sexta, 01 de julho de 2022
18/01/2022

Prêmio nacional, recordes históricos e elite do ranking ambiental - As 10 principais realizações do Porto de São Francisco em 2021


O Porto de São Francisco do Sul fez o balanço do trabalho desenvolvido ao longo de 2021.

Foram selecionadas as 10 principais realizações feitas de forma conjunta pela diretoria e pelos colaboradores do complexo portuário.

 

1 - Terceiro melhor porto do país

A eficiência e a qualidade do Porto de São Francisco do Sul foram determinantes para o recebimento do Prêmio Portos + Brasil, entregue pelo Ministério da Infraestrutura, em setembro, em Brasília.

De acordo com a Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, o complexo portuário do Norte do Estado é o terceiro melhor porto em desempenho do país.

A premiação se baseia no índice do Instituto de Gestão e Administração Pública (Igap), que avalia a gestão das autoridades portuárias, como resultados financeiros, operacionais e gestão administrativa.

Foi o segundo ano consecutivo que o Porto recebe a premiação do governo federal, que visa a reconhecer as melhores práticas adotadas pelos portos organizados do país e os profissionais responsáveis por essas iniciativas.

 

2 - No ranking ambiental, 4º lugar

As boas práticas ambientais do Porto de São Francisco do Sul foram reconhecidas pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), em outubro.

O complexo portuário do Norte catarinense passou do 7º para o 4º lugar no Índice de Desempenho Ambiental (IDA) entre os 34 portos públicos do Brasil.

Numa pontuação máxima de 100 pontos, o Porto de São Francisco chegou a 96,95, um aumento de 12% com relação ao ano anterior, quando tinha 86,57 pontos.

O Índice leva em consideração 38 indicadores relacionados à gestão ambiental dos portos, como preservação da fauna e flora, gerenciamento das operações portuárias e prevenção de riscos.

 

3 - Investimento de R$ 41 milhões na dragagem do canal de acesso

Para manter a eficiência da entrada e saída de grandes navios, o Porto de São Francisco do Sul realizou obras de dragagem dos canais de acesso ao terminal portuário, com investimentos de R$ 41 milhões.

No desassoreamento do canal interno e externo (numa extensão de 17 quilômetros) e nos berços de atracação foram retirados 2,2 milhões de metros cúbicos de sedimentos, o equivalente à capacidade de 150 mil caminhões de areia.

O Projeto Básico da Dragagem de Manutenção oferece mais segurança e eficácia na movimentação de grandes navios no complexo portuário.

 

4 - Movimentação de cargas cresce 14%

Em 2021, a quantidade de mercadoria transportada a partir do Porto de São Francisco do Sul chegou a 13,6 milhões de toneladas, o que representa a maior movimentação de carga de sua história. Com relação a 2020, houve um aumento de 14%.

Em 2020, a soma da exportação e importação de produtos atingiu 11,9 milhões de toneladas.

Os dados confirmam o porto do Norte catarinense como o 7º maior em movimentação de carga, entre os 34 portos públicos do Brasil, e o primeiro de Santa Catarina.

De acordo com as informações divulgadas pela autoridade portuária, as importações foram responsáveis por 52% das cargas, com 7,1 milhões de toneladas.

Destaque para o material siderúrgico, como barras e bobinas de aço, que somaram 3,9 milhões de toneladas, além de fertilizantes e ureia, que alcançaram 2,5 milhões de toneladas.

As exportações, por sua vez, chegaram a 6,5 milhões de toneladas (48% da carga), sendo a soja o principal produto movimentado, com 5,2 milhões de toneladas, seguido pela madeira e celulose, com 700 mil toneladas.

Os dados incluem a movimentação do porto público e do terminal arrendado Tesc.

 

5 - Aumenta em 12% o número de navios atracados no Porto de São Francisco

A eficiência do complexo portuário e o dinamismo da economia catarinense possibilitaram que 460 navios atracassem no Porto de São Francisco do Sul em 2021.

Os dados representam um crescimento de 12% em comparação com 2020, quando 410 embarcações utilizaram o porto do Norte de Santa Catarina para o embarque e desembarque de mercadorias.

Os números se referem ao porto público de São Francisco do Sul e ao terminal privado Tesc, que faz parte do complexo.

Em média, ao longo de 2021, foram 38 navios por mês, enquanto que no ano anterior a média mensal chegou a 34. Atualmente, o Porto de São Francisco tem capacidade para receber até sete navios simultaneamente.

A maioria das atracações (235) foi de navios com carga geral (como madeira, celulose e produtos siderúrgicos), que representaram 51% da movimentação.

Outros 220 navios (48%) carregavam granel sólido (fertilizantes, ureia e grãos, como soja).
As cinco embarcações restantes eram de granel líquido, como óleo vegetal.

Impulsionado pelo auge na exportação de soja, os meses de abril e junho registraram o maior número de atracações: 45 em cada período de 30 dias.

 

6 - Porto bate recorde histórico na importação de fertilizantes e produtos siderúrgicos

A retomada econômica de Santa Catarina em 2021 refletiu positivamente na movimentação de cargas no Porto de São Francisco do Sul.

No ano, o complexo portuário registrou o maior volume da história na importação de insumos para a produção siderúrgica e agrícola.

A chegada de bobinas e barras de aço da Ásia atingiu a marca de 3,8 milhões de toneladas.

O montante representa um aumento de 73% em relação a 2020, quando ingressaram 2,2 milhões de toneladas.

Já a importação de fertilizantes e ureia, utilizados na produção agrícola, passou de 2 milhões de toneladas, em 2020, para 2,5 milhões de toneladas no ano passado, um acréscimo de 27%.

Este adubo é originário do Oriente Médio, principalmente, de países como Irã e Omã, e desembarca em São Francisco do Sul em navios com capacidade de até 57 mil toneladas.

 

7 - Trens transportam 50% da carga de grãos

A ferrovia cumpre um papel essencial no escoamento da produção de grãos para o Porto de São Francisco do Sul.

Em 2021 foram cerca de 700 trens que chegaram ao complexo portuário, carregados de soja e milho, principalmente.

Estas composições transportaram mais de 3 milhões de toneladas, metade da exportação de cereais realizada pelo Porto. O restante chega por meio de caminhões.

A maioria dos grãos é proveniente de Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul e alcança o Porto por meio do corredor ferroviário que liga Mafra, no Planalto Norte de SC, ao Porto de São Francisco, num trajeto de 170 quilômetros.

 

8 - Revitalização da estrutura ferroviária interna à espera da safra de soja

A próxima safra de soja no Brasil, que começa no início de 2022, promete ser a maior da história. Por isso, o Porto de São Francisco do Sul se antecipou e concluiu, em novembro, as obras de melhoramentos para a recepção do cereal pelo modal ferroviário.

O setor que recebe os trens, no Terminal Graneleiro, passou por uma ampla revitalização que incluiu a reforma na balança ferroviária, nivelamento da plataforma e a manutenção da moega, que é a estrutura na qual são descarregados os vagões.

Desde a moega, os grãos são direcionados para os armazéns ou navios, por uma esteira chamada correia transportadora. O elevador que transporta os cereais também recebeu melhorias: a ‘gaiola’ foi substituída e toda a estrutura de 27 metros de altura, modernizada.

 

9 - União autoriza início do processo de arrendamento do Terminal Graneleiro

O Porto de São Francisco do Sul poderá começar os estudos para o arrendamento à iniciativa privada do terminal graneleiro (TG), situado dentro das dependências do complexo portuário.

A qualificação foi aprovada em dezembro, em Brasília, pelo Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal.

Com a decisão da União, o Porto está autorizado a lançar o edital para contratação de empresa que realizará o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (Evtea), o que deve ocorrer na próxima semana.

De acordo com o cronograma proposto pela autoridade portuária, o processo licitatório será concluído no final do próximo ano, sendo a assinatura do arrendamento prevista para abril de 2023.

Antes do edital, no entanto, haverá diversas audiências públicas e o Tribunal de Contas da União deve emitir um parecer autorizando a licitação.

O Porto de São Francisco conseguiu a delegação do governo federal para conduzir os procedimentos de licitação de novos arrendamentos graças ao elevado Índice de Gestão das Autoridades Portuárias (Igap), que avalia a gestão dos portos, como resultados financeiros, operacionais e gestão administrativa.

 

10 - Porto ajuda no alargamento de praia

Os sedimentos da dragagem do canal do Porto de São Francisco serão usados para alargamento da Praia de Itapoá. O acordo foi assinado em dezembro entre o Porto de São Francisco do Sul e a prefeitura do Norte catarinense.

Os 15 milhões de metros cúbicos de material dragado das obras de aprofundamento e alargamento do canal de acesso à Baía da Babitonga servirão para o engordamento de toda a faixa de areia da orla do Município de Itapoá que, nos últimos anos, tem sofrido com erosão marítima.

A obra, orçada em R$ 215 milhões, será iniciada após a autorização do Ibama que, desde 2015, acompanha o projeto e tem recebido os diversos estudos de impacto ambiental do empreendimento, realizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias e pelo Porto.

 



© Copyright 2000-2014 Editora Bittencourt