sexta, 12 de abril de 2024
25/10/2022 15:24

Congresso vai debater sobre futuro do setor portuário e práticas ESG

IX CIDESPORT ocorre de 9 a 11 de novembro, em Florianópolis

Agenda ESG, relação entre empresas e universidades, desempenho portuário e inovação estão entre os temas que serão tratados no IX CIDESPORT – Congresso Internacional de Desempenho Portuário. As inscrições ainda estão abertas para o encontro, que vai acontecer de 09 a 11 de novembro, na capital de Santa Catarina, Florianópolis. Nesta nona edição, o congresso vai reunir dirigentes de portos, terminais portuários, representantes de governo, profissionais que atuam no setor portuário, além de professores e estudantes, do Brasil e Exterior.

Flávia Takafashi, Diretora da Agência Nacional de Transportes Aquaviários - ANTAQ, que fará a palestra de abertura do evento, acredita que o setor portuário tem um papel fundamental na economia brasileira, representando um importante elo na cadeia logística internacional. “O modelo projetado para as novas concessões portuárias será um passo importante para fomentar a atratividade de investimentos para o país e para otimizar ainda mais o ativo portuário. Conceder ao privado autonomia para gerir com mais eficiência os portos públicos significa retirar as amarras e os entraves burocráticos que persistem na atual configuração do modelo de gestão do complexo portuário e que obstam o desenvolvimento do setor”.  Esta é a visão defendida pelo investidor estrangeiro. “Quando a gente fala em atrair mais investimento para o Brasil, um dos principais fatores a se observar é a desburocratização. Eu costumo dizer que meu sonho é que um dia tenhamos o ‘one stop shop’ no Porto. Um ‘poupatempo’ para resolver, com agilidade, todos os problemas do setor”, comenta Patricio Junior, diretor da Terminal Investment Limited (TiL), empresa que investe, desenvolve e administra terminais de contêineres pelo mundo, com atuação no Brasil na Portonave, Brasil Terminais Portuários (BTP) e Multi Terminais.

O IX CIDESPORT terá três dias de palestras, workshops e apresentações de artigos científicos e relatos técnicos, unindo a teoria à prática no setor. Um dos cases será o Porto de Itaqui, que vai apresentar o Programa Porto do Futuro, um vetor de inovação e tecnologia portuária. “Convidamos e provocamos as academias, as universidades públicas e privadas, empresas do complexo portuário e startups para que possam participar conosco desse crescimento”, conta, com entusiasmo, Artur Thiago Costa, Diretor do Porto de Itaqui.

Inovação também é o tema que o Porto Itapoá vai apresentar no Congresso. “É um dos três pilares básicos da nossa filosofia de trabalho e a ele dedicamos esforços constantes. Nosso programa Geração de Ideias é um dos exemplos em que procuramos promover a inovação no nosso ambiente de trabalho. Por isso, fomos considerados umas das empresas mais Inovadoras do Sul do Brasil e o único porto a figurar no tradicional ranking da Revista Amanhã”, explica o presidente do Porto Itapoá, Cássio Schreiner.

Luis Guilherme Caiado Sodré, diretor de Operações do Porto Sudeste S.A, irá levar à discussão a visão sobre o futuro das commodities. “O minério de ferro continuará sendo um recurso mineral vital para a economia do Brasil e do mundo. Neste sentido, o Brasil necessita de um sistema logístico eficiente para ser competitivo no mercado internacional. Um sistema integrado de produção minerária; escoamento ferroviário e minerodutos; e portos eficientes, nos projetam como um dos principais players deste setor”.

 

Sustentabilidade na agenda portuária

Especialista em Ciências Ambientais, o professor Pós-Doutor José Baltazar Guerra vai participar do painel sobre ESG aplicado ao setor portuário. Ele comenta que o segmento sempre esteve na vanguarda do desenvolvimento econômico e agora, que a preocupação com a sustentabilidade, o enfrentamento às mudanças climáticas estão cada vez mais na ordem do dia, “cabe ao setor portuário ser um exemplo na adoção de práticas ambientalmente corretas, socialmente inclusivas e também de conformidade, que garantam que as organizações sejam cada vez mais viáveis economicamente, capazes de promover o desenvolvimento das comunidades que estão no seu entorno e serem protagonistas na proteção e na preservação do meio ambiente. A agenda ESG é uma agenda para garantir o futuro, mas é uma agenda do presente, que todas as organizações socialmente responsáveis adotarão”.

A agência reguladora pensa da mesma forma. Segundo Flávia Takafashi, ser sustentável não é mais um diferencial, mas sim uma exigência em nível mundial. “O tema tem sido objeto de aprofundados debates e o que se espera é que os nossos portos alcancem os padrões de sustentabilidade e tragam para o ambiente portuário o emprego de novas tecnologias sustentáveis, processos limpos e ambientalmente corretos”, completa.

Evento estreia premiação

O Coordenador Geral do IX CIDESPORT, professor Ademar Dutra, afirma que um dos pontos altos do evento será o Prêmio CIDESPORT 2022, que vai premiar os portos de interesse púbico e os portos e terminais privados que possuem o maior número de certificações internacionais (ISO e EcoPort). Receberão a homenagem cinco portos/terminais em cada categoria.

O CIDESPORT configura-se como um dos principais eventos técnicos-científicos do setor portuário. Veja a programação completa no site do evento.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt