sábado, 20 de abril de 2024
28/07/2023 15:34

Indústria gera quase metade dos empregos em SC no 1º semestre

Economia catarinense registrou mais de 61,5 mil novos postos de trabalho formais no período, sendo a indústria responsável por gerar 27,1 mil vagas, de acordo com análise do Observatório FIESC

No primeiro semestre do ano, a economia catarinense gerou mais de 61,5 mil novos postos de trabalho formais. A indústria teve contribuição decisiva para esse resultado, com a abertura de 27,1 mil vagas no período. Destas, 17,5 mil foram geradas na indústria de transformação e 9,6 mil foram abertas na construção civil. Os dados integram análise do Observatório FIESC divulgada nesta quinta-feira, dia 27, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

“A indústria é a grande mola propulsora para o desenvolvimento de Santa Catarina e o saldo positivo na geração de empregos foi liderado pela construção. Apesar dos níveis elevados da taxa de juros, o setor foi líder na geração de empregos formais, com abertura de 9,6 mil vagas, estimulado principalmente pelas atividades de construção de edifícios e obras de alvenaria”, destaca Mario Cezar de Aguiar, presidente da FIESC.

Um dos principais destaques do semestre foi o setor alimentício, incentivado tanto pelo aumento no número de abate de aves e suínos, como também pelas safras positivas de grãos. Esse movimento resultou na geração de vagas em diversos elos da cadeia produtiva, como é o caso da fabricação de pós alimentícios e produtos à base de soja.

O bom momento da agroindústria repercutiu no fornecimento catarinense de embalagens plásticas para o restante do país. A atividade contratou mais de mil empregados no 1º semestre e lidera o crescimento da produção industrial no acumulado do ano.
Houve também aumento das contratações no setor de transportes, particularmente nos serviços de armazenagem e de transportes rodoviários de cargas, necessários ao escoamento das safras agrícolas.

Equipamentos elétricos
Outro destaque do semestre foi a indústria de equipamentos elétricos. O setor foi impulsionado tanto pelo aumento da produção de eletrodomésticos de pequeno porte para venda interna, como pelo aumento das exportações de transformadores e painéis para comando elétrico para os EUA e a Argentina, respectivamente.

As vendas externas beneficiaram, ainda, a indústria naval, que registrou expansão de 13% em seu estoque de vagas no 1º semestre. Em 2023, Santa Catarina se tornou o maior exportador nacional de barcos a motor e navios de pesca, tendo Itália, EUA e Chile como seus principais parceiros comerciais, avalia o economista do Observatório FIESC, Vicente Heinen.

No mês de junho, o estado gerou 1,9 mil novas vagas na economia, as quais se concentraram no setor de serviços. Na indústria, o saldo foi negativo em 2,1 mil vagas. Esse desempenho reflete, principalmente, a conjuntura do setor de têxtil, confecção, couro e calçados, que tem sido prejudicado pela menor demanda nacional e pelos preços ao consumidor em patamares ainda elevados.




Últimas Notícias

Notícias

© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt