda para o município. 

“Capacitar e qualificar a mão de obra é o primeiro passo para o crescimento da economia local. Com gente pronta, trabalho não irá faltar quando as operações da Techint, para atender a demanda da exploração do petróleo do pré-sal, iniciarem em Antonina”, comenta Dividino.

Sobre o início das atividades da Techint no Porto de Antonina, o superintendente afirma que uma reunião está marcada para o próximo dia 8, para definir o novo cronograma junto à empresa e o Governo do Estado. 

Trabalho - Segundo um dos gerentes da Techint, José Carlos Sá, das 30 pessoas que passam pelo curso, 25 serão contratadas para começar a trabalhar imediatamente, na sede da empresa em Pontal do Paraná. “Vamos fornecer transporte e tudo o mais que o serviço exigir. Primeiro estamos treinando os antoninenses para a função de lixadores. Em seguida, para pintura industrial e eletricista. Além dessas, estamos montando um cronograma – junto com o Senai – para desenvolver cursos em outras funções”, garante.

Sá ainda diz que, além da área desenvolvida para treinamento, a empresa está montando um escritório para começar a operar no Porto de Antonina. “Mesmo que estejamos treinando os antoninenses para trabalhar em Pontal do Paraná, posso garantir que a Techint já está em Antonina, preocupada em desenvolver a geração de emprego e a economia local”, conclui.

Realização – Ari Ribeiro dos Santos, de 58 anos, é autônomo e atualmente trabalha como carpinteiro em Antonina. Ele é um dos alunos do curso para lixador e se diz animado com a possibilidade de ter a carteira assinada. “Além de ser um oficio a mais que estou aprendendo, é uma oportunidade de sonhar em ter registro, mais segurança e renda no trabalho. Se sair o serviço, mesmo que em Pontal, vou ficar muito satisfeito”, conta o senhor, único trabalhador da família que sustenta – ele, a esposa e dois filhos. 



Terça, 12 de Março de 2013

A Medida Provisória (MP) 595/2012, que altera a regulamentação dos portos brasileiros, estará em debate nesta quarta-feira, na Câmara de Vereadores de Itajaí, em Audiência Pública organizada pelo vereador Thiago Morastoni (PT). O encontro aberto a toda comunidade terá início às 19 horas, no Plenário do Legislativo, e contará com a presença de autoridades políticas e representantes dos trabalhadores portuários do município e de outros portos catarinenses. A TV Câmara transmite a reunião ao vivo, no canal 9 da Viacabo TV.


O debate principal será em torno dos reflexos que a MP dos Portos trará aos trabalhadores do setor em todo o país. Nos moldes atuais, não há garantias de continuidade no trabalho para esses profissionais e estima-se que, somente no Porto de Itajaí, cerca de mil pessoas sejam atingidas diretamente, fato que prejudicará sensivelmente a economia do município.


“A MP 595 precisa ser revista. Hoje, a figura do trabalhador está sendo praticamente extinta, e isso será bastante debatido na Audiência Pública. Temos que mobilizar toda a sociedade para esta questão e chamo a população para comparecer nesta quarta-feira, no Plenário da Câmara”, destaca o vereador, lembrando que, se nada mudar, cerca de mil famílias itajaienses poderão perder sua principal fonte de renda.


A votação da MP deve ocorrer no dia 10 de abril, segundo previsão do senador Eduardo Braga.

 




Terça, 12 de Março de 2013

Com a redução dos incentivos fiscais em 2013 e acréscimo elevado nas compras de automóveis no final de 2012, o mercado iniciou o ano esperando a baixa nas vendas. De acordo com os dados divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores Regional Santa Catarina, o setor automobilístico no estado encerrou o bimestre com recuo de 7,76% nas vendas, seguindo a tendência nacional que registrou queda de 2,03%.


Mesmo com a baixa, o segmento de comerciais leves obteve acréscimo de 9,55% quando comparado ao mesmo período do ano passado, o que significam 5.848 novos veículos desta categoria adquiridos nos dois primeiros meses de 2013. Já em comparação a janeiro deste ano, em fevereiro a categoria que se destacou pelo aumento nas vendas foi a de ônibus, com acréscimo de 33,33%, representando 84 unidades a mais na frota catarinense.


Em fevereiro, 17.179 veículos, incluindo automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e outros, foram emplacados em Santa Catarina.


De acordo com o diretor geral regional da Fenabrave-SC, Ademir Saorin, o desaquecimento das vendas por alguns meses é natural pela diminuição gradativa do IPI reduzido e “não significa uma crise no setor”.


A frota circulante de Santa Catarina registrou em fevereiro de 2013 um total de 3.975.241 veículos, sendo que destes, 2.303.251 são automóveis e 949.911 são motocicletas. Com relação a janeiro de 2013, a frota no estado aumentou em 15.170 veículos.


Segundo o superintendente da Fenabrave, Paulo Engler, “por conta do setor altamente competitivo, o próprio mercado vai ditar os preços dos automóveis e, assim, as concessionárias acreditam em resultados positivos para este ano”.


Vale do Itajaí surpreendeu o mercado com o maior número de novos veículos emplacados no estado. Só nesta região, foram adquiridos 4.449 unidades em fevereiro. No entanto, em comparação a janeiro, houve queda de -19,72%.


A região da Grande Florianópolis vem em seguida com acréscimo de 3.469 veículos adquiridos em fevereiro. Por outro lado, foi a região que registrou a maior queda, com - 25,22%.



 





Terça, 12 de Março de 2013

Os empresários do setor de transporte turístico e fretamento de Santa Catarina comemoraram no último fim de semana, durante encontro em São José, na Grande Florianópolis, o atendimento a uma antiga reivindicação da categoria. A ministra Ideli Salvatti participou do evento para anunciar a sanção da Medida Provisória 582/2012, com a emenda que garante a desoneração do custo da mão de obra.

 

“Essa é uma conquista nacional, mas foi a Aettusc (Associação das Empresas de Transporte Turístico de SC) quem conseguiu a garantia de que a emenda seria incluída”, conta Nilton Silva Pacheco, presidente da associação. A atual contribuição previdenciária sobre os salários foi reduzida dos atuais 20% para apenas 2%. O setor gera 10 mil empregos diretos e pelo menos 15 mil indiretos. São mais de 100 empresas e cerca de 5 mil veículos.

 

A promoção do turismo regional diante da alta carga tributária e da falta de segurança nas rodovias catarinenses foram os desafios em pauta no encontro. Os empresários pedem compromisso dos governos estadual e federal para desonerar e desburocratizar o serviço para aumentar a competitividade em relação aos estados vizinhos.

 

Agora, para que o setor possa crescer ainda mais, os empresários querem a redução da carga tributária estadual – o ICMS catarinense é quase quatro vezes maior do que o gaúcho. “Podemos contribuir muito com o crescimento do turismo catarinense mediante a desoneração dos custos de operação e garantia de mais segurança aos nossos clientes e colaboradores”, assegura Pacheco.

 

No evento, também foi discutida a capacitação profissional do setor, de olho no atendimento à nova classe média, que nos últimos dez anos passou a viajar mais, favorecendo o turismo rodoviário.

 

 




Terça, 12 de Março de 2013

O presidente executivo da União Brasileira de Avicultura (UBABEF), Francisco Turra, participa amanhã (12) de reunião com o diretor-geral da Organização Mundial para Saúde Animal (OIE), Bernard Vallat, em Paris (França).


Durante o encontro, Turra apresentará o desenvolvimento do Programa de Compartimentação da Avicultura Brasileira, iniciativa do setor avícola brasileiro sob coordenação da UBABEF e do Ministério da Agricultura do Brasil. O projeto consiste na estruturação da produção em compartimentos, que mapeiam e isolam plantas e estruturas produtoras de granjas.


“Este projeto coloca a avicultura brasileira em um patamar que nos permite afirmar que detemos um dos melhores status sanitários do planeta. Pensamos proativamente para garantirmos nossa rápida reação contra eventuais problemas nos plantéis. Dessa forma, asseguramos nossa produção, nossas exportações e nossa sanidade, um dos maiores bens da avicultura nacional”, destaca Turra.


Ainda na reunião, Turra prestará homenagem ao diretor geral da OIE pelos trabalhos da organização sobre a eventualidade da encefalopatia espongiforme bovina, que permitiram ao país seguir como grande exportador de proteína animal do mundo.


O presidente da UBABEF aproveitará a oportunidade para convidar Bernard Vallat para participar da solenidade de abertura do Salão Internacional da Avicultura (SIAV), que será realizado entre 25 e 27 de agosto de 2013 no Anhembi, em São Paulo (SP).


“A avicultura brasileira tem uma excelente relação com a OIE, o que nos permitiu atingir um nível de confiabilidade dos mais elevados junto a mais de 150 mercados pelo mundo. Neste sentido, a participação de Vallat no SIAV é fundamental, já que falamos do maior e mais importante encontro do setor avícola brasileiro”, afirma.

 

Em Bruxelas – Após Paris, Francisco Turra segue para Bruxelas (Bélgica), para encontros com autoridades do Parlamento Europeu ligadas à Diretoria Geral para a Saúde e Consumo (DG Sanco) e à diretoria geral para a Agricultura (DG Agri). 


Nos encontros, o presidente da UBABEF buscará oportunidades para destacar junto às lideranças europeias os diferenciais que fazem do Brasil líder mundial das exportações mundiais de carne de frango: a sanidade, a qualidade e a sustentabilidade da produção.


“Nosso objetivo maior é desfazer mitos que circulam nos corredores do Parlamento Europeu em torno da nossa produção”, ressalta Turra.


O presidente da UBABEF participará ainda de um encontro com o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, ocasião em que o convidará para a solenidade de abertura do SIAV.




Terça, 12 de Março de 2013

Nas duas primeiras semanas de março, as exportações atingiram US$ 955,7 milhões e as importações US$ 5,498 bilhões. Com esses resultados, a balança comercial registra superávit no acumulado mensal de US$ 236 milhões, com média diária de US$ 39,3 milhões, e corrente de comércio de US$ 11,232 bilhões (média de US$ 1,872 bilhão). 

De acordo com os dados divulgados na terça-feira, dia 12, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, afirma que a média, as exportações crescerem 0,5% em relação a março de 2012 (US$ 950,5 milhões). Houve aumento nas vendas externas de bens semimanufaturados (29,8%), com destaque para catodos de cobre, açúcar em bruto, ouro em forma semimanufaturada, ferro fundido, alumínio em bruto, couros e peles, celulose, e ferro-ligas. Por outro lado, decresceram as vendas de produtos manufaturados (-8%), em razão de aviões, bombas e compressores, máquinas para terraplanagem, pneumáticos, açúcar refinado, e papel cartão. Também foram reduzidos os embarques de produtos básicos (-1%), por conta, principalmente, de trigo em grão, farelo de soja, fumo em folhas e algodão em bruto.

Importações 

Nas importações, março de 2013 está com aumento de 6,7% na comparação com a média diária registrada no mesmo mês de 2012 (US$ 858,7 milhões). Cresceram, principalmente, as compras de adubos e fertilizantes (91,1%), cereais e produtos de moagem (69,1%), cobre e suas obras (21,2%), aparelhos eletroeletrônicos (16,6%), plásticos e obras (15,2%), e instrumentos de ótica e precisão (+12,3%).

Ano

De janeiro até a segunda semana de março, a corrente de comércio totalizou US$ 79,579 bilhões (média diária de US$ 1,730 bilhão), com aumento de 2,9% sobre a média do mesmo período de 2012 (US$ 1,681 bilhão). Nos 46 dias úteis de 2013, a balança comercial registra déficit de US$ 5,079 bilhões (média diária negativa de US$ 110,4 milhões). Em período correspondente do ano passado, havia superávit de US$ 659 milhões, com resultado médio diário de US$ 13,7 milhões. 

No acumulado do ano, as exportações alcançaram US$ 37,250 bilhões (média diária de US$ 809,8 milhões), resultado 4,5% abaixo do verificado no período equivalente de 2012, que teve média diária de US$ 847,6 milhões. O resultado diário do acumulado anual das importações está 10,3% maior em relação ao ano passado (média diária de US$ 833,9 milhões). No ano, as compras brasileiras no mercado externo chegam a US$ 42,329 bilhões (média diária de US$ 920,2 milhões).





Quinta, 07 de Março de 2013

Itajaí aguarda com muita expectativa o anúncio sobre a cidade que será escolhida pela Petrobrás para a instalação de um megaprojeto avaliado em mais de 500 milhões de dólares relacionado ao pré-sal. A decisão está prevista para o dia 12 de março, na próxima terça-feira, portanto. O projeto prevê a construção de módulos replicantes de FPSO (navios plataformas) e será instalado em Santos ou em Itajaí.


Segundo o Deputado Estadual Volnei Morastoni (PT), o projeto tem tudo para dar certo.“Itajaí, através do terminal privado Teporti, tem uma área compatível para a instalação deste grande projeto da Petrobrás, com a vantagem das licenças ambientais estarem já disponíveis e de ser uma área também homologa pela Petrobrás.”


O deputado ainda comentou que o consórcio MGT (DM-TKK), vencedor de proposta da Petrobrás, está se instalando no Teporti, em Itajaí, para a construção de módulos para plataformas do pré-sal.


Para Morastoni, “Santa Catarina, por meio do Teporti em Itajaí, tem condições de receber este outro grande projeto da Petrobrás e este megaprojeto será decidido nos próximos dias. Por isso, mantenho contatos diretos com o Teporti e com a ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti”, finalizou.


A Revista Portuária entrou em contato com a assessoria de comunicação da Petrobrás, que ficou de repassar mais informações acerca do projeto. 




Quinta, 07 de Março de 2013

Itajaí, em breve, terá mais uma fábrica a gerar empregos na cidade. A ARXO, uma empresa catarinense que atua na produção de equipamentos em aço para diversos segmentos industriais, reabrirá sua unidade na Rua Francisco Reis, no Bairro Cordeiros. Cidemar Reis, diretor da ARXO, afirma que a unidade terá 2000 metros quadrados. Nela, serão investidos em matéria prima e equipamentos em torno de R$ 5.000.000,00. “Teremos uma capacidade de processar 500 toneladas de aço ao mês. O efetivo inicial é de 40 colaboradores para um turno, porém, isto pode se estender para mais turnos havendo necessidade”, afirma Cidemar.

Fundada em 1967, a ARXO é a maior fabricante de tanques de combustíveis da América Latina e vem ampliando sua atuação e expansão, tornando-se uma referência no setor metal-mecânico brasileiro. Em 2003, conquistou a Certificação conquistou a Certificação INMETRO, a ISO 9000, e construiu uma rede de representantes e parceiros no Brasil e no Mercosul. Em 2005, foi inaugurada a unidade de Recife (PE), e em
2006, a de Balneário Piçarras (SC), que dois anos depois passou a ser a matriz da empresa. 




Quinta, 07 de Março de 2013

A Revista Portuária – Economia e Negócios, estará mais uma vez expondo na Intermodal 2013, a segunda maior feira de comércio exterior, transporte de carga e logística do mundo. São mais de 550 expositores e quase 50 mil visitantes.


Sua empresa, mesmo não sendo uma das expositoras, poderá estar presente nesta Feira Internacional e mostrar seus produtos e serviços para este grande público empresarial, sendo parceira comercial da nossa Revista, que estará sendo distribuída a partir de nosso estande. Serão 20 mil exemplares entregues nas mãos de todos os expositores e da maioria do público visitante, profissionais e executivos com poder de decisão.


Esta edição que será distribuída na Intermodal será especial, não só pelo conteúdo editorial, mas também pelo trabalho gráfico, que será de primeiro mundo, valorizando seu anúncio.


Sua empresa poderá ter um anúncio institucional, bem como também em forma jornalística, mostrando a empresa, seus produtos e serviços em matérias com textos e fotos. Ou seja, poderá atingir o seu público foco – que certamente estará na Intermodal – de várias formas, abrindo assim oportunidades de negócios em vários níveis.


Nosso setor comercial já começou a fazer os contatos para esta Edição Especial da Intermodal. Não deixe passar a oportunidade de anunciar sua empresa. Podemos lhe dar certeza de que o público presente num evento como a Intermodal é impossível de ser reunido num só lugar ou em qualquer outra feira no Brasil.


Os interessados em saber mais detalhes podem entrar em contato através do e-mail: carlos@bteditora.com.br ou pelo fone: 47 – 8405-8777. Nosso valor por página é o menor custo/benefício que você poderá encontrar para estar presente neste grande evento, atingir o público que precisa, sem necessariamente ser um dos expositores.


O próprio site da feira (www.intermodal.com.br) indica alguns motivos para você visitar a Intermodal. Nós poderíamos transformar esses motivos para você anunciar na Revista Portuária que será distribuída na Intermodal:


Motivos para visitar a Intermodal South America 2013


1- Reduza custos e melhore sua eficiência logística


2- Conheça mais de 550 empresas de produtos e serviços em um mesmo local


3- Estreite relacionamento com fornecedores


4- Conheça novas empresas expositoras e expositores internacionais apresentando novos serviços e tecnologias inovadoras


5- Troque experiências com os maiores players do mercado




Quinta, 07 de Março de 2013

Em anúncio de inclusão de novas obras no PAC do Governo Federal, o Governo de Santa Catarina foi contemplado com R$ 297,5 milhões, todo o montante para investir em melhorias na infraestrutura do abastecimento de água. Como um todo, somando os recursos que serão investidos nos municípios em obras, o Estado receberá cerca de R$ 800 milhões do pacote de R$ 33 bilhões anunciado pela presidente Dilma Rousseff ontem, em Brasília.


"São recursos que serão muito importantes para garantirmos que não ocorram mais falta de água nos municípios catarinenses, em particular no litoral catarinense durante a temporada de verão", disse o governador. Ao todo, 18 municípios catarinenses tiveram projetos incluídos no PAC e vão receber recursos federais para executá-los. Santa Catarina teve aprovadas iniciativas em todas as três áreas previstas para esse anúncio: mobilidade urbana, pavimentação e saneamento básico.


"Para chegarmos ao nível de país desenvolvido, precisamos aumentar nosso volume de investimento", afirmou a presidente em seu pronunciamento durante o lançamento. Estavam presentes governadores e prefeitos de diversos estados do país.


Florianópolis e Joinville foram as cidades que receberam o maior aporte de recursos com a inclusão de projetos em mobilidade urbana. A Capital terá R$ 162,4 milhões para investir em saneamento básico para o Norte da Ilha, em melhorias nas ruas Deputado Antônio Edu Vieira, no trecho norte da Beira-Mar e na rua Padre Rohr, que liga os bairros Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui. "É uma obra importante que vai tirar o tráfego intenso do centro histórico de Santo Antônio de Lisboa", explicou o prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Junior.


Ganha destaque um projeto voltado à mobilidade urbana. Foi incluído no PAC a implantação de um anel viário para criar corredor de transporte público coletivo e a instalação de um teleférico. O teleférico vai ligar três pontos: Ticen, Morro da Cruz e a Universidade Federal de Santa Catarina. Já o novo corredor do transporte público será no trecho Beira-Mar, Via Expressa Sul e Antônio Edu Vieira, similar ao trecho feito hoje pela linha de ônibus Volta ao Morro.


"Faremos questão de integrar a solução que o Estado está buscando para um novo acesso à Ilha, também por meio do transporte público, com essas melhorias", afirmou o governador sobre o Procedimento de Manifestação de Interesse que o Governo está conduzindo para viabilizar uma Parceria Público Privada que ajude a diminuir o volume de veículos que trafega nas pontes.


A maior cidade de Santa Catarina, Joinville, vai receber o maior aporte entre os municípios. Serão R$ 248 milhões que serão utilizados em saneamento básico, na ampliação de uma estação de tratamento de efluentes e na reforma do corredor de ônibus Norte-Sul. "Hoje, os corredores se encontram em situação precária, eles foram improvisados. Com as melhorias, queremos aumentar de 25% para 32% a porcentagem da população que utiliza ônibus em Joinville”, disse o prefeito Udo Dohler.





Quinta, 07 de Março de 2013

O anúncio de novas políticas para o setor de turismo em Santa Catarina, e o lançamento de nova sinalização turística para a chamada Costa Verde e Mar, marcaram a reunião que aconteceu ontem, com a participação do secretário Beto Martins junto a funcionários da Santur, prefeitos, representantes de associações comerciais e outros de 11 municípios do litoral centro do Estado.

O Secretário de Estado reafirmou politicas públicas do Governo para o crescimento do setor e teceu elogios às iniciativas regionais como a que acontece em Balneário Camboriú, onde o prefeito Edson Renato Dias (Piriquito), anunciou a construção de um centreventos para abrigar feiras, congressos e exposições de grande porte.

"Essa obra será um marco para Santa Catarina", disse Martins ressaltando o fato de Balneário Camború ser reconhecida pela Embratur como importante polo indutor do turismo no País. Ainda segundo o secretário, a realização de eventos de grande porte representa "uma vitória não só para a cidade mas para toda a região".
O secretário de Turismo de Balneário Camboriú, Ademar Schneider, que foi à- reunião, disse que se sentiu lisonjeado com o elogio do secretário à cidade, "que tem na atividade turística importante matriz econômica, que por sua vez gera trabalho e renda, e riqueza" observou.

Em outra reunião, no mês passado, Beto Martins e Valdir Walendowski, da Santur, garantiram ao prefeito Edson Piriquito, que o governo estadual vai dividir com o município o custo do projeto do centreventos orçado em R$ 2 milhões de reais.

A pauta do encontro do secretário de Estado com representantes dos municipios do litoral norte também abordou a questão do plano de marketing para divulgação da região. As autoridades catarinenses se comprometeram em disponibilizar um banco com dados e imagens que destacam os destinos turísticos e suas potencialidades.”



Quinta, 07 de Março de 2013

A procura pelo milho continua em alta no mercado brasileiro. Essa tendência pode ser sentida na movimentação atípica que tem se registrado no Porto de Paranaguá para a exportação do produto. De janeiro até agora, foram exportadas pouco mais de um milhão de toneladas do produto, contra 340 mil toneladas no mesmo período de 2012. O crescimento foi de 65% nas exportações do produto.


Pelo pátio de triagem do Porto de Paranaguá, nos meses de janeiro e fevereiro, passaram 44,35 mil caminhões. Destes 13,7 mil eram de milho. Para se ter uma ideia, no ano passado, neste mesmo período, foram recebidos também cerca de 44 mil caminhões. No entanto, apenas 4,5 mil eram de milho.


Os terminais, em Paranaguá, estão recebendo por dia em torno de 440 caminhões carregados com milho. A expectativa da Appa é que a procura intensa pelo milho entre em decréscimo nos próximos 15 dias. No entanto, ainda existem nove navios aguardando para atracar no Porto e carregar o produto.

   Nos anos anteriores, neste mesmo período, a soja já dominava as operações no Porto. “Apesar de ser positivo o momento do milho, o número atípico de navios que ainda aguardam para carregar o produto e o espaço que o produto ainda ocupa nos terminais dificulta muito o recebimento e a expedição da soja”, afirma o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.


Os técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab) confirmam o movimento fora do padrão. “Este está sendo um ano bem atípico, uma novidade para o milho”, comenta a engenheira agrônoma do Deral, Juliana Tieme Yagushi. Ela se refere ao fato de que no ano passado, neste mesmo período, o escoamento da soja já estava a todo o vapor e do milho bem menos movimentado.


Solução - De acordo com o superintendente, para evitar transtornos no campo, na armazenagem e no escoamento dos grãos, algumas medidas precisaram ser tomadas. “Não está sendo autorizada a atracação de navio com parcial de carga, até que termine os navios de milho. Nas reuniões de atracação, são chamados os quatros primeiros navios de soja programados. Caso nenhum consiga fechar a carga, entra o próximo de milho. Essas ações são transitórias e visam agilizar o embarque de milho para receber a soja, que está vindo com tudo”, explica Dividino.

 

Até agora, o Porto de Paranaguá exportou quase 517 mil toneladas de soja e pouco mais de 556 mil toneladas do farelo. Em estoque, no Corredor de Exportação, existem 535,2 mil toneladas do complexo soja e, ao largo, 59 navios aguardam para carregar mais de três milhões de toneladas do produto. Ou seja, quase 70% dos navios que aguardam para atracar e receber soja em Paranaguá, ainda não tem disponibilidade do produto.

 

Além dos berços do corredor de exportação, o berço 206 também está sendo ocupado pelo milho. Nesta quarta-feira (6), um navio está atracado, carregando 35 mil toneladas do produto. Para esse e para o berço 201, outros dois navios aguardam para atracar e carregar 40 mil toneladas do grão.




Quinta, 07 de Março de 2013

O deputado Volnei Morastoni (PT) destacou ontem, na tribuna da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), a homenagem que a Petrobrás concedeu a Itajaí ao denominar o navio plataforma FPSO Cidade de Itajaí.


A Petrobras colocou em operação no dia 16 de fevereiro, o navio plataforma Cidade de Itajaí, que deu início a produção de petróleo no campo de Baúna, no Bloco BMS-40, no  pós-sal da poção sul da Bacia de Santos. A plataforma FPSO é uma unidade flutuante, que produz, armazena e transfere petróleo. Conectada ao poço 9-SPF-88, a plataforma Cidade de Itajaí tem potencia de produção de 12 mil barris por dia. 


Outros dez poços, sendo que são 5 produtores, 4 injetores de água e um injetor de gás, serão interligados à plataforma nos próximos meses, complementando o Plano de Desenvolvimento das Acumulações de Tiro e Sidon. A previsão,informou o parlamentar, é que o pico de produção seja atingido em agosto desse ano.


A plataforma Cidade de Itajaí, que pertence ao consórcio OOG-TK (Odebrecht e Teekay), foi convertida no estaleiro Jurong em Cingapura, e afretada à Petrobras. Ela tem capacidade para processar diariamente até 80 mil barris de petróleo leve e 2 milhões de m3 de gás. A unidade está instalada em profundidade de água de 275 metros, a 210 km da costa. O petróleo produzido será escoado por navios aliviadores.


O nome Cidade de Itajaí, comentou Morastoni, “se deve ao fato de que se traçarmos uma linha perpendicular do navio plataforma ao continente vai dar exatamente em Itajaí, a 210 km da costa”.

 




Quinta, 07 de Março de 2013

Levantamento feito pela União Brasileira de Avicultura (UBABEF) indica que as exportações brasileiras de carne de frango registraram alta de 3,3% nos volumes embarcados durante o mês de fevereiro, em comparação ao mesmo período do ano passado, totalizando 291,1 mil toneladas. Em receita, o resultado foi ainda melhor, de 15,9%, segundo o mesmo comparativo, com US$ 626,7 milhões no segundo mês de 2013.


No acumulado do ano, os embarques de carne de frango atingiram 582 mil toneladas, compensando em parte a queda das exportações de janeiro (que foi de 11,6%), mas ainda registrando saldo negativo em 4,7% na comparação com os dois primeiros meses de 2012.  Já em receita o resultado é positivo em 3,8%, com total de US$ 1,2 bilhão no período.


De acordo com o presidente executivo da UBABEF, Francisco Turra, usualmente os primeiros meses indicam o comportamento que o setor terá no decorrer do ano.  Entretanto, 2013 tem se mostrado atípico nesse sentido, com resultados bastante diferentes em janeiro e fevereiro.


“Não há estabilidade e é notável a forte oscilação de resultados na comparação de desempenho dos dois primeiros meses deste ano.  O ponto importante e fundamental é que, em meio a essas oscilações, temos mantido nossa fatia de mercado, em especial entre os maiores importadores da carne de frango do Brasil”, destaca Turra.




Quinta, 07 de Março de 2013

O Superintendente do Porto do Rio Grande, Dirceu Silva Lopes, recebeu, na manhã do dia 5 de março, o prêmio Personalidade Fórum Nacional da Soja. A entrega ocorreu durante a 24ª edição do fórum, que integra a programação da Expodireto Cotrijal, realizada em Não-me-Toque/RS. 

Em um auditório lotado, compuseram a Mesa de Honra o Prefeito de Não-me-Toque, Antônio Vicente Piva, o Presidente da Expodireto Cotrijal, Nei César Mânica, o Presidente da CCGL/Termasa-Tergrasa, Caio Cézar Vianna e o Presidente da FecoAgro, Rui Polidoro Pinto.

Em sua primeira edição, o prêmio busca destacar aqueles que realizaram relevantes serviços para o bom desempenho do segmento soja. A Fecoagro/RS, Cotrijal e a CCGL ressaltaram as ações de Lopes à frente da Superintendência do Porto do Rio Grande que garantiram a operacionalidade e eficiência do escoamento dos graneis agrícolas através do porto gaúcho.

Em sua fala de agradecimento, Lopes destacou que este é um prêmio coletivo. “Recebo este prêmio em nome dos trabalhadores portuários, das cooperativas, dos empreendedores da soja que é escoada pelo Porto do Rio Grande. Em especial, quero ressaltar o esforço que o governo brasileiro e o governo gaúcho estão fazendo para que o porto disponha de infraestrutura adequada e calado com profundidade necessária para atrair grandes navios proporcionando um ganho em escala”, afirmou. 

Além disso, o Superintendente do porto salientou a intenção de realizar investimentos para que o porto desenvolva um processo de acostagem condizente para os grandes navios que transportam os grãos, como a soja. “Não tenham dúvida de que este processo está sendo feito com muito esmero para que o Porto não seja um entrave na cadeia logística, situação que perdurou por muito tempo. Para que vocês possam produzir com tranquilidade porque lá no porto a sua soja terá o rendimento que vocês esperam”, disse ele.

Lopes ainda agradeceu aos organizadores do evento o entendimento de que o porto faz parte da cadeia produtiva do agronegócio. “Isso é importante no processo de crescimento e desenvolvimento da economia do estado do Rio Grande do Sul. É fundamental esta visão de que é preciso nós planejarmos todo o processo e o porto dispor da infraestrutura necessária para a sua funcionalidade e para a valorização dos produtos agrícolas e da cultura gaúcha e brasileira”, enfatizou.

Hoje a soja escoada pelo Porto do Rio Grande recebe prêmios a preço de Chicago superiores aos praticados em outros portos brasileiros, contrariando a série histórica onde o valor do prêmio era inferior. Isso significa que cada produtor recebe em torno de R$ 1,50 por saca a mais no preço final devido às facilidades de escoamento, confiabilidade e agilidade no Porto do Rio Grande. A exportação de grãos do RS representa atualmente 35% de toda a movimentação realizado pelo porto gaúcho.



Quinta, 07 de Março de 2013

O mutirão de limpeza “Juntos pelo Rio” terá sua segunda edição no dia 23 de março. A organização é da Gerência de Meio Ambiente do Porto de Itajaí, em parceria com o SEMASA, FAMAI, com o apoio de empresas ligadas à área portuária, pesqueira, de navegação dos municípios de Itajaí e Navegantes, além da participação da Capitania nos Portos, Defesa Civil, e Corpo de Bombeiros, bem como outras instituições de ensino e órgãos governamentais.

A ação será alusiva ao “Dia da Água” e visa a limpeza das margens do Rio Itajaí-Açu em suas duas margens, com a retirada do lixo acumulado em área delimitada entre os molhes e a ponte da BR 101. Também está programada a limpeza do Saco da Fazenda e ações educativas, que acontecerão durante todo o dia na Vila da Regata.

“Serão ações direcionadas a crianças e adolescente, com o objetivo de despertar a comunidade para a temas como sustentabilidade, saúde, entre outros”, informa a engenheira ambiental do Porto de Itajaí, Medelin Pitrez dos Santos.


Quando: Sábado, 23 de março de 2013, às 08h.

Onde: Vila da Regata. Na Avenida Beira Rio, ao lado do Centro de Promoções Itajaítur (Parque da Marejada).




Quinta, 07 de Março de 2013

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu, no fim desta quarta feira, 6 de março, pela terceira vez seguida, manter o patamar atual da taxa básica de juros da economia brasileira (Selic) em 7,25%. Desta forma, a taxa básica de juros da economia brasileira mantém o menor patamar da sua história recente, alcançado por um processo de redução que se iniciou em agosto de 2011 e, após 10 quedas consecutivas, fixou-se no nível atual em outubro do ano passado.

De acordo com o boletim Focus, a maior parte dos analistas financeiros da iniciativa privada acredita que a Selic deve ser mantida neste patamar, pelo menos no curto prazo. Analistas apontam que o Banco Central, ao retirar o termo, “por tempo prolongado”, em referência à manutenção da taxa de juros, abre espaço para que nas próximas reuniões haja maior flexibilidade para aumento da Selic.

O fator mais importante para esta cautela da autoridade monetária é a atual dicotomia entre necessidade de acelerar o crescimento (0,9% de crescimento do PIB em 2012) e manter o compromisso com a meta de inflação (5,84% de inflação em 2012). A desaceleração do crescimento econômico, ocasionada por um baixo nível de investimento e por uma perda de fôlego do consumo como propulsor do avanço do PIB, e as pressões inflacionárias resultantes tanto do aumento do custo de produção quanto da elevação dos preços das commodities são os pontos críticos da economia brasileira.

A Fecomércio-SC acredita que o compromisso com o crescimento econômico, que gera o desenvolvimento do país, é tão importante quanto a atenção a política de metas de inflação. Por isso, considera acertada a política de manutenção do patamar historicamente baixo dos juros, que permite o avanço da produção e do crescimento econômico. Para a questão do controle da inflação, acreditamos ser necessário um sistemático processo de redução dos custos da atividade econômica por meio de redução dos impostos e um ajuste do déficit público.




Quinta, 07 de Março de 2013

O Grupo Wilson Sons, um dos maiores operadores logísticos e portuários do Brasil, está de casa nova. A companhia, que ocupava 3,75 mil m² de um prédio da Avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro, se mudou para o edifício Galeria Sul América, na Rua da Quitanda. Com um andar e meio e área de 4,3 mil m², o espaço é ocupado por 600 funcionários.

Os principais objetivos da mudança foram garantir instalações adequadas às normas de Saúde, Meio Ambiente e Segurança (SMS), ampliar as condições de conforto e bem estar e proporcionar um ambiente de trabalho mais moderno e alinhado aos valores da Wilson Sons. Entre os diferenciais da nova sede está maior integração entre as áreas e a criação dos espaços de convivência entre os funcionários. Por se tratar de um edifício com sistemas mais eficientes, a mudança também trará economia no consumo de energia e redução do custo com intervenções gerais de manutenção corretiva.




Quinta, 07 de Março de 2013

Incremento dos negócios bilaterais Brasil-França na área de grãos. Esse  é o resultado da reunião que o cônsul econômico em São Paulo da Embaixada da França no Brasil,  Stéphane Mousset, manteve com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), José Zeferino Pedrozo, nesta semana, em Florianópolis.


O interesse francês concentra-se em torno da produção de grãos, especialmente soja, além de carnes e vinho. Pedrozo resumiu o atual quadro da produção de grãos em SC. Disse que o estado e o Brasil vivem um bom momento. “Faz muito tempo que os produtores não passavam por um período tão favorável”. Por isso, ele prevê supersafra em 2013. Destacou o investimento do setor em tecnologia para aumentar a produção e diminuir custos. Afirmou que os produtores já conseguiram comercializar a safra que vão plantar.


O Cônsul quis saber o tamanho das propriedades em Santa Catarina. Pedrozo expôs que a maioria é formada por pequenas propriedades. O presidente explicou que no setor de grãos, a produção de milho é insuficiente para abastecer o gigantesco parque agroindustrial barriga-verde e Santa Catarina é obrigada a comprar boa parte do insumo em outros Estados ou no exterior. Quanto à soja, o presidente da FAESC disse que o estado produz o que consume e não há problemas de demanda represada.


O vice-presidente Nelton Rogério de Souza discorreu sobre o mercado de carnes. Ressaltou o status sanitário catarinense como região livre da febre aftosa sem vacinação. Esse fator acaba beneficiando os produtores de suínos e aves. A pecuária intensiva de corte vive um bom momento e deve melhorar, especialmente se confirmada a intenção dos japoneses em comprar a carne suína do estado.


O vice-presidente explicitou o sistema de controle de qualidade na produção de carne com o sistema de rastreabilidade do produto. Em relação à pecuária leiteira, Nelton destacou que o setor carece de investimento em tecnologia para que o produto catarinense seja competitivo no mercado internacional. Apesar disso, enfatizou o crescimento de 15% na produção de leite no ano passado, um dos mais altos do país.


Ao final do encontro, o presidente da FAESC reivindicou ao cônsul a retomada de um antigo convênio da entidade com a França para a importação de sêmen e embrião do gado charolês, raça muito cultivada no sul do Brasil.




Quinta, 07 de Março de 2013

A produção da indústria brasileira aumentou 2,5% em janeiro deste ano com relação a dezembro de 2012, já descontadas as influências sazonais, apontou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


O aumento é o maior na comparação com o mês anterior desde março de 2010, quando cresceu 3,4%.


A alta é maior do que a verificada em dezembro, que foi quase nula, de 0,2%. Em novembro, o resultado fora de queda de 1,3%.


Na comparação com janeiro de 2012, produção industrial cresceu 5,7% no primeiro mês deste ano, expansão mais elevada desde fevereiro de 2011 (quando foi de 7,5%) no tipo de confronto.


Com o resultado, o indicador acumula queda de 1,9% em janeiro no acumulado em 12 meses, redução com relação ao recuo de 2,6% registrado nos 12 meses encerrados em dezembro.




Perfil

Revista Portuária Economia & Negócios.


Arquivos de 2014
Agosto
| Julho
| Junho
| Maio
| Abril
| Março
| Janeiro



Arquivos de 2013
Novembro
| Outubro
| Setembro
| Agosto
| Julho
| Junho
| Maio
| Abril
| Março
| Fevereiro
| Janeiro